O coletivo soteropolitano do CMI (Centro de Midia independente) pede
contribuições para comprar uma câmera filmadora.

Vai aí o projeto do *Estúdio de TV* que estamos desenvolvendo. Dêem um saque
e contribuam na vaquinha. *

Lembrando que o link para fazer a doação é:
http://www.vakinha.com.br/Vaquinha.aspx?e=34563*

*Contato*: cmi-...@midiaindependente.org

ESTÚDIO TV LIVRE: CMI-SSA


   -  ESTÚDIO TV LIVRE:
CMI-SSA<https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador#EST_DIO_TV_LIVRE_CMI_SSA>
      -  POR 
QUE?<https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador#POR_QUE>
      -  QUEM 
SOMOS?<https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador#QUEM_SOMOS>
      -  QUAL O
OBJETIVO?<https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador#QUAL_O_OBJETIVO>
      -  
TVCMI-SALVADOR<https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador#TVCMI_SALVADOR>
      -  MEIOS E RECURSOS
NECESSÁRIOS<https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador#MEIOS_E_RECURSOS_NECESS_RIOS>
      -  NÃO PARTICIPAÇÃO EM
EDITAIS<https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador#N_O_PARTICIPA_O_EM_EDITAIS>
      -  PERGUNTAS FREQUENTES
(FAQ)<https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador#PERGUNTAS_FREQUENTES_FAQ>

 Este é um projeto idealizado pelo CMI-Salvador, a idéia é ter uma
infraestrutura suficiente para a produção de material audiovisual à
disposição tanto do CMI-Salvador, quanto de outros grupos, movimentos
sociais e comunidades. O projeto Estúdio TV Livre precisa ter um espaço
físico, onde haverá equipamentos, câmeras filmadoras, microfones,
equipamentos/acessórios de controles/apoio (mesas de controle, de som,
iluminação, tripés, suportes, etc) e uma ilha de edição.

 POR QUE?

Diante da necessidade de aproximar-se mais de outros grupos, comunidades e
movimentos sociais, também diante da necessidade de produzir conteúdos mais
acessíveis e que melhor transmitam a realidade das lutas sociais que tentam
transformá-la em outra melhor, e diante do objetivo de ser além de meros
produtores (externos aos movimentos) de conteúdo, chegou-se à conclusão que
a produção de material audiovisual é o meio mais adequado para atender a
tais necessidades.

A produção audiovisual, ao assimilar a narrativa sonora à linguagem visual,
é de fácil compreensão e transmite de forma mais eficaz todo conjunto
simbólico necessário para informar, sensibilizar, problematizar e mobilizar.
A produção audiovisual apresenta caráter mítico para a maioria das pessoas,
seja por não compreenderem como são produzidas, seja pelo total
distanciamento deste tipo de produção (aqui nos referimos à forma
tradicional comercial de produção) dos segmentos mais populares. Também, é
preciso citar que os produtores tradicionais de conteúdo neste segmento se
esforçam para criarem mitos que, na maioria das vezes, estão associados à
necessidade de criar símbolos que possam ser comercialmente explorados.

Este aspecto mítico deve ser encarado sob dois prismas. Primeiro, este
aspecto nos favorece na tentativa de produzir conjuntamente com comunidades
e outros grupos, uma vez que isso gera curiosidade e interesse em se
envolver nesse tipo de produção. Segundo, devemos nos esforçar para
desconstruir esse aspecto mítico, pois, do contrário, não estaremos
estimulando uma maior participação para além do consumo deste tipo de
produção, devemos nos esforçar para levar o sujeito da posição passiva de
mero consumidor à também de produtor. Associa-se a tudo isso, a necessidade
de não reproduzirmos a construção de símbolos que favoreçam a exploração
comercial, esta deve ser uma preocupação central, uma vez que podemos
reproduzir esta lógica mesmo sem nos dar conta. Isto é perfeitamente
possível, uma vez que a maioria esmagadora, chegando quase à totalidade, das
nossas referências, quanto a esse tipo de produção, ter essa finalidade.

 QUEM SOMOS?

Somos uma rede de voluntárias/os que acreditam que a comunicação pode e deve
ser feita por todas/os e de maneira independente, sem o controle ou a
interferência dos grandes grupos econômicos.

Para participar do CMI, não é preciso ser fotógrafa/o, radialista nem
jornalista, basta ter vontade de fazer mídia. Somos pessoas comuns que
dedicam parte do tempo para registrar e ajudar a divulgar acontecimentos que
não têm espaço na grande mídia. Produzimos vídeos, imagens, áudios e
impressos, além de mantermos o site: www.midiaindependente.org.

O CMI nasceu nos Estados Unidos, em 1999, como um site multimídia que
deveria reunir a cobertura feita por órgãos da imprensa alternativa dos
protestos em Seattle contra a Organização Mundial do Comércio (OMC). O site
seria um depositário da cobertura em texto, vídeo, áudio e imagens que
seriam trocados por todos os órgãos participantes sem recurso a direitos
autorais. Um mecanismo de publicação aberta, no entanto, permitia que não
apenas jornalistas dos órgãos participantes publicassem as notícias, mas
também cada leitora e leitor do site. Em pouco tempo, o site foi apropriado
por manifestantes de Seattle que publicaram diretamente seus relatos, suas
fotos, suas entrevistas e seus vídeos, sem a mediação de jornalistas. Essa
apropriação do site pelas pessoas logo se tornou o coração do CMI: um
projeto onde leitora e leitor saem da passividade e podem ativamente
construir a mídia. Em seguida, coletivos do CMI se espalharam pelo mundo
numa rede de mais de cem cidades em todos os continentes e desenvolveram
projetos fora da internet como programas de rádio, jornais, boletins e
vídeos.

O CMI-Brasil se organiza por meio de coletivos locais formados em cada
cidade. No momento, existem coletivos do CMI em: Belo Horizonte (MG),
Brasília (DF), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Recife (PE), Rio de
Janeiro (RJ), Salvador (BA), São Paulo (SP) e Tefé (AM). Todos os coletivos
administram conjuntamente o site do CMI, mas cada um desenvolve seus
próprios projetos locais fora da internet, ligados a rádio, vídeo e
impressos.

Saiba mais sobre o
CMI<http://www.midiaindependente.org/pt/blue/static/about.shtml>e leia
nossa Política
Editorial <http://www.midiaindependente.org/pt/blue/static/policy.shtml>.

 QUAL O OBJETIVO?

O objetivo é instrumentalizar indivíduos na produção audiovisual, produzir
conteúdo audiovisual próprio e independente, e permitir que outros grupos
tenham meios de fazer o mesmo. A instrumentalização de outros indivíduos é
objetivo primário, uma vez que estes poderão ser multiplicadores e poderão
produzir conteúdos próprios nos grupos, movimento e comunidade que fazem
parte.

Objetivo secundário do projeto é proporcionar uma maior integração nas
comunidades e nos movimentos onde estas formações e produção de conteúdo
possam ocorrer, é de se esperar que, após a formação e produção destes
conteúdos, exista um retorno para as comunidades e movimentos. Atividades
públicas de exibição integradas com outras atividades socioculturais podem
permitir esta integração.

 TVCMI-SALVADOR

A TVCMI-Salvador é um subprojeto dentro do projeto Estúdio TV Livre, além de
produzir conteúdos relacionados às lutas sociais, à realidade diária de
comunidades e trabalhadores, e de ser um meio para denunciar todo meio de
opressão, na perspectiva de construir um mundo melhor, sem exploração, sem
violência, sem opressão e não capitalista (tudo segundo os princípios e
objetivos do CMI), a TVCMI-Salvador será um laboratório onde os voluntários
poderão aprender e por em prática aspectos teóricos já adquiridos. Neste
laboratório, serão formados os voluntários que irão empreender a tarefa de
capacitar outras pessoas de outros grupos, movimentos e comunidades.

 MEIOS E RECURSOS NECESSÁRIOS

O CMI-Salvador já produz conteúdo audiovisual, com severas dificuldades por
não possuir equipamentos próprios. Esporadicamente, nos valemos de
equipamentos emprestados, quando torna-se possível fazer algumas coisas.
Isso significa que, com muito pouco, já é possível fazer algo, mas temos o
objetivo de ter uma estrutura melhor, principalmente porque só assim
poderemos capacitar e permitir que outros também produzam. Isso passa, é
claro, pelo aspecto de obtenção de recursos e os meios para isso. Somos um
coletivo independente, que não é financiado por nenhuma entidade ou
organismo externo (partidos, entidades, ONGs, empresas, igrejas, etc), isso
porque prezamos pela nossa autonomia, e ser financiado por tais entidades,
mesmo que não imediatamente, em algum momento significaria submeter-nos aos
interesses destas. Resta-nos, como forma de financiamento, meios próprios,
eventos, campanhas de arrecadação de recursos, e doações individuais.

Por isso, sabemos que não obteremos, de imediato, recursos para iniciar o
projeto com tudo que achamos necessário, mas isso não nos imobiliza, e
estaremos fazendo o necessário e o possível de acordo com os recursos que
tivermos no momento, e para adquirí-los, faremos campanhas para comprar
câmeras filmadoras, para montar uma ilha de edição, e para obtermos todos os
outros equipamentos necessários.

 NÃO PARTICIPAÇÃO EM EDITAIS

Este projeto não será submetido ou modificado para atender a editais
quaisquer, toda doação ou contribuição será feita de forma individual e
pessoal, não gerando qualquer expectativa por parte de quem doa em
condicionar como tais contribuições serão utilizadas, não gera também
nenhuma obrigação do coletivo prestar conta ou esclarecimentos. É objetivo e
compromisso do coletivo CMI-Salvador a sinceridade, e a utilização dos
recursos arrecadados nos termos que constar nas campanhas para adquirir
equipamentos e como consta neste projeto.

 PERGUNTAS FREQUENTES (FAQ) *(Em Construção...)*

*1- O projeto Estúdio TV Livre tem alguma coisa a ver com o estudiolivre.org
?*

 *R: Não, não tem nada a ver.*

*2- O projeto Estúdio TV Livre só produzirá conteúdo para TV?*

 *R: Não, toda forma de audiovisual é possível de ser desenvolvida.*

*3- Tenho um equipamento que não uso mais, vocês aceitam como doação?*

R: Sim, claro, somos carentes de equipamentos, e mesmo que estejam com
pequenos defeitos podem nos interesar,

 temos técnicos no coletivo que concertam qualquer coisa.
https://docs.indymedia.org/Local/EstudioTVLivreCMISalvador


http://www.vakinha.com.br/Vaquinha.aspx?e=34563



-- 

"O que mais preocupa é que o Flamengo é o Flamengo."
                                                            Alfredo Sampaio,
técnico.
_______________________________________________
PSL-BA mailing list
PSL-BA@listas.dcc.ufba.br
https://listas.dcc.ufba.br/mailman/listinfo/psl-ba

Responder a