On Jul 13, 2006, "Olival Gomes Barboza Júnior" <[EMAIL PROTECTED]> wrote:

> Oliva (putz, quase escrevi meu nome no lugar do seu . . . :-)),
> On 7/13/06, Alexandre Oliva <[EMAIL PROTECTED]> wrote:
>> 
>> liberdade, devo me posicionar contra o projeto FreeBSD, pelas mesmas
>> razões.  Fazer diferente seria injusto e incoerente com minha postura
>> e com a ética da liberdade.


> Eu fiz uma observação com uma leve ironia na msg anterior, mas realmente
> gostaria de entender melhor qual a postura da FSF Latin America com relação
> a Red Hat na questão das versões "enterprise" de seus produtos. Ainda q de
> fato seja simples ter acesso ao fonte, recompilá-lo retirando as referências
> às trademarks, etc e tal, gerando os clones estilo CentOS ou White Box, não
> haveria uma contradição com o espírito da GPL ao impedir a redistribuição
> dos binários?

Não vejo qualquer impedimento à redistribuição dos binários na EULA.
Se houvesse, seria não apenas uma contradição com o espírito, mas
também com a letra da GPL.  De onde vem esse alegado impedimento a que
você se refere?

Para referência, selecionei os trechos relevantes da EULA do Red Hat
Enterprise Linux 4 U3.
1.  The Software.  Red Hat Enterprise Linux (the “Software”) is a
    modular operating system consisting of hundreds of software
    components.  The end user license agreement for each component is
    located in the component's source code.  With the exception of
    certain image files identified in Section 2 below, the license
    terms for the components permit Customer to copy, modify, and
    redistribute the component, in both source code and binary code
    forms.  This agreement does not limit Customer's rights under, or
    grant Customer rights that supersede, the license terms of any
    particular component.

2.  [...] The “Red Hat” trademark and the “Shadowman” logo are
    registered trademarks of Red Hat in the U.S. and other countries.
    This agreement does not permit Customer to distribute the Software
    using Red Hat's trademarks.  Customer should read the information
    found at http://www.redhat.com/about/corporate/trademark/ before
    distributing a copy of the Software, regardless of whether it has
    been modified.  If Customer makes a commercial redistribution of
    the Software, unless a separate agreement with Red Hat is executed
    or other permission granted, then Customer must modify the files
    identified as “REDHAT-LOGOS” and “anaconda-images” to remove all
    images containing the “Red Hat” trademark or the “Shadowman” logo.
    [...]

6.  Third Party Programs. Red Hat may distribute third party software
    programs with the Software that are not part of the Software.
    These third party programs are subject to their own license terms.
    The license terms either accompany the programs or can be viewed
    at http://www.redhat.com/licenses/.  If Customer does not agree to
    abide by the applicable license terms for such programs, then
    Customer may not install them.  If Customer wishes to install the
    programs on more than one system or transfer the programs to
    another party, then Customer must contact the licensor of the
    programs.
> Acho q vale a pena lembrar q parte significativa da proposta de valor da RH
> é a qtd de softwares **proprietários** certificados para rodar sobre ele

Para quem quer rodar os tais softwares proprietários, sim.  Não vejo
que isso seja culpa ou mesmo estratégia da Red Hat.  Feliz ou
infelizmente, é uma opção para os usuários, ainda que seja uma opção
que eu condene.

> (inclusive, a própria questão do ciclo de desenvolvimento mais longo foi
> destinada a atender aos produtores de software proprietário). Não seria algo
> contraditório com o espírito da FSF contribuir com uma empresa q produz algo
> sobre SL e capitaliza em cima disso, mas busca atender ao mercado de
> software proprietário?

Concordo que haveria uma contradição se a suposição de sua afirmação
fosse verdadeira, mas não vejo que o alvo da Red Hat são esses
mercados proprietários.  Pelo contrário, a Red Hat trabalha para
tentar oferecer soluções que resolvam os mesmos problemas que os
softwares proprietários que os clientes utilizam, para que eles tenham
a opção de serem livres e que a Red Hat possa lhes oferecer suporte
por esses componentes.

> Embora eu até ache interessante o modelo de negócios da RH, no sentido de q
> permitiu à empresa ter uma operação rentável, porém não impediu o
> compartilhamento do conhecimento, o fato é q o modelo de negócio fica
> praticamente igual ao do licenciamento tradicional (em termos financeiros),

Os termos financeiros não importam.  Mesmo que fosse muito mais caro
que o licenciamento proprietário, o modelo proprietário continuaria
anti-ético e o licenciamento livre continuaria ético.  Não confunda
liberdade com gratuidade ou baixo custo, não se deixe na armadilha
daqueles que querem que você desvalorize sua liberdade.

> tanto q vi inúmeros editais do governo brasileiro (imagino q incorretos, mas
> o fato é q estão em diversos DOUs por aí - e já foram homologados)
> anunciando pregões para aquisição de licenças (sic) de Red Hat Advanced
> Server, etc. Se a empresa não comercializa licenças, como pode alguém
> conseguir licitar isso?

É um absurdo mesmo.  Vamos tentar impugnar esses editais quando
saírem, para que, ao invés de determinar o fornecedor específico,
estabeleçam requisitos e/ou justifiquem muito bem a preferência, e
deixem claro que não buscam adquirir licenças, mas contratar serviços.

> Passei um aperto onde trabalho para fazer o pessoal de TI e de  compras
> entender q qdo compramos distribuições corporativas, licitamos serviços,
> eventualmente chamados de "subscrições" (e, infelizmente, os próprios
> fornecedores tbém não estavam muito bem preparados para sanar essas dúvidas,
> normalmente gerando mais confusão). Como o processo ainda está correndo,
> provavelmente ainda terei de bater um papo com o jurídico tbém (q não é dos
> mais simpáticos a SL). Já estou até vendo alguém questionando pq estou
> levantando a bola de "subscrições" qdo há gente comprando "licenças" de SL
> por aí (no governo).

Vamos dar passos na direção correta que um dia a gente chega lá.  Não
precisa tentar resolver todo o problema de uma vez.  Às vezes
conhecimento sobre um bom exemplo é tudo que alguns precisam para
fazerem a coisa certa.

> Sem falar q só explicar pq não posso redistribuir algo montado sobre
> tecnologias livres já vai ser um trabalhão .  :-)

Você pode distribuir a tecnologia livre em si.  Isso não
necessariamente implica que você possa distribuir algo montado sobre
ela :-)  Cuidado com a escolha das palavras.  Sei que não foi isso que
vc quis dizer :-)

-- 
Alexandre Oliva         http://www.lsd.ic.unicamp.br/~oliva/
Secretary for FSF Latin America        http://www.fsfla.org/
Red Hat Compiler Engineer   [EMAIL PROTECTED], gcc.gnu.org}
Free Software Evangelist  [EMAIL PROTECTED], gnu.org}
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a