Oliva,

Em parte discordo de vc e podemos debater mais e melhor a este respeito,
aliás devamos fazê-lo.
Nada demais e ou de errado,vide causas como as da reforma agrária, índios,
meio ambiente, etc receberem apoios tb materias de países mais ricos e mais
organizados devido a pioneirsmos e ou melhor gerência.
Num mundo virtual, da internet, aldeia global, e de compartilhamentos, todos
influem em tudo e em todos numa enorme confluência e conhecimento, portanto
não vejo porque uma separaão geográfica tão forte. E, depois, é como o
Julian disse, Brasil tem peso geopolítico, apoiá-lo em termos de início de
jornadas deste tipo, por que não??
É até estratégico.
De outra sorte e modo, só gasta mal quem não sabe gastar, investir, e
quetais.
Mesmo dim dim brasileiro, tem-se de ter melhor gestão, sempre poderá ser
gasto mal parcos recursos pingados penadamente.
Desculpe-me, mas recursos, venham de onde vierem, e de que tamanho forem,
precisa de boa gerência, excelente palno estratégico de ação e todo um etc.
Sou super fã do Rogério Santanna, mas se tem um ítem que dele discordo
veementemente e de público, foi ele ter castrado ações do Sérgio Amadeu em
conseguir orçamento de 200 milhões para o SL. Sem grana, nada feito. Melhor
exemplo nos dá o Chávez colocando 52 milhões de DÓLARES para capacitação em
SL num único centro. Isto é esforço em escala
E o q temos???Nem os magros 110 mil dólares para o acordo com o PNUD Nova
York.
Parabenizo os esforços de trabalho do ITI com o INSS se juntando à grande e
eficaz/eficiente RNP - orgulho brasileiro de reconhecida competência no seu
ramal - para capacitações à distância.Mas, o q não poderia ser feito com
mais dim dim?????
Chega de pobreza franciscana com orgulho bobo de não pedi ajuda externa e ou
interna.
Até pra se pedir ajuda interna tem custos e custas, quem paga por este
trabalho???
Do jeito q está, não dá.
É patacoada demais e excesso de afazeres.
Estou esgotada, exaurida de tudo neste sentido.
Esforços são enormes, inclusive psicológicos, estresses demais, e custos e
custas que ninguem ajuda a pagar.
Como disse: Segui e sigo os esforços do Omar,nas coisas q vivo fazendo tb, é
uma solidão bárbara.e muitas críticas não construtivas junto. Abnegação
demais não vale.
Pra mim CHEGA. Do jeito q está, nada feito, não dá.
Ou mudamos este rítmo e encaramos a realidade, ou então vamos ficar mesmo
fadados a estar a reboques, amargando as pautas do mundo proprietário, cada
vez mais foraz e competente em conseguir seus objetivos
O aprendizado a fórceps q tive de fazer comigo mesmo e com ação estartada
pelo Pereira da Insígne em leva a lhe dizer amigo Oliva:
- Sem custo e custas pagas e remuneração, EU Ada, não mais farei nada
mais.Anão ser coisas triviais. Chega!!!!
Recomendo o mesmo ao Omar e outros.
Marcus Vinicius tem razão: Nossos eventos precisam de ter recursos para
pagar custos de palestrantes irem a eles.Afinal, boas palestras e bons
palestrantes é vital para o evento ser de categoria e surtir efeitos q se
deseja.Tá errado o q vem ocorrendo.
Engraçado né, é mais fácil ficar se pedir apoios aos ricos correlatos num
primeiro  e segundo momento, mas é fácil pedir sacrifícios imensos de alguns
q nem podem se sacrificar. Algo está errado, muito errado.
Tem um  companheiro nosso q há mais de um ano mais ou menos fez umas contas
pra mim, e me incentivou a procurar empresas do mundo do SL, e foi dai q
procurei conhecer o Pereira, o empresário mais presente aqui.Ganhei um livro
estraordinário do Pereira e cheguei aqui como estou pra dizer a todos:Este
companheiro me fez suar a espinha. A ele a minha ais profunda homenagem e
respeito, agradecimentos mil
- Tudo tem limites. Nada evolui sem dim dim, um big plano estratégico e
execução primorosa
E certos trabalhos, precisa de serem feitos por PROFISSIONAIS e não no grito
e de modo amador.
É lindo esta do conhecimento ter de ser múlti disciplinar e compartilhado e
este estar presente pra todos os lados, entrementes temos de nos ater tb a
quem sabe fazer melhor determinadas coisas.
Ex: Sérgio Amadeu galvaniza ao falar em público
Marcelo Branco tem seu charme pro mesmo
E temos talentos com conhecimentos específicos em vários lances.
Saibamos escalar quem é quem, sem os EGOS, para as tarefas, sobretudo as
mais vitais
Não adianta continuar como estamos.Temos de ser EMPREENDEDORES ousados e
organizados, sem deixar de continuar na molimolência bacana/essencial do
bazar.
Oliva, vc em especial, tem,pela frente, de enfrentar tamanho desafio, se
quiser fazer vigir a FSFLA, tornando-a REAL
Permanecer como está, é ficar a reboque.........
A REALIDADE É BEM DURA E ULTRA EXIGENTE de pulso e fazimentos
Fico por aqui.
Bjs,
Ada


On 1/27/07, Alexandre Oliva <[EMAIL PROTECTED]> wrote:

On Jan 26, 2007, Julian Carlo Fagotti <[EMAIL PROTECTED]> wrote:

> E aqueles milhões de dólares da FSF para proteger usuários Linux nos
> Estados Unidos?

Acho que você está falando do SFLC, não da FSF.  Software Freedom Law
Center é a organização que presta consultoria jurídica à Free Software
Foundation, e recebe um monte de doações de empresas que querem de
alguma forma contribuir para a causa sem exatamente colocar os fundos
na mão do Stallman porque o Stallman é "radical demais" :-/

BTW, seria GNU/Linux, se fosse o caso (não faria nem sentido ter
milhões de dólares pra proteger só os usuários do núcleo, né?), mas é
para usuários de Software Livre, algo ainda mais geral.  FSF nada tem
a ver com a recém-criada Linux Foundation.

> Parte disto poderia estar no Brasil para a comunidade brasileira
> criar e melhorar as jurisprudência a respeito não só sobre software
> livre, mas sobre software, propriedade intelectual e etc..

Tipo assim, os caras lá tão trabalhando faz 20 anos pra conseguir
recursos do lado de lá.  Agora chega um bando de chupim do Bra[sz]il e
quer mamar do esforço deles?

Acho que não é bem assim.  Temos que trabalhar aqui para conseguir os
fundos aqui.  É claro que há interesse da FSF em apoiar esse tipo de
projeto, mas o foco dela é em outra área geográfica.  Do Brasil, quem
está a cargo é a FSFLA.  A FSF e a FSFE já nos ajudam barbaridade, mas
não é justo nem razoável a gente choramingar por parte dos recursos
que eles cavaram com muito esforço.

Dinheiro que vem fácil, vai fácil, diz o ditado.  Quem não sua pra
ganhar gasta com muito menos parcimônia.  Desperdiça, até sem maldade,
porque não consegue avaliar o quanto custou.  Então não vamos pedir
dinheiro pra FSF ou pro SFLC, vamos trilhar o mesmo longo e árduo
caminho, ainda que com a vantagem da experiência compartilhada pelos
que já fizeram isso, pra não corrermos o risco de jogar esforço deles
pelo ralo.

Em caso de urgência urgentíssima, podemos até tentar vender a idéia de
uma ação conjunta, em que eles possam ter algum controle sobre pra
onde vai o fruto do trabalho deles e possam defender os resultados que
já alcançaram aqui, mas acho que essas situações sejam raras.

--
Alexandre Oliva         http://www.lsd.ic.unicamp.br/~oliva/
FSF Latin America Board Member         http://www.fsfla.org/
Red Hat Compiler Engineer   [EMAIL PROTECTED], gcc.gnu.org}
Free Software Evangelist  [EMAIL PROTECTED], gnu.org}


_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil


_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a