Em 07/01/2007, às 22:57, Pablo Sánchez escreveu:

Desculpe Ada e Olival, citar os casos distintos no mesmo texto os colocou no mesmo nível, quando obviamente não o são. Rita e Gretchen fizeram deliberadamente o que fizeram, Cicarelli não tem nada a ver com esse tipo de video, pegou mal o que eu disse, e retiro a triste comparação mal feita por mim.

Aliás, como vc ficou sabendo desses vídeos no pornotube?  ;-)

Brincadeirinha . . .


Agora, quanto à questão de transar em público e hipocrisia: nunca o fiz na forma que a autora o fez. Sempre em barraca de camping, ou se muito, dentro de carro com vidro fumê, quando eu era muuito mlq e ainda ganhava um

He He He He . . . Cuidado q daqui a pouco vamos começar a discutir os lugares mais bizarros onde já se fez sexo . . . Como estou em Brasília desde antes da remodelagem do Pontão e desde antes dos seqüestros relâmpagos, qdo ainda era relativamente seguro ficar de madrugada na rua, conheço muitas histórias bem mais "picantes" do q o vídeo da Cicarelli. Convenhamos, aquilo ali foi até discreto. Só um paparazzi com uma câmera com teleobjetiva mesmo para entender o q aquele casal lá no meio da água estava fazendo (poxa, eles estavam com água até os ombros, sabe q distância da costa vc tem de estar pra isso acontecer?).

essa, realmente Cicarelli infelizmente não pode negar que deu MUUUITO mole em fazer tal ato em local público e não verificar o mundo que a cercava, o mesmo cara a tarde inteira filmando-a. Que alugasse um barco e fosse longe, se a qustão era transar no mar.

Agora, nisso eu concordo (em parte). Ela "deu mole", mas isso de paparazzis terem sempre direito a mostrar o q quer q seja em nome da liberdade de imprensa muitas vezes me parece um abuso. Poxa, o cara filmou a centenas de metros de distância. Para se prevenir disso, só com olhos de águia. E a TV espanhola colocou no ar com direito a montagem e transições para frisar as "fases" da situação. Em q isso agrega aos valores dos telespectadores deles?

É como o caso da Princesa Diana: os caras vêm o acidente e param para fotografar a mulher agonizando, ao invés de buscar socorro. Sei q acabaram inocentados de qqr acusação mais séria, mas não vi nenhuma negação de q este tenha sido o comportamento dos sujeitos.


Voltando ao foco REAL da questão: ME SINTO NA CHINA! Lá sim bloqueiam-se sites inteiros. Agora aqui também vai ser assim?

Este é o problema real. Uma decisão como a tomada pelo tal juiz do caso pode mesmo ser levada às últimas conseqüências em sua execução? Agora, vamos tomar cuidado pra não confundir o bloqueio na China, q evita basicamente qqr coisa q fuja à ideologia do governo local, com o bloqueio q foi realizado neste caso, q parece muito mais excesso de zelo de um provedor específico (já q só o BrT está com problemas).

Por outro lado, não dá pra deixar de ter uma sensação de q não se perde muita coisa com o bloqueio do YouTube. A preocupação mais séria seria mesmo com o precedente q isso abre ao bloqueio de sites com base em seu conteúdo editorial.

[ ]s,

olival.junior_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a