Outra opção é o pkill:

# pkill firefox (por exemplo)

este é mais certo, pois não precisa que o processo tenha exatamente o
nome usado no parâmetro, como é o caso do killlall, que deixaria de
matar, por exemplo, um possível processo chamado firefox-bin. Se é mais
certo pois mata por sub-strings é também mais perigoso, então convém ver
o que morrerá antes, testando com um pgrep:

# pgrep -l firefox

Agora, pode acontecer do processo realmente não morrer e isso pode estar
relacionado a dependência física de algum recurso, tipo disco, nfs, etc.
Aí só rebootando mesmo.

Abs,

Carlos E. G. Carvalho           OpenIT Solucoes Tecnologicas
Consultor Unix/Internet         Tel. +55 21 2517-6000
http://www.OpenIT.com.br
http://www.MyFreeBSD.com.br

Em Seg, 2006-04-24 às 16:12 -0300, kr3. escreveu:
> On 4/24/06, Ronan Lucio <[EMAIL PROTECTED]> wrote:
> >
> > Pessoal,
> >
> > Já aconteceu de eu dar um kill em um processo e ele ficar travado.
> > Np meu caso eu fui obrigado a reiniciar o servidor.
> >
> > Duvida: Nesses casos a única maneira é reiniando o servidor mesmo
> > ou existe algum meio de matar um processo travado, que eu desconheço?
> >
> > []s
> > Ronan
> 
> 
> killall firefox ( por exemplo )
> 
> ps -aux | grep nomeprocesso   ( as vez abrem varios e tem de achar o "mae" )
> se não fica mesmo travado
> _______________________________________________
> freebsd mailing list
> freebsd@fug.com.br
> http://lists.fug.com.br/listinfo.cgi/freebsd-fug.com.br
> 
> !DSPAM:444d232c31879016177225!
> 


_______________________________________________
freebsd mailing list
freebsd@fug.com.br
http://lists.fug.com.br/listinfo.cgi/freebsd-fug.com.br

Responder a