Esta [e mesmo demais. Da samba de todo ritmo.
Mais uma confusao com a receita, com o Leao
Ada

Em 10/04/07, Olival Gomes Barboza Júnior<[EMAIL PROTECTED]> escreveu:
"( . . . ) Foi o que disse Airton Roberto Guelfi, advogado de 29 anos, no
dia 22 de março, quando defendia sua dissertação de mestrado na Escola
Politécnica da USP. (...)
 Todos os certificados funcionam debaixo do amparo legal da Medida
Provisória 2.200-2/2001, (...). Mas a MP 2.200-2/2001, diz Airton Guelfi, é
inconstitucional.(...)
 Airton resolveu comparar a função exercida pelos certificados digitais com
a função exercida pelos cartórios. As duas funções são idênticas. Se o
artigo 236 da Constituição rege a função dos cartórios, também rege a função
dos certificados digitais. A ICP-Brasil pode emitir certificados e seus
clientes podem usá-los, assim como qualquer pessoa pode pegar uma caneta e
assinar um documento na condição de testemunha. Mas o texto da MP
2.200-2/2001 diz que a assinatura digital, quando feita com certificados da
ICP-Brasil, não pode ser repudiada pelas partes. Isso é o mesmo que
reconhecer firma. E só cartórios podem reconhecer firma."

Artigo completo em:
http://www.planoeditorial.com.br/ti_governo/atual/destaque4.shtml

_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a