Olá

Então, com as empresas que estão participando do programa do programa
"Computador Para Todos" pedindo o dual-boot é de se perguntar porque
eles estão fazendo isso. Podemos dizer que a Microsoft está fazendo
lobby para que seja instalado o Windows, de forma a manter sua posição
dominante. Sim, podemos, contudo fico pensando na complexidade que é
ficar procurando fabricantes, fazendo pressão, tudo de forma oculta,
por debaixo dos panos, etc, etc. Creio que nesse caso o melhor mesmo é
apelarmos para a navalha de Occam...

E qual seria o corte? Bem, eu acredito que tanto a Positivo (que foi a
empresa que divulgou que das máquinas instaladas apenas 1/4 estão com
o SO original) como as outras empresas que estão participando do
programa são empresas com fins lucrativos que viram que boa parte dos
usuários instalaram Windows e que estão tendo, por conta disso,
problemas nos seus call-centers de suporte. Acredito que o que as
empresas que estão participando do projeto estão querendo é se valer
do Suporte Microsoft pros casos de pessoas que tiraram o Linux e
preferiram usar o Windows, além do que eles sabem que se o computador
vier com Windows instalado, que é o sistema operacional que o usuário
está acostumado a usar no trabalho ou na escola, a chance de venderam
mais aumenta consideravelmente. Sim, só isso, não vejo nenhuma
conspiração maléfica do Grande Demônio Monopolista do Império do Mal,
nada disso. Sim, pode ser ingenuidade minha.

Ok, e se a pressão for as empresas chegarem e dizerem "Olha, se é
assim, só Linux, para nós não vale a pena. Estamos com clientes
insatisfeitos, a nossa marca está sendo queimada por causa disso,
nosso suporte é sobrecarregado por conta de atendimentos que não
podemos fazer. Assim sendo, não vale a pena continuarmos a vender
computadores assim e estamos fora."? Certo, vai ter gente dizendo "Que
essas empresas se danem, melhor para as que estão seguindo à risca o
que foi contratado!", mas é de se pensar se radicalismos aí podem
acabar não contribuindo para o programa virar história.

Pois é, fico então com uma pergunta no ar: caso a pressão seja muito
grande para a implementação de dual-boot no programa Computador Para
Todos será que não seria interessante o Governo Federal responder com
algumas exigências? No caso:

- o Windows a ser instalado não pode ser restritivo, como é o caso do
 Windows XP Starter Edition, que permite apenas três programas por
 vez, tendo cada um direito a três janelas, ou seja, limite máximo de
 nove janelas em execução.

- Devem estar disponíveis também na partição Windows todos os software
 que estão na partição Linux e que constam do ANEXO II À PORTARIA
 MCT No  624, DE  4  DE OUTUBRO DE 2005, item b.2 em diante
 http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/17040.html

- Esses softwares devem ser preferenciais, de forma que quando o usuário
 por exemplo, clicar sobre um .doc o editor que funciona em ambas as
 partições abra

Pronto, podem mandar as pedras.

[]'s
Charles - [EMAIL PROTECTED]
http://www.charles.pilger.com.br
ICQ 306563363 MSN [EMAIL PROTECTED]
"Antes, eu era meio quieto, calado, o conhecimento era meu,
eu era um software proprietário. Agora, quero espalhar o que
sei e mostrar que, da forma como eu evoluí, muitos outros
podem crescer." - Cleber de Jesus Santos
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a