Edisio Brandão escreveu isso aí:
> Olá Terceiro,

Oi Edisio,

> O seu entendimento está correto.

Era o que eu temia. Citando a definição que você mandou sobre APL:

> Arranjo Produtivo Local: Conjunto de empresas afins que atuam num
> mesmo segmento econômico compondo um ambiente favorável à disseminação
> da cultura associativa na qual se predomina a relação de parceria e de
> cooperação e onde as organizações reconhecem que possuem recursos,
> expertises e conhecimento, e que, trabalhando juntas, reduzem os
> custos de suas transações, melhoram o seu desempenho na área de
> atuação, minimizam as desconfianças mútuas e promovem o
> desenvolvimento.

Fala-se de "cultura associativa", de "cooperação", e de "trabalhando
juntas". Mas cooperativas, que na prática são empresas coletivas onde
essas coisas são princípios, não podem participar de um edital público
como esse.

Existe algum motivo especial para que empresas "tradicionais" possam
participar e cooperativas não possam?  Será que a FAPESB enquanto
insitituição estaria aberta a um debate sobre isso?

OBS: eu imagino que não seja você quem escreve os editais, então não
tome isso como algo pessoal. ;-)

-- 
Antonio S. de A. Terceiro <[EMAIL PROTECTED]>
http://www.inf.ufrgs.br/~asaterceiro
GnuPG ID: E6F73C30


_______________________________________________
PSL-BA mailing list
PSL-BA@listas.im.ufba.br
https://listas.im.ufba.br/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-ba

Responder a