You're wellcome!

Não é que eu estivesse sumido, estive viajando e acompanhando de longe a
lista. Estava só invisível. Não gosto de responder a lista fora das minhas
máquinas, porque perco a organização.
Mas voltando ao ponto, a sua participação tem dado um bom booster a lista. O
Galante tem estado meio enrolado mas você tem compensado muito bem, assim
como outros colegas. Só estou achando o Pedro Calmon meio quieto
ultimamente, deve estar com saudade do Fábio Olivieri. Alguns mais novos não
chegaram a ver os arranca-rabos que rolavam de vez em quando, eu sempre
achei muito legal.
Que é que há Pedrão, vamos levantar uma polêmica aí, rapaz!

---
DR


-----Mensagem original-----
De: ELIZABETH KOSLOVA <[EMAIL PROTECTED]>
Para: [EMAIL PROTECTED] <[EMAIL PROTECTED]>
Data: Sábado, 27 de Novembro de 1999 06:59
Assunto: Re: [naval] off-topic MAA-1 Piranha.


>Obrigada pelo elogio Dario,
>
>estava meio sumido, oque houve?
>
>
>
>--- Dario Renato <[EMAIL PROTECTED]> escribió:
>> Bonito. Sabe que esta sua análise é muito bem
>> equilibrada? E tem também um
>> mérito raro em textos de técnicos: é de fácil
>> digestão. Ouvi uma vez que a
>> compreensão do texto é diretamente proporcional a
>> competência do escritor.
>> Você subiu um bocado no meu conceito, se é que isso
>> vale alguma coisa.
>>
>> ---
>>
>> DR
>>
>> ----- Original Message -----
>> From: ELIZABETH KOSLOVA <[EMAIL PROTECTED]>
>> To: <[EMAIL PROTECTED]>
>> Sent: Wednesday, November 24, 1999 1:41 PM
>> Subject: Re: [naval] off-topic MAA-1 Piranha.
>>
>>
>> > bom andreas, aqui esta a ultima parte do que
>> conheço
>> > sobre o piranha. Espero que goste.
>> >
>>
>-------------------------------------------------------
>> >
>> > Aqui os dados sobre o piranha que conclui:
>> >
>> > Peso: 90Kg (calculado)
>> >
>> > Ogiva: 20Kg (fornecido)
>> >
>> > Raio letal da ogiva: 10-12 metros (calculado)
>> >
>> > Espoleta de proximidade: laser ativa (estimada
>> analise
>> > de foto)
>> >
>> > Peso do propergol: 33.5Kg
>> >
>> > Peso da célula:  36.5Kg (calculado, estimado
>> analise
>> > de foto)
>> >
>> > Alcance: 6.5 - 7.3 Kg (calculado)
>> >
>> > Coeficiente aerodinâmico de penetração:  0.24
>> >
>> > Diâmetro do corpo: 15cm (estimado, analise de
>> foto)
>> >
>> > Tempo de missão ( Duração do combustível do
>> gerador de
>> > gás): 40 segundos (estimado)
>> >
>> >  Material do sensor: InSb (fornecido)
>> >
>> > Velocidade de rastreio: 35º/seg (fornecido)
>> >
>> > Angulo de visada: 37º (fornecido)
>> >
>> > Refrigeração do sensor:  nitrogênio liquido
>> (estimado)
>> >
>> > Velocidade da reticula do buscador: 140Hz
>> (estimado)
>> >
>> > Bom estes são os dados que consegui em
>> publicações, eu
>> > chamei de fornecidos, oque que tive que calcular
>> > matematicamente chamei de calculado, e os que tive
>> que
>> > intuir seja pelas analises das fotos dele, ou
>> pelos
>> > padrões de outros mísseis do mesmo porte.
>> >
>> > De uma maneira bem geral o projeto do piranha é
>> > bastante modesto, não tem nenhum item que
>> represente
>> > um novo conceito ou que seja algum diferencial em
>> > relação a outro míssil.
>> >
>> > O projeto aerodinâmico é praticamente o mesmo do
>> > SIDEWINDER modelo L, sendo o PIRANHA com um peso
>> fixo,
>> > (célula + OGIVA) maior que o míssil americano é
>> seguro
>> > afirmar que ele não tem uma capacidade de manobra
>> > maior que o AIM-9L.
>> >
>> > Quando a capacidade all aspect estar presente ou
>> não
>> > no modelo minha opniao é a seguinte:
>> >
>> > Apesar do sistema sensor empregar a mesma técnica
>> e
>> > material presentes no AIM-9L, ou seja sensor IR de
>> > InSb nada indica que uma capacidade all aspect
>> tenha
>> > sido atingida.
>> >
>> > A pista que sustenta esta hipótese é o tamanho da
>> > ogiva ser de 20Kg, um valor quase o dobro dos
>> > similares.
>> >
>> > Oque determina o alcance de um míssil IR é a
>> > quantidade de combustível que ele pode transportar
>> e
>> > que tem reflexos no peso final, ou a distancia
>> máxima
>> > que o sistema de busca pode adquirir o alvo.
>> >
>> > O aumento de combustível traz reflexos sobre o
>> peso da
>> > célula e também sobre a capacidade de manobra,
>> logo
>> > indica a necessidade de uma ogiva maior para
>> compensar
>> > o problema da manobra e por consseguencia mais
>> peso de
>> > célula.. até o ponto que isto atinge seu ponto de
>> > equilíbrio.
>> >
>> > A melhoria do sistema de busca é o grande objetivo
>> da
>> > equipe de desenvolvimento.
>> >
>> > No caso do PIRANHA com um ogiva de 20Kg, caso ela
>> > fosse reduzida para 12, poderiam ser acrescidos
>> > mais 8 Kg no combustível melhorando a capacidade
>> de
>> > manobra e ainda assim a ogiva seria 8% maior que a
>> do
>> > PHYTON III por exemplo,  com o alcance subindo
>> para
>> > até 9Km.
>> >
>> > Mas o porque isto não foi feito, basicamente
>> porque o
>> > sistema de busca não tem uma resposta adequada
>> para um
>> > alvo a 9Km logo esta sobra de combustível não se
>> > justifica, ou entao a precisão de busca é menor a
>> tal
>> > ponto de requerer  uma ogiva de raio letal maior,
>> > sendo esta segunda hipótese menos provável.
>> >
>> > Posso afirmar que o PIRANHA possa ter alguma
>> > possibilidade de engajamento frontal porem a uma
>> > distancia muito menor, de no máximo uns 3 - 3.5 Km
>> > ainda assim em condições de sol pela costas e com
>> um
>> > DEEP GROND (cenário IR de fundo) muito frio, coisa
>> que
>> > só ocorre a grande altura.
>> >
>> > O argumento de que uma ogiva de 20Kg é uma escolha
>> > desejável para aumentar o raio letal não se
>> sustenta,
>> > pois ela acaba comprometendo muitos outros
>> parâmetros
>> > mais  importantes como capacidade de manobra e
>> > alcance. Um sistema de guiagem que se propõe a ser
>> all
>> > aspect tem que garantir uma distancia do alvo
>> > suficientemente pequena para que uma ogiva de 10 -
>> 12
>> > Kg tenha eficiência letal, como tem sido em
>> mísseis
>> > como o PHYTON, MAGIC, SIDEWINDER, não estamos em
>> > hipótese alguma reinventando a roda com esta
>> historia
>> > de colocar ogiva grande.
>> >
>> > Como falei em um outro mail o PIRANHA é
>> > estruturalmente independente (secção de controle,
>> de
>> > ogiva e de  propulsor) oque presumisse casar com a
>> > seguinte estratégia: Desenvolver a capacidade de
>> > engajamento frontal com o tempo, e mudar a os
>> módulos
>> > básicos com o tempo para conciliar as necessidades
>> de
>> > ogiva - combustível, conforme o sistema de guiagem
>> vai
>> > se tornando melhor.
>> >
>> > Uma estratégia bastante interessante já que em
>> 1993
>> > quando o programa caiu na mão da MECTRON e esta
>> vendo
>> > que o programa estava sendo tocado a 17 anos,
>> > precisava de colocar o míssil no mercado mesmo que
>> a
>> > capacidade de engajamento ainda não fosse a ideal,
>> > buscando depois com o tempo uma melhoria
>> continuada
>> > que pudesse ser  incorporada no produto de forma
>> > condicente com a técnica de engenharia.
>> >
>> > Para concluir sobre o PIRANHA eu diria o seguinte,
>> ele
>>
>=== message truncated ===
>
>_________________________________________________________
>Do You Yahoo!?
>Obtenga su dirección de correo-e gratis @yahoo.com
>en http://correo.espanol.yahoo.com
>==============================================
>Lista naval
>Para sair desta lista mande mensagem para:
>[EMAIL PROTECTED]
>sem nada no Subject
>e com o comando a seguir no corpo da msg:
>"unsubscribe naval" (sem aspas)
>==============================================

==============================================
Lista naval
Para sair desta lista mande mensagem para:
[EMAIL PROTECTED]
sem nada no Subject
e com o comando a seguir no corpo da msg:
"unsubscribe naval" (sem aspas)
==============================================

Responder a