Em 10/07/07, Ada Lemos <[EMAIL PROTECTED]> escreveu:

De novo, eu aqui Ananda pra lhe dar um novo parabéns, vc o merece, haja
vista a sua colaboração aqui para o Cristiano.
Cristiano, leve bem,na boa as sugestões de Ananda e vê nela alternativas
possíveis, e melhor do que tudo é a forma que ele lhe dá o seu apoio ténico
e de modo possível.
Bjs,
Ada

Em 10/07/07, Glauber Machado Rodrigues (Ananda) <
[EMAIL PROTECTED]> escreveu:
>
> On 7/10/07, Cristiano Furtado <[EMAIL PROTECTED] > wrote:
> > Ok meus amigos.
> > Obrigado.
>
> Cristiano, talvez você possa resolver esse problema sem o wine. Vou
> descrever como, e quero contar uma causo que aconteceu comigo há mais
> de dois anos:
>
>
> Há uns dois anos e pouco uma empresa com 3 filiais em cidades
> diferentes estava querendo migrar para linux. A principal aplicação
> deles era (e ainda é) um sistema de automação comercial feito em
> cobol, com as bibliotecas acucobol. A principal motivação era
> regularizar as licenças de software da empresa.
>
>
> Um cara na empresa já havia emulado o sistema com o wine mas não
> estava conseguido as impressões nas impressoras matriciais.
>
>
> Achei melhor não usar o wine por alguns motivos, mas o principal foi o
> seguinte:
>
>
> Eu sabia que a aplicação que eles queriam migrar tinha bugs. Quando
> esses bugs aparecessem o pessoal do suporte ia dizer que o problema
> era que ele estava sendo emulado errado e a culpa era minha. Mesmo que
> a emulação fosse perfeita eu teria problemas com o suporte que bota
> culpa até no mouse que tu ta usando, quanto mais sabendo que a
> aplicação estava rodando em linux. E não havia jeito de esconder isso,
> pois alguma hora eles iam mandar clicar no iniciar ou alguma coisa do
> tipo e iriam descobrir. A partir daí todos os problemas que o sistema
> desse seria culpa minha.
>
>
> Então o que eu fiz foi o senguite. Pedi para o cliente comprar 3
> licenças do XPunlimited[1] (na verdade eu mesmo comprei e eles me
> reembolsaram, pois não tinham cartão internacional) e três licenças do
> windows XP. Na época saiu menos de 3 mil reais.
>
>
> Com o xpunlimited os usuários acessavam o servidor onde o programa
> estava instalado. Configurei o bblean[2] para ser o shell de login
> deles (assim a sessão remota parecia um quiosque). Criei um atalho
> para conectar ao servidor com o programa rdesktop do linux (agora tem
> o grdesktop também). Pronto.
>
>
> Para as impressoras eu fiz o seguinte: Instalei as impressoras
> normalmente nas máquinas linux pelo cups. Para imprimir no windows foi
> só instalar uma impressora de rede com o endereço
> http://ip-da-maquina:631/printers/nome_da_impressora . Quando a
> impressora era matricial, instalava com o driver para aquela
> impressora do windows mesmo. Quando a impressora era jato ou laser,
> usava o mesmo driver para todas, que era o Generic > Ms Publisher
> Imagesetter (ou coisa assim).
>
>
> Como eu não queria ficar dando suporte para esse ambiente, que na
> verdade era todo windows, eu coloquei tudo em uma instalação
> modificada do windows[3] e fiz um script em perl que já deixava tudo
> pronto, preparei uma documentação e dei um treinamento para o cara do
> CPD. Alem disso eu ensinei a recriar o ambiente para que eles não
> dissessem que os problemas que dessem no windows era por causa da
> minha versão modificada.
>
>
> Tive alguns problemas (o cara do CPD queria tirar dúvidas de windows
> comigo, e eles queriam que eu resolvesse outras coisas que eu não
> tinha interesse de fazer), tive que reforçar a segurança em volta
> dessa máquina windows, mas no final todo mundo ficou feliz, porque eu
> deixei bem claro que esse ambiente não ira livrar eles do windows, mas
> que agora em vez de apagar mil incêndios em mil lugares diferentes
> eles tinham que apagar um incêndio em um lugar  e já faz mais de dois
> anos que eles estão usando linux no desktop. Tinha outra máquina
> também com dual boot que fazia rsync com o servidor principal e se
> ligasse ela no windows a cópia estava prontinha para rodar.
>
>
> Talvez dê certo para você.
>
>
> [1] http://www.xpunlimited.com/
> [2] http://bb4win.sourceforge.net/bblean/
> [3] http://www.nliteos.com/
>
> --
> Opções desconhecidas do gcc:
>   gcc --bend-finger=padre_quevedo
> O que faz:
>   dobra o dedo do Padre Quevedo durante a execução do código compilado.
>
> Não uso termos em latim, mas poderia:
> 
http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Latin_phrases_(full)<http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Latin_phrases_%28full%29>
>
> A ignorância é um mecanismo que capacita um tomate a saber de tudo.
>
>
>            "Que os fontes estejam com você..."
>
> Glauber Machado Rodrigues
> PSL-MA
>
> jabber: [EMAIL PROTECTED]
> _______________________________________________
> PSL-Brasil mailing list
> PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
> http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
> Regras da lista:
> http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
>


_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil




É realmente o Glauber (Ananda) é muito competente.

Glauber,

Vê se aparece (pessoalmente), estamos com saudades de vc e de David, o único
que vemos de vez em quando é o Hugo.

Att,

--
Claudia Archer
Projeto Software Livre Maranhão - PSLMA
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a