Salve!

Em 12/10/2006, às 15:46, Gustavo Noronha Silva escreveu:
Então, depois fui olhar lá; acho que o que você colou já esclarece
tudo, junto com o que o Oliva disse. A idéia não é fazer um fork
propriamente dito, como você pode ver, mas ter uma 'distribuição' de
firefox que não inclua software proprietário e nem o branding
"trademarkeado".


Pode ser, mas percebi q há pelo menos duas coisinhas diferentes por padrão no IceWeasel q eu não sei se são exclusivas dele ou não (o lance dos URLs reescritos e outro q não lembro agora). Se forem exclusivas e a implementação não for realizada através de plugins, já temos um fork, pequeno, mas ainda um fork.


Eu não conheço ele pelo nome; ele pode não ser um mané, mas o artigo
dele é completamente misguiding e desinformado.

Não diria tanto, mas acho q esta é uma daquelas coisas em q a gente concorda em discordar. :-)


Acho que muito pelo contrário. Tem muita gente fazendo coisas que não
são exatamente para que ele próprio use. Eu mesmo faço um pouco disso o
tempo todo.

Ok. Acho q faltou o "a elaborar" q eu tinha comentado. Qdo eu disse "particular", não me referia a "um indíviduo" (me expressei mal mesmo). O q eu acho é q a própria natureza e as liberdades fundamentais do SL vão sempre deixar margem pra um nicho de usuários fazer um fork com "aquela funcionalidade" q ninguém mais tem interesse (em especial os core developers). Isso é uma das vantagens fundamentais do SL, já q vc não tem essa possibilidade no mundo proprietário, mas pode dar margem a alguns esforços q podem ser considerados desperdício de energia por alguns. Me ocorre de cara um papo há algum tempo de um grupinho q estava querendo soltar uma versão Klingon do OpenOffice.org. Estão no direito deles e as liberdades fundamentais do SL permitem isso (e não chega a ser um "fork", mas acho q ilustra bem a questão), mas há quem considere desperdício de energia q poderia estar direcionada de forma mais produtiva.


E aposto que a Free Software Foundation não está bancando o
desenvolvimento de plugins de flash e "java" livre (além do iceweasel)
porque eles precisam desesperadamente sanar alguma coceira deles
próprios.

Aqui eu discordo um pouco. A "coceira particular" da FSF é levar o SL para a maior qtd de pessoas o possível. Plug-ins livres são uma forma bem pé-no-chão de fazer isso. Admito q é um exemplo de "coceira particular" beeem "coletiva", mas o fato é q eles estão basicamente sendo coerentes com a missão da Fundação.


Você tem de lembrar que o objetivo de muita gente não é ter o maior
número de usuário, mas garantir a maior liberdade. =)

Claro! E aqui vc volta ao ponto das liberdades fundamentais: há uma variedade enorme de interesses sob o manto da FSF e da OSI, o q é perfeitamente legítimo levando em conta a definição de SL, mas, curiosamente, nem sempre esses interesses são tão alinhados assim . . .

Particularmente, acho q há espaço pra todo mundo, mais ou menos como o fato de existirem centenas de distribuições não levou à tão temida "balkanization" do produto (pelo menos no pior sentido da palavra), no máximo à "especialização" dos nichos de cada distribuição. Assim, temos espaço pra quem quer garantir a maior "liberdade de software" e para quem quer "o melhor produto livre". :-)

[ ]s,

olival.junior_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a