Vamos ver ser ficou claro:

O BrOffice.org não é um fork do OpenOffice.org.

A partir da versão 2.2.1 (ou talvez 2.3) quando alguém baixar o
OpenOffice.org estará recebendo o BrOffice.org.

Pergunta: E para alguém que utiliza os pacotes originais de sua distribuição
e a distribuição esteja utilizando no futuro as versão 2.2.1 ou 2.3?

No caso da marca registrada pela BWS Informática, alguém saberia informar a
quantas anda esse processo? Há algum acompanhamento disso?

Abraço,

ASF

On 4/19/07, Roberto Salomon <[EMAIL PROTECTED]> wrote:

Bom dia,

Acho que vale a pena postar novamente alguns detalhes. Acho que esta nota
acabou ficando um pouco extensa mas acho que vai ajudar a esclarecer muitas
coisas.

Primeiro a questão da marca...

A marca Open Office foi registrada pela BWS informática em 1996 junto ao
INPI tendo o registro concedido em 1998. Por força deste registro, a BWS
está movendo uma ação na justiça do Rio de Janeiro contra diversas empresas
por uso indevido da sua marca. Quando tivemos notícia deste registro,
fizemos uma votação aberta a toda a comunidade brasileira do
OpenOffice.org para a escolha de um novo nome. Isto porque ao contrário do
que ocorreu nos EUA, a mera agregação de um ".org" ao nome não constiu
diferença suficiente junto ao INPI para caracterizar uma nova marca. E foi
assim que nasceu o nome BrOffice.org para denominar o produto, a
comunidade e o site.

Depois de longas discussões com a comunidade internacional do
OpenOffice.org, da qual continuamos a participar, foi deliberado que,
apenas no caso do Brasil, o OpenOffice.org chama-se BrOffice.org e isso
será refletido a partir da versão 2.2.1 (se os patches ficarem prontos a
tempo) ou, mais provavelmente, da 2.3. Isto quer dizer que quando os
patches entrarem na linha principal, qualquer um que baixar o
OpenOffice.org em português do Brasil de qualquer sítio internacional
estará instalando o BrOffice.org.

Agora com relação ao código e às diferenças

O código do BrOffice.org é o mesmo do OpenOffice.org. Não há diferenças. O
que há são diferenças nos dicionários e nos modelos de etiquetas que ainda
não foram incorporados nos fontes principais. Este processo começou por
causa da nossa necessidade de trocar a marca e é a única distinção notável
entre os binários disponibilizados pelo projeto OpenOffice.org e os
disponibilizados pelo BrOffice.org.

Ao contrário do que ocorre com os projetos nacionais do OpenOffice.org,
montamos um Trac onde os usuários podem relatar bugs em português. Isto
facilita muito a vida dos usuários brasileiros. O Trac pode ser acessado a
partir do wiki do projeto em https://wiki.broffice.org/report

Os dicionários também estão disponíveis para qualquer instalação do
OpenOffice.org a partir do sítio do projeto. Os links são
http://www.broffice.org/verortografico para o corretor ortográfico e 
http://www.broffice.org/dicionario_sinonimos
para o dicionário de sinônimos. Também temos os dicionários temáticos de
termos de informática, jurídicos e eletroeletrônica além de dicionários com
regionalismos para algumas regiões brasileiras. Estes dicionários temáticos
podem ser baixados de http://www.broffice.org/dicionarios_tematicos.

A questão do ".org"

A marca Open Office é registrada nos EUA. Isto foi descoberto logo no
início do projeto. Ao contrário da legislação brasileira, a legislação
americana permitiu o uso de OpenOffice.org como marca distinta para a
comunidade e para o produto. Oficialmente, o nome do produto é
OpenOffice.org (o .org faz parte do nome do produto). Seguimos a mesma
linha e mantivemos o .org no BrOffice.org.

Egos e outros bichos

O projeto OpenOffice.org é organizado de uma forma bastante clara. Existe
um conselho mundial do projeto, o Community Council que tem atribuições
específicas. O presidente deste conselho é o líder do projeto e é eleito
dentre os demais membros. Detalhes sobre o funcionamento do conselho estão
em http://council.openoffice.org

No nosso caso, fazemos parte de um grupo de projetos chamados NLCs
(National Language Communities) que são responsáveis desde a tradução até o
controle de qualidade e, no nosso caso, do empacotamento devido à questão da
marca.

Não há um "chefe" no sentido que não há um "dono" para o projeto.
Representantes para os NLCs vêm e vão. A distinção, mais uma vez, para o
caso brasileiro é que ao invés de haver um líder para o OpenOffice.org.br,
há um líder para o BrOffice.org.

Não sei se isso esclarece um pouco as coisas. Se não, continuo a tentar...


Um abraço,

--
Roberto F. Salomon
Co-lead pt-BR l10n
http://www.broffice.org
http://www.openoffice.org


_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a