A Microsoft está colocando em prática um plano para popularizar o uso dos
computadores no Brasil. Nesta semana, ela anuncia, em parceria com a
Telefônica e a Positivo Informática, o computador pré-pago.

A idéia da iniciativa dessas empresas é alugar máquinas conectadas à
internet de alta velocidade, com softwares instalados -incluindo programas
antivírus-, assistência técnica e seguro.

A operação será capitaneada pela Telefônica, que só oferecerá cem
computadores. "É um teste antes de lançarmos o produto no mercado", afirma
Fábio Bruggioni, vice-presidente da Telefônica Negócios.

Não é preciso ter linha telefônica para contratar o serviço. Três planos
estarão disponíveis e o contrato terá validade de dois ou três anos.

As mensalidades começam em cerca de R$ 170 e variam de acordo com a
configuração das máquinas adquiridas. O pacote pleno oferece um limite de
até oito megabytes para troca de dados em uma rede de até 30 computadores.

Essa parceria pretende facilitar o acesso de pequenas e médias empresas à
tecnologia. Segundo a Telefônica, até mesmo consumidores que tenham
restrições de crédito poderão pleitear o serviço.

Isso porque o novo computador produzido pela Positivo terá um software da
Microsoft conhecido como FleGo. Por meio dele, será possível desligar o
equipamento remotamente caso o pagamento da fatura não seja efetuado.

"O programa avisa quando o micro ficará inoperante após 15 dias do
vencimento," explica Jorge Salles, diretor-geral de negócios da Microsoft
para a América Latina.

Com a instalação desse dispositivo, a inadimplência praticamente desaparece.


*Novos rumos*

As inovações não param por aí. No segundo trimestre de 2008, a Microsoft
fará um novo teste para avaliar o comportamento dos consumidores de baixo
poder aquisitivo. "Vamos dar mais um passo na consolidação do PC pré-pago",
afirma Salles.

O projeto é vender os micros em três redes varejistas. Para adquirir o PC
pré-pago, o cliente dará uma entrada de até 30% do preço da máquina.
Contudo, o equipamento só funcionará se ele comprar cartões com créditos de
uso.

Ainda não está definido onde os cartões serão adquiridos. Os valores pagos
por eles vão abatendo o restante da dívida com a loja. "Quanto mais o
cliente usar o computador, mais rápido efetuará o pagamento", disse Salles.
Só depois de quitado é que o computador passa a ser do consumidor.

*Diferença*

Essa é a principal diferença em relação ao produto a ser lançado nesta
semana pelas três empresas. Ao término do contrato, o cliente devolverá o
equipamento. Também poderá renovar a assinatura e, nesse caso, receberá um
novo computador.

Outras iniciativas estão na fila de espera. A Microsoft estuda ainda lançar
no Brasil um computador "patrocinado" por anunciantes, que custaria mais
barato. "Seria como um site, cuja fonte de receita são os anúncios feitos em
banners", explica Salles.

O potencial do negócio é enorme. De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro
de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), existem cerca de 5 milhões de micro
e pequenas empresas e poucas investem em tecnologia devido aos altos custos
envolvidos.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u326877.shtml
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a