Acho que o software que é GPL deve sempre continuar assim, ou seja, se
houver mudanças no codigo do programa GPL essa mesma deve se manter aberta,
ou seja, divulgada, mas o outro sistema que apenas tem suas saidas sendo
utilizadas pelo GPL acho que não terá problemas, mas seria interessante
mostrar a empresa que a divulgação desse codigo pode ajudar a ele tb não?

Em 06/02/07, Eric Jardim <[EMAIL PROTECTED]> escreveu:

Imaginem a seguinte situação:

Temos uma intranet corporativa onde existem várias páginas (criadas dentro
da empresa, o que as tornam, imagino eu, propriedade da empresa).

Digamos que eu queira (e a empresa também) desenvolver uma ferramenta
livre, com licença GPL, que "cate" informações geradas por estes sistemas
(eu não estou misturando os códigos). Só estaria colhendo as saídas destes
sistemas. Ex: ler informações numa página da intranet e gerar resultados.

Perguntas:
1 - Eu posso de fato fazer isso, sem ferir a GPL?

2 - Mesmo sem ferir a GPL, eu sou obrigado a liberar o código? Mesmo que
não tenha utilidade, já que ele depende de saídas proprietárias (contexto da
empresa?).

3 - Mesclando: é possível criar software GPL, usando outros softwares já
GPL, e ter software livre dentro do contexto da empresa, mas não
divulga-lo (necessariamente) para o mundo externo?

Como empresas como Google e Yahoo lidam com isso?

Sds,

--
Eric Jardim
_______________________________________________
PSL-BA mailing list
PSL-BA@listas.dcc.ufba.br
https://mail.dcc.ufba.br/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-ba




--
Rafael Brito Gomes
Sistema de Informação
Universidade de Salvador (UNIFACS)

Linux User - 430086

O Tabareu - A Arte em sua forma mais Pura!
http://tabareu.wordpress.com/

Blog Linux Diario
http://linuxdiario.wordpress.com
_______________________________________________
PSL-BA mailing list
PSL-BA@listas.dcc.ufba.br
https://mail.dcc.ufba.br/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-ba

Responder a