Olá, Ralph!
Tudo bem?
Eu gostei muito da maneira que você indicou na segunda opção de resolução.
Olhamos o plano xy "por cima" e calculamos a integral "empilhando" os
trapézios em relação ao eixo z.
Muito obrigado pela resposta!
Abraços!
Luiz

Em qua, 12 de fev de 2020 2:27 PM, Ralph Teixeira <ralp...@gmail.com>
escreveu:

> Vamos fixar um z (entre 0 e 2) para desenhar a seção horizontal. Como
> x+y=z^2 e x+y=2z são duas retas paralelas, a seção horizontal é um trapézio
> mais ou menos assim:
>
> |\
> | \
> |  \
> |   \
> |    \
>  \    \
>   \____\
>
> As retas inclinadas são x+y=z^2, e x+y=2z. A reta vertical é o eixo y
> entre z^2 e z, e a horizontal é o eixo x entre z^2 e z.
>
> Então o problema na sua integral é que nem sempre o x vai de z^2-y até
> 2z-y, depende do valor de y! Trace uma vareta horizontal atravessando o
> trapézio:
>
> -- Na parte "de baixo" do trapézio, a vareta fura o trapézio nas duas
> retas inclinadas, ou seja, ali temos o x variando de z^2-y até 2z-y que nem
> você falou. Mas isso é só na parte de baixo, ou seja, apenas quando 0<y<z^2;
> -- Na parte de cima, a vareta fura na reta vertrical e na inclinada, isto
> é, 0<x<2z. Isto acontece quando z^2<y<z.
>
> Ou seja, para resolver isso com uma integral tripla dxdydz, vai ter que
> dividi-la em duas:
>
> Int (0 a 2) Int (0 a z^2) Int (z^2-y a 2z-y) dx dy dz +
> + Int (0 a 2) Int (z^2 a z) Int (0 a 2z-y) dx dy dz
>
> ---///---
>
> Outra opção (equivalente ao que o Buffara fez, mas subtraindo no plano
> antes de integrar para achar o volume): o trapézio pode ser pensado como a
> diferença de dois triângulos retângulos isósceles com vértice na origem --
> um grande tem cateto 2z, o pequeno z^2. Então a área de cada trapézio é:
>
> [(2z)^2 - (z^2)^2]/2 = 2z^2-z^4/2
>
> que, naturalmente, varia com z. Note que, como era de se esperar, a área
> dá 0 em z=0 e z=2.
>
> Agora é só integrar essa área para 0<=z<=2. Ou seja:
>
> Volume = 2.2^3/3 - 2^5/10 = 16/3 - 16/5 = 32/15.
>
> Abraço, Ralph.
>
>
> On Wed, Feb 12, 2020 at 9:29 AM Pedro José <petroc...@gmail.com> wrote:
>
>> Bom dia!
>> Alguém poderia me ajudar e mostrar onde errei os limites? Resolvendo por
>> integral tripla, usando f(x,y,z)=1.
>>
>> Grato,
>> PJMS
>>
>> Em ter, 11 de fev de 2020 13:11, Pedro José <petroc...@gmail.com>
>> escreveu:
>>
>>> Boa tarde!
>>>
>>> Resolvi por método numérico usando, pelo menos penso eu, os mesmos
>>> limites e encontrei 2,1329, muito próximo da resposta. Gostaria que alguém
>>> me ajudasse onde errei na integral tripla.
>>> Usei z^2-y e 2z-y como os limites para integral em dx. Em seguida, z^2 e
>>> 2z para dy e finalmente 0 e 2 para dz.
>>> Onde está o erro?
>>> Grato,
>>> PJMS
>>>
>>> Em ter, 11 de fev de 2020 12:49, Claudio Buffara <
>>> claudio.buff...@gmail.com> escreveu:
>>>
>>>> O sólido é a região do 1o octante (todas as coordenadas positivas)
>>>> compreendida entre os planos x-z e y-z, acima do plano z = (x+y)/2 e abaixo
>>>> da z = raiz(x+y).
>>>> A superfície e o plano se intersectam numa reta:
>>>> raiz(x+y) = (x+y)/2 ==> x+y = (x+y)^2/4 ==> x+y = 4, contida no plano z
>>>> = 2.
>>>>
>>>> Assim, o volume pode ser dado pela diferença entre duas integrais
>>>> duplas, calculadas sobre o domínio D, no plano x-y, dado por x > 0, y > 0 e
>>>> x+y = 4.
>>>> Volume = Integral(D) raiz(x+y)*dA - Integral(D) (x+y)/2*dA.
>>>>
>>>> Usando coordenadas cartesianas, a primeira integral fica:
>>>> Integral(x=0...4)Integral(y=0...4-x)*raiz(x+y)*dy*dx
>>>> = Integral(0...4) (2/3)*(4^(3/2) - x^(3/2))*dx
>>>> = Integral(0...4) (16/3 - (2/3)*x^(3/2))
>>>> = 64/3 - (4/15)*4^(5/2)
>>>> = 64/3 - 128/15
>>>> = 64/5
>>>>
>>>> A segunda integral é:
>>>> Integral(x=0...4)Integral(y=0...4-x) (x+y)/2*dy*dx
>>>> = Integral(x=0...4) (1/2)*(x*(4-x) + (4-x)^2/2)*dx
>>>> = Integral(0...4) (4 - x^2/4)*dx
>>>> = 32/3
>>>>
>>>> Logo, o volume é 64/5 - 32/3 = 32/15  (se não errei nenhuma conta...)
>>>>
>>>> []s,
>>>> Claudio.
>>>>
>>>>
>>>> On Mon, Feb 3, 2020 at 8:55 PM Luiz Antonio Rodrigues <
>>>> rodrigue...@gmail.com> wrote:
>>>>
>>>>> Olá, pessoal!
>>>>> Tudo bem?
>>>>> Estou tentando resolver o seguinte problema:
>>>>>
>>>>> Ache o volume da região tridimensional definida por:
>>>>>
>>>>> z^2<x+y<2*z
>>>>>
>>>>> Sendo que:
>>>>> x>0 e y>0 e z>0
>>>>>
>>>>> Com o auxílio de um software eu consegui visualizar o sólido em
>>>>> questão.
>>>>> Eu calculei o volume do sólido girando em torno do eixo z e dividindo
>>>>> o resultado por 4.
>>>>> A resposta que eu obtive foi (16*pi)/15, que não está correta.
>>>>> Já refiz os cálculos muitas vezes e chego sempre na mesma resposta.
>>>>> Alguém pode me ajudar?
>>>>> Muito obrigado e um abraço!
>>>>>
>>>>> --
>>>>> Esta mensagem foi verificada pelo sistema de antivírus e
>>>>> acredita-se estar livre de perigo.
>>>>
>>>>
>>>> --
>>>> Esta mensagem foi verificada pelo sistema de antivírus e
>>>> acredita-se estar livre de perigo.
>>>
>>>
>> --
>> Esta mensagem foi verificada pelo sistema de antivírus e
>> acredita-se estar livre de perigo.
>
>
> --
> Esta mensagem foi verificada pelo sistema de antivírus e
> acredita-se estar livre de perigo.

-- 
Esta mensagem foi verificada pelo sistema de antiv�rus e
 acredita-se estar livre de perigo.

Responder a