On Dec 13, 2006, "Olival Gomes Barboza Júnior" <[EMAIL PROTECTED]> wrote:

> On 12/13/06, Lucas Arruda (llbra) <[EMAIL PROTECTED]> wrote:
>> http://www.engadget.com/2006/12/12/switched-on-the-100-laptop-challenge-ebay-style/

> Mas, essa é uma daquelas comparações entre laranjas e maçãs. Os notebooks
> citados *não* atendem às características do OLPC, começando pela questão da
> bateria e tamanho (afinal, são crianças q vão carregar o produto por aí), e
> certamente têm uma vida útil reduzida.

+1

A busca começa errada por supor que a máquina do OLPC é pra ser
encarada como um mero computador.

Deixa eu tentar encaixar um pedaço da conversa particular que
continuou com o Luiz Queiroz, depois que ele me respondeu...

  O Computador para Todos pode servir muito bem como um computador
  para laboratórios de informática nas escolas.  Mas o foco dele é
  completamente outro.  O OLPC não é um computador para escolas.  É um
  assistente de ensino em forma de computador portátil.  Tentar
  enxergá-lo sob o prisma de computador é limitar a visão sobre o que
  essa máquina se propõe e é capaz de fazer.


  A iniciativa de adotar o OLPC por certo vem [...] de pessoas que
  (imagino) conseguiram captar o potencial do projeto, mas que têm
  falhado em comunicá-lo, e aí a coisa vira essa esculhambação de quem
  consegue o computador mais barato pra colocar na mão dos alunos,
  esquecendo que uma das partes mais importantes do projeto não é o
  hardware, mas o software.  Que a rede sem fio que esses notebooks
  vão formar, do tipo Mesh, nenhum concorrente tem.  Que o nível de
  consumo de energia, as possibilidades de alimentação de energia para
  localizações em que não há energia elétrica, ou ela não é confiável,
  foram todas pensadas desde o início.  Que a tela foi projetada para
  ser legível com conforto em muitas posições e muitos níveis de
  iluminação diferentes, para que a máquina possa ser usada tanto como
  livro como quanto computador em diversas condições.

  O projeto foi concebido como ferramenta educacional para países em
  desenvolvimento, desde o início.  Os concorrentes são adaptações de
  tecnologia existente para tentar competir no mesmo nicho, mas sem
  chegar nem perto de captar a dimensão e o escopo do projeto feito
  até aqui.  Falam em MHz e GiB para tentar impressionar os bobos que
  acreditam que quanto mais melhor, mas falham nos aspectos mais
  básicos de ergonomia e confiabilidade de componentes.
  
De fato, confiabilidade de componentes é o que você não vai achar em
componentes que foram de prateleira anos atrás, que hoje se encontram
no eBay por US$100.  Dor de cabeça não é item embutido no OLPC ;-)

-- 
Alexandre Oliva         http://www.lsd.ic.unicamp.br/~oliva/
FSF Latin America Board Member         http://www.fsfla.org/
Red Hat Compiler Engineer   [EMAIL PROTECTED], gcc.gnu.org}
Free Software Evangelist  [EMAIL PROTECTED], gnu.org}
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a