Em 11/09/2006, às 02:27, Alan Kelon Oliveira de Moraes escreveu:

sobre ser ou não comercial, não é o foco. o contexto pode ser de cunho social, político, pedagógico, e, obviamente, também comercial. estou interessado em saber como a gente bota uma comunidade open source para [re]fazer o sistema de controle de tráfego aéreo do aeroporto de recife. este sistema tem especificação definida e qualidade esperada, ou seja, os aviões não devem começar a cair depois que ele começar a rodar.

obviamente, as pessoas envolvidas seriam pagas, se quisessem... ou fariam pelo prazer de libertar o código no controle espacial nacional? sim? não? o código é free, libre, open, public domain... rola? por que sim? por que não?


Qqr estudo sobre desenvolvimento de FLOSS passa necessariamente pela motivação dos desenvolvedores, bem como pela natureza dos projetos. Uma coisa são os inúmeros projetos no estilo "scratch my own itch" q acabaram envolvendo muita gente pq muitos sofriam do mesmo comichão, outra totalmente diferente são os produtos estruturados e desenvolvidos no estilo catedral q acabaram por ser abertos por um motivo ou outro (vide Blender3D).

Assim, IMHO, para saber como colocar uma comunidade FLOSS para fazer algo tão específico e com stakeholders tão delimitados é preciso perguntar primeiro: p q alguém q não use o aeroporto de Recife iria despender recursos em um projeto deste tipo?

Ou, encarando de outra forma, a pergunta poderia ser: vale a pena uma empresa de desenvolvimento criar um software de controle de tráfego aéreo com licenciamento FLOSS?

Se essa definição estiver clara, acho q o escopo do trabalho tbém fica mais bem delimitado.

[ ]s,

OJr._______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a