Gente eu não vou levar essa questão a frente não. Eu estou sem saber o que
escrever, era melhor mandar eu não perguntar esse tipo de coisa na lista. Eu
ja vi tanta coisa aqui nessa lista e nunca vi tanto questionamento e agora
por causa somente de uma pergunta gerou um problema tão grande que eu nunca
imaginei  acontecer. Esquece isso, pois não quero seguir problemas aqui numa
lista onde era para estarmos tratando de coisas positivas, e não tão
negativa como esta sendo. Eu nunca mais irei fazer uma pergunta nessa lista,
para não passar um constrangimento tão grande. Peço desculpas ao pessoal que
se ofendeu de alguma forma, pois como falei essa não foi a minha intensão.
Irei procurar uma outra forma de ficar informado que não seja por aqui.
Desculpe a todos pela situação que criei e que nem imaginaria que iria
chegar a tanto.

Em 09/07/07, pedro rezende <[EMAIL PROTECTED]> escreveu:

Cristiano Furtado escreveu:
> Professor Pedro,
> Antes de perguntar qualquer coisa veja o que eu escrevi logo no inicio:
>
> "Galera preciso tirar uma dúvida muito importante em relação ao wine.
> ..., estou dentro de nossa lei?
> ou a M$ pode chegar amanhã nessa empresa e meter uma multa gigante por
> estar utilizando dlls do wine? Preciso de uma posição concreta, .... "
> Grato.
>
> Eu não falei o que o Professor pensou...

Tem o que eu pensei, o que eu falei, e o que outros falaram aqui.

O que eu falei, grosso modo, foi que palpite de advogado sobre assuntos
legais, nessa lista ou qualquer lista aberta, é coisa séria. Ainda mais
sobre riscos legais envolvendo esse monopólio!.

Não tive intenção de citar, nem parafrasear o primeiro aflito, e sim de
comparar a situação dos que aqui se afligem, com aflições univesais e
corriqueiras (direito <-> medicina). Ambas envolvendo profissões onde a
dimensão ética é da maior importância. Se minhas aspas numa pergunta
retórica, para este efeito, levaram a um mal entendido, peço desculpas.

Já o que eu pensei, foi que diálogos como este:

"estou dentro da lei ou a MS pode chegar e meter uma multa gigante por
estar utilizando dlls do wine?",
Seguido -- na mesma linha -- de "Preciso de uma posição concreta",
Seguido -- no thread -- de melindres contra quem sai pela tangente,

Se encaixam (não importa de onde venha rudeza, hipocrisia ou
contradição) num contexo de seriedade que o Ostrok lembrou e que eu quis
reforçar.

Mais ainda -- senão não teria postado --, pensei que tudo isso se
encaixa numa perplexidade que impede muitos de entender esta seriedade.
Senão veja, como prossegue o diálogo em réplica a um comentário:

"Eu sinceramente fiquei chocado com a atitude de Omar. Todos que estão
nessa lista aqui praticamente são profissionais da area, ajudando o SL
da forma que pode. Tenho o maior respeito ... E agora na unica hora que
eu preciso de uma ajuda, pela primeira vez em 7 anos de linuxeiro, tomo
uma resposta dessas...
> Pô Omar! Vc é um dos únicos aqui ... com cacife para
> dar uma resposta legítima e com boa fundamentação legal. Podia pelo
> menos nos dar o privilégio da resposta ao invés de criar flame!"

Se o querem é resposta, eu arrisco a minha mesmo não sendo (ou porque
não sou) advogado.

A MS, que tem um exército de advogados dentre os mais bem pagos do
mundo, parece não ver alternativa para sustentar seu fluxo de caixa a
não ser pela especialização em extorquir e chantagear com a hermenêutiva
do maior oxímoro jurídico contemporâneo, que é a propriedade imaterial.

Sendo asim, ela pode -- e vai -- ameaçar quem ela quiser. Com ou sem DLL
proprietária do ruindows envolvida, no seu projeto ou no de quem quer
que seja. Ela tem cacife -- e se sente pressionada -- para chantagear
quem quiser, independente da lei estar com o chantageado, ou de quão
sábio e astuto sejam seus conselheiros legais. Quando ela quis, ela
conseguiu até remover juízes dos seus casos.

Ela tem como escolher suas vítimas a dedo. Para isso ela tem uma divisão
de espionagem industrial cujo orçamento é maior do que o dos serviços de
inteligência do Estado brasileiro (segundo fontes deste). Mexer com SL,
livre de verdade, está se tornando cada vez mais uma atividade de risco.

E ao lembrar de algo aqui dito, que o cliente do projeto pretende migrar
em breve para MySQL, penso, sinceramente, que o risco em tela depende
mais do quão rico é esse cliente, ou quão espetacular é o projeto, do
que de qualquer outra variável, coisa, ou saber jurídico.

Para mim, há uma lição desse "thrlame": a reação, tensa e temerosa, à
situação desse tal projeto é exemplo de que a MS está conseguindo o que
pretende com sua nova estratégia -- mafiosa -- de "building IP bridges".

O lado bom é que serve para cairmos na real, sobre o momento que estamos
vivendo.

--
-------------------------------------------
prof. Pedro Antonio Dourado de Rezende /\
Computacao - Universidade de Brasilia /._\
tcp: Libertatis quid superest digitis serva
http://www.cic.unb.br/docentes/pedro/sd.php
-------------------------------------------
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil




--
Cristiano Furtado
Gerente de TI - Projetos de Software Livre
Embaixador do Fedora no Brasil

Sites:
http://www.projetofedora.org
http://www.jasonnfedora.eti.br
http://www.fedora.org.br
http://www.ekaaty.com.br
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a