independentemente do grau de parcialidade da reportagem, é gratificante ver uma reportagem como esta.
Aproveitando quem viu mais uma do Jornal Naciona??
 
na reportagem sobre o Airbus indiano sequestrado, o JN mostrou um 737 daqueles com carenagem de motor mais antiga, e disse que o Airbus em questão era igualzinho àquele. mais uma. poderíamos escrever um livro em conjunto sobre o assunto e depois presentear a imprensa não especializada. que tal ???
-----Mensagem original-----
De: Guilherme Poggio <[EMAIL PROTECTED]>
Para: [EMAIL PROTECTED] <[EMAIL PROTECTED]>
Data: Domingo, 26 de Dezembro de 1999 10:32
Assunto: [naval] [FDT] AMX em combate

Comprei a RFA hoje e tem uma reportagem sobre os AMX italianos que participaram do Kossovo.
 
Foi feita uma comparação com o seu irmão mais velho, o Tornado, durante a guerra do Golfo. Na minha opinião, essa comparação não é válida pois as táticas utilizadas foram diferentes nesses dois ambientes. Em 1991, a tática utilizada era aquela treinada durante anos pela OTAN de invadir o espaço aéreo inimigo voando baixo. Essa sim é a razão para uma série de Tornados terem sido derrubados.
 
No Kosovo foi diferente, os aviões de ataque estavam sempre a grande altura e só desciam (e mesmo assim nem tanto) no momento do ataque. A estratégia mudou e os AMX foram favorecidos por ela.
 
A reportagem faz uma série de elogios aos avião mas sendo menos parcial, diria que o AMX simplesmente funcionou quando foi chamado para fazer o que foi projetado. Apresentou excelente estado de prontidão, não houve missões abortadas por falhas técnicas, jogou as bombas onde tinha que jogar. Tudo isso dentro de um ambiente onde existia o domínio do espaço aéreo, diga-se de passagem.
 
Ficou claro que armamentos inteligentes salvam vidas de pilotos e aviões. ALÔ FAB!!!! Vamos abrir os olhos para essa importante arma!
 
____________________
Guilherme Poggio
São Paulo/SP - Brazil
mail to: [EMAIL PROTECTED]

Responder a