Um última consideração... ultimamente, vários órgãos do governo e
empresas estatais têm patrocinado eventos sobre software livre, como o
FISL. Acredito que isso já seja uma forma de contribuição, ainda que
talvez tímida. Alguém mais informações sobre esses patrocínios? Coisas
como quem são os maiores, quanto investem em média?


Até mais,

Paulo Estrela
http://tabugado.com
http://pauloestrela.wordpress.com



2008/12/13 Nilo Dantas <nilodan...@gmail.com>:
> Só um simples comentário. . .
>
> Na minha opinião a empresa ou instituição, necessita, para implantar
> SL uma alteração cultura e isto é muito difícil de se fazer, se
> tratando das grandes que já possuem códigos de conduta e normas bem
> sólidos. Ou seja mudar hábitos de dentro para que exista alguma
> possibilidade de aceitação. E isto é muito complicado. Um outro ponto
> importante é que todos já sabem, de modo geral, que o SL tem uma
> qualidade igual ou superior a  vários softwares proprietários.
>
> 2008/12/13 Paulo Estrela <paulo...@gmail.com>:
>> Olá, sou novo na lista...
>>
>> Sobre esse assunto, creio que as empresas deveriam ver o SL como uma
>> espécie de consórcio, onde todos investem (seja tempo, dinheiro e etc)
>> para ter um "bem" imaterial que é o software. A diferença é que o
>> retorno pertence a todos e não apenas aos consorciados, e ela não é
>> obrigada a investir algo mínimo, como uma quantia mínma em dinheiro.
>>
>> Outra coisa que vai nesse sentido é a questão dos prêmios ou
>> recompensas (bounties). Uma empresa ou várias (fazendo uma vaquinha)
>> que precisem de uma feature podem oferecer uma grana pra quem
>> implementá-la. O problema nesse caso é que para que o grupo receba
>> esse dinheiro é necessário que se use uma pessoa jurídica (fundação,
>> empresa e etc) pra que a empresa possa pagar esse dinheiro. O esquema
>> de contratação CLT é meio complicado pq envolve as questões
>> trabalhistas que nem sempre as empresas desejam.
>>
>> --
>> Até mais,
>>
>> Paulo Estrela
>> http://tabugado.com
>> http://pauloestrela.wordpress.com
>>
>> 2008/12/13 Thiago Freire <freir...@gmail.com>:
>>> Eu concordo com tudo o que você disse. O problema é justamente seu primeiro
>>> parágrafo.
>>>
>>> 2008/12/13 Antonio Terceiro <terce...@softwarelivre.org>
>>>>
>>>> Eu acho que o grande problema desse tipo de análise é que se assume que
>>>> as "grandes empresas" querem só "adotar" software livre, quer dizer,
>>>> ficar só no venha a nós o vosso reino.
>>>
>>> A maioria ainda adota essa postura de "venha a nós o vosso reino". Ainda bem
>>> que isso está mudando, e acho que a tendência é elas todas fazerem o que
>>> você sugeriu. Mas também não custa nada aos projetos tentar ter uma maior
>>> organização. Acho que existem ótimos exemplos quanto a isso. A wiki do
>>> Ubuntu, as aplicações utilizadas pra ajudar na contribuição com o Ruby on
>>> Rails, e outros.
>>> Misturar licenças podia ser um pouco mais fácil também, hehe. Mas acho que
>>> não há muito o que se fazer quanto a isso.
>>> Outra coisa, software proprietário também tem "armadilhas de licença"...
>>>
>>> --
>>> Thiago Freire 
>>> Blog: http://freireag.com
>>> LinkedIn: http://resume.freireag.com
>>> Twitter: @freireag
>>>
>> _______________________________________________
>> PSL-BA mailing list
>> PSL-BA@listas.dcc.ufba.br
>> https://listas.dcc.ufba.br/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-ba
>
>
>
> --
> Nilo Dantas . . .
> "All power corrupts, but we need electricity." - Diana Wynne Jones
> "Use The Source Luke"
> nilodantas.org
> _______________________________________________
> PSL-BA mailing list
> PSL-BA@listas.dcc.ufba.br
> https://listas.dcc.ufba.br/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-ba
_______________________________________________
PSL-BA mailing list
PSL-BA@listas.dcc.ufba.br
https://listas.dcc.ufba.br/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-ba

Responder a