Sr. Zappa 

Conforme situação que colocou abaixo... como ficaria a questão do registro.br?

Voce seta o DNS primario pelo IP da operadora 1 e o secundario pela operadora
2 entao?

Att

João David Prevedello

> Pegando carona na Thread:
> 
> Eu passei por um problema semelhante e a solução que usei, incluiu 
> colocar 2 entradas com mesmo nome e ips de cada operadora.
> 
> Assim, de cara, usando round robin, passei a ter um certo 
> balanceamento do tráfego entrante.
> 
> Usei ttl de 300s (5 minutos), o que é baixo suficiente para atingir 
> o objetivo e alto suficiente para evitar tempestades de resoluções 
> de DNS.
> 
> Usei o djbdns como servidor DNS, mas com o bind também funciona 
> (apesar de ser muito mais trabalhoso, pois no djbdns, as informações 
> de todas as zonas estão em apenas um arquivo).
> 
> Nesta solução, eu ttenho 3 arquivos de zona do djbdns:
>     - Um com entradas duplicadas, apontando para ips das duas operadoras;
>     - Outro com entradas únicas, para apenas uma operadora;
>     - E um terceiro, semelhante ao anterior, somente apontando para 
> outra operadora;
> 
> Na prática, quando um dos links caía, a tabela do DNS era atualizada 
> somente com o arquivo da operadora que estava funcionando, e durante 
> 5 minutos, 50% das consultas iriam falhar (por causa do cache), mas 
> após 5 minutos, depois que o ttl expirou, todas as consultas passam 
> a entrar pelo link ativo.
> 
> Isto foi satisfatório para o meu caso, com custos e complicações 
> infinitamente inferiores de ter um próprio AS.
> 
> Cordialmente,
> 
> Rodolfo Zappa
> 
> "Linux é para pessoas que odeiam o Windows.
> BSD é para pessoas que amam o UNIX!"
> 
-------------------------
Histórico: http://www.fug.com.br/historico/html/freebsd/
Sair da lista: https://www.fug.com.br/mailman/listinfo/freebsd

Responder a