Noticia retirada do blog meiobit
 
Os Web Services, base da web 2.0 são uma co-criação da Microsoft, sendo que até então seu status legal estava nebuloso. Em um movimento ousado, Redmond não só tornou públicos os direitos de uso da especificação, como contou com a ajuda da comunidade (incluindo Red Hat) para redigir o documento onde declaram suas intenções.

São 35 especificações técnicas, que envolvem tecnologias como WSDL, SOAP e WS-*, familiares a todos que desenvolvem para Web.

O surpreendente é que a tecnologia em si é agnóstica, Webservices podem ser implementados em qualquer linguagem ou sistema operacional (decentes, não conheço WS em Windows 3.11). Mais ainda, no boletim onde a decisão é tornada pública, a empresa se compromete publicamente a não exercer qualquer direito de propriedade sobre a produção, venda, distribuição ou utilização de webservices em qualquer tipo de software, incluindo comerciais.

A reação do mercado de desenvolvimento tem sido bem positiva, pois a padronização dos webservices é crucial para a própria existência da tecnologia. A Red Hat, uma das participantes disse:

"(...) Parabenizamos a Microsoft por seus esforços em alcançar os representantes da comunidade open source e solicitar seu feedback, além de sua boa vontade em fazer modificações em resposta a nossos comentários"

Felizmente fizeram isso com os Web Services, que são uma tecnologia legal. Imagine se abrissem o ASP ;)



--
Rafael Brito Gomes
Sistema de Informação
Universidade Salvador

Linux User - 430086

Meu Blog
http://rafaelgomes.wordpress.com/

Blog do Sinot
http://sinot.wordpress.com/

III Festival de Software Livre
http://festival.softwarelivre.org/
_______________________________________________
PSL-BA mailing list
PSL-BA@listas.im.ufba.br
https://listas.im.ufba.br/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-ba

Responder a