Meus caros companheiros e amigos,

Não li todo o seu texto Marcelo.
O bom da parte que vi, foi que vc se "RENDEU" a verdade insofismável
da defesa feita pelo Jesulino a respeito da política e seus
efeitos.Excelente texto, ao qual assino embaixo e fui incapaz de
escrever algo tão completo e com tanta clareza.Jesulino vc foi demais.
Marcelo, não é nenhum desdouro se render a argumentos e ter de deixar,
de lado, uma opinião, uma fala como a que vc fez. Não tente dourar a
pílula, arrumar tangentes, ramais, explicações, simplesmente dê a mão
à palmatória.Isto é lindo,Todos erramos, não podemos é continuar
errando e ou ficar emocionalizados a ponto de xingarmos uns aos outros
neste assunto tão vital da vida
Cansei de pedir aqui pra procurarmos os candidatos majoritários de
todos os partidos, no mínimo eles, para conversas sobre o SL.Houve
apenas procura de Sérgio Amadeu, Paulo Teixeira, Simão Pedro e uma
mulher ao então prefeito Serra para ir ao FISL7.
Foram criticados até sei lá o que. Eu fiquei maravilhada com a
maturidade deste grupo.
Eu conversei com Cristovam e fiquei nisto, porque tais conversas não
devem ser feito por uma pessoa só, embora seje melhor uma conversando
do que nenhuma.
Venho reclamando o qt somos inorgânicos e ausentes,falamos muito e
agimos de menos,ex pra haver o Amicus Curiae foi barra em todos os
aspectos e sentidos por meses, e se não fosse ter alguns de nós com
muita garra, despeendimentos, arrumar jeitinhos tudo éticos mas
jeitinhos,e ter o IBDI, """HOJE""" não estaríamos dentro do SUPREMO
com possibilidades de ganhar espaços e a questão mais séria, evitar
pechas negativas para com um assunto tão formidável
Não podemos ser OMISSOS, mornos, isto é pra desfibrilados, para os não
conscientes e que defender a meritocracia, o bazar, a liberdade.
Quem não se une de verdade e pra valer em prol de uma causa e um ideal
e arrume meios para tais defesas, só sabe é dar espaço ao outro lado
da meia noite, ou seja a M$ da vida, que sabe investir nos seus
interesses, com métodos que não aceitamos e usamos -não vamos
usar/aderir pra sermos vitoriosos, mas que se têm mostrados eficazes.E
se não temos uma ação dentro de nossos moldes e que possam ser tão
eficazes ou mais...ai...é ser perdedor de per si.
Então é hora de uma autocrítica coletiva da melhor espécie possível e
folgome em saber que NESTA não estou só, incluindo ai muito o
entendimento de política.
Temos de procurar sim a eficácia e a eficiência como comunidade de SL
e em todas as vertentes e direção. Menos é...não querer ver sonhos,
teses, valores conquistarem , cada vez mais, mentes, corações,
práticas e fazer uma grnade diferença EVOLUTIVA, a qual devamos
perseguir sempre como seres humanos que somos.
Não estou passando muito bem, talvez nem consiga ir a Beagá votar o
que vai me matar de tristeza, porque votar me é extremamente caro.Mas,
como não tenho condição de ir de avião, tenho de encarar um buzum por
10 hs, tenho tb de ter juízo e não ir alem dos meus limites.Sei que
estou assim, muito porque vivi o estresse de ter ficado sem dinheiro
de tudo e pensar que tenho de ir votar, sem ter o como e etc.Quero ver
e conhecer os meninos que organizam o EMSL, ver outras coisas do tipo
em Minas, minha terra amada.
Desejo a todos bons votos conscientes e responsáveis e que não tenham
entraves para irem votar.
E vamos deixar de baboseiras.
Marcelo, pra vc continuar exercendo um tom que se é ouvido,sê simples
e direto, sem muitas explicações no presente caso e assunto e fique
bem.Evite achar e apontar erros agora e ou falar em excessos dos
outros, a não ser se for de si mesmo em verdadeira e sincera
autocrítica construtiva para si e para o coletivo..
Beijões,
Ada


On 9/29/06, Marcelo D'Elia Branco <[EMAIL PROTECTED]> wrote:
Edgar, e demais...

Em Qui, 2006-09-28 às 19:05 -0300, Edgard Piccino escreveu:
> Jesulino,
>
> Muito lúcida sua mensagem. Concordo plenamente com as suas colocações.
> Temos que identificar os candidatos que apoiam o software livre,

Esse trabalho poderia ter sido feito com a criaçao de um wiki onde todos
membros desta lista pudessem apontar os canditados que conhecem
comprometidos com o software livre para uma divulgaçao ampla e
igualitária. Concordo, mas nao fizemos isso. Falhamos em criar um espaço
igualitário e democrático para um debate deste porte...teria sido
saudável e politizador.

>  independente dos partidos, e é justo que troquemos informações sobre
> estas candidaturas. Isso não é partidarizar nada, mas é politizar o
> debate no melhor sentido.

Politizar o debate isso é necessário. Nem sempre numa disputa eleitoral
conseguimos politizar, o que seria o ideal. Muitas vezes açoes em
vésperas de eleiçoes ajudam a despolitizar o debate pois o marketig
político de um candidato vincula a mensagem mais ao nome e número do
candidato do que ao conteúdo das propostas.
Também num espaço público como esse, nao podemos no meu entender, criar
espaços privilegiados para alguns candidatos em relaçao a outros pois
isso criaria uma dinâmica anti-democrática. E nem seria saudável
imprimirmos uma lógica individualista de disputas entre os membros da
comunidade pertencentes a esta lista, com cada um divulgando o seu
candidato, repetindo a divulgaçao várias vezes como ocorreu. Imaginem se
as centenas de membros desta lista resolvessem agir desta forma em cada
eleiçao: meses antes de cada disputa essa lista se inviabilizaria...acho
que a tendência seria a despolitizaçao do debate...

>  Precisamos de apoio parlamentar, e eleger deputados que apoiam a
> nossa causa só pode ser positivo para o software livre e para a
> inclusão digital.

Concordo plenamente...aqui nao temos divergências...

> Por este motivo sou contra a censura a este tipo de discussão, e
> considero salutar que ela exista.

Eu também sou contra a censura e acho que ninguém aqui censurou ou
defendeu a censura. Foram opinioes divergentes de COMO fazer as coisas
neste espaço público e qual seria dinâmica seria mais interessante para
o crescimento político de todos nós.

Eu continuo achando que a forma como foi vinculada a propagando dos
candidatos que tu apoias, e a menos de uma semana das eleiçoes, nao
contribuiu para a politizaçao nem para o debate das idéias. Além disso,
se comprovou na prática que isso tudo imprimiu uma dinâmica negativa na
lista de desagregaçao.

Sem falar nas desqualificadas baixarias que assistimos por aqui depois
do post original . Do apoio de lideranças importantes do movimento a
forma desqualificadas e baixa de tratarmos nossas divergências.

>  Partidarizar não, politizar sim!

Sim concordamos com isso.
Mas continuo achando que estes objetivos nao foram alcançados.

Eu sou fundador e ainda (apesar dos desvios graves que alguns membros
optaram nos úlimos anos) continuo filiado a um partido político. Claro
que tenho meus candidatos a deputados (federal e estadual), senador,
governador e Presidente. Todos eles estao comprometidos com a causa do
software livre e isso está no programa de governo deles ou na webpágina
do candidato proporcional. Alguns deles estao comprometidos com isso
desde o final do anos 80.

Mas num espaço público restrito, como esta lista, que tem objetivos mais
ou menos definidos, a "forma" de divulgarmos as idéias e propostas de
candidatos deveriam ser mediadas por procedimentos básicos da
democracia: oportunidades iguais, critérios de divulgaçao etc e nao na
regra de quem "posta" mais "pode" mais.
Imaginem se num espaço de divulgaçao (jornal, informativo ou páginaWeb)
da CUT, de um sindicato ou de uma associaçao comunitária alguns de seus
membros resolvessem divulgar e chamar o voto, com número e nome, ao seu
candidato preferencial alguns dias antes das eleiçoes, sem debate
prévio. Eu acho que isso nao seria correto para a "autonomia necessária"
do movimento frente aos partidos ou candidatos.

Outra coisa seria, depois de uma debate com regras claras e
oportunidades iguais, essa entidade do movimento resolvesse divulgar uma
lista com todas as opçoes comprometidas com a "causa" para que os seus
associados pudessem optar livremente.

Entao a nossa diferença NAO está em politizar ou nao politizar o debate.
Se é importante ou nao termos parlamentares comprometidos com o software
livre. Se temos que divulgar, ou nao, TODOS estes parlamentares para que
os eleitores possam soberanamente se posicionar.
Nossa diferença parece estar em COMO utilizarmos os espaços do movimento
com igualdade de oportunidades, pluraridade sem ferir a "autonomia
necessária" deste movimento diante dos partidos, do Estado, das empresas
privadas, das igrejas etc.
Essa é a minha visao, minha formaçao politica a respeito de COMO devemos
construir um movimento social autônomo e forte. E no caso do Projeto
Software Livre Brasil, e de seus espaços de interlocuçao social como
esta lista, meu pensamento se aplica desta forma.

Eu nao acho que o PSL-Brasil seja um espaço eventual, descartável, ou
mais um espaço do movimento. Mas aposto e invisto prioritáriamente
minhas energias como ativista voluntário, desde o início, na construçao
deste projeto coletivo - PSL-Brasil. Ainda continuo acreditando nessa
possibilidade.

Boa sorte para os teus e os nossos candidatos no domingo.
Respeito também aqueles que irao votar em outros candidatos ou aqueles
que irao anular ou se abster nas eleiçoes. Isso é a democracia.

Marcelo Branco


_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a