Olival Gomes Barboza Júnior escreveu:
Não. É "porque" mesmo. O artigo explica uma série de pontos q indicam q o software livre vai prevalecer independente de modelos de negócio e etc. Assim, estou afirmando, não perguntando.

Em 26/03/2007, às 21:37, Eduardo Costa Lisboa escreveu:

Não seria "por que"?

Concordo com Eduardo.

Creio que o certo nesse caso é ``por que'' (sem acento).

``Por quê o software livre vai sobreviver?''
``Saiba por que o software livre vai sobreviver.''
``Entenda o porquê da sobrevivência do software livre.''
``Hackers estão otimistas porque o software livre vai sobreviver.''

Sobre o artigo, meu comentário é que a falha em diferenciar ``economia'' de ``negócio'' ou ``comércio'' é a principal causa de confusão na questão proposta (``Is Open Source Economically Viable?'').

Na era das redes de computadores, o desenvolvimento e distribuição de software livre/open source mostra-se muito eficiente economicamente (divisão de custos de desenvolvimento, compartilhamento de soluções, facilidade de distribuição, atualização, etc.). Quanto mais básica e genérica a demanda (software útil a muitos), maior tende a ser a eficiência econômica (GNU/Linux, Apache, OpenOffice, Mozilla, KDE, Gnome...), e não é essencial a existência de exploração comercial do software, isto é, não é necessário que o software seja produzido com intenção direta de obtenção de lucro.

Software livre/open source é economicamente viável pelo simples fato de ser útil, de suprir necessidades.

Mas o artigo é direcionado a um público que tem o claro objetivo de explorar algum modelo de negócios que permita-lhes lucrar através de software livre/open source. E a resposta à questão é que os negócios em torno de software livre/open source podem ser sustentáveis a longo prazo porque a existência do software livre/open source é garantida pelo seu próprio processo de desenvolvimento/uso, que independe de um modelo de negócios.

A questão que fica aberta é qual grau de penetração terão os negócios baseados em software livre/open source, dentro do mercado geral de TI.

Em minha opinião, o espaço do software livre/open source depende menos de sua eficiência econômica (que em geral é maior que a do software proprietário) do que da resultante das forças dos diversos agentes envolvidos na disputa pró/contra corporatismo. Ou seja, dos resultados das batalhas entre crematística (maximização e acumulação de lucros, exploração, especulação) e economia (utilização sustentável de recursos disponíveis).

Até mais,
Hudson


_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a