Saiba mais sobre a programação da área de Software Livre do Campus Party Brasil 2008

Uma das maiores e mais atuantes no mundo, a comunidade de Software Livre no Brasil terá lugar especial dentro da edição brasileira da Campus Party, a ser realizada de 11 a 17 de fevereiro na Bienal de São Paulo. A área temática vai cobrir o interesse de pessoas de todos os níveis de conhecimento no assunto: iniciantes, intermediários e avançados.


Entre os destaques estão as oficinas de capacitação em Ginga, o software por trás de todas as novidades prestes a entrar em nossas casas. Resultado de anos de pesquisas lideradas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Ginga reúne um conjunto de tecnologias e inovações brasileiras que o tornam a especificação de middleware – a camada de software intermediário – mais avançada e, ao mesmo tempo, mais adequada à realidade do país. Segundo o coordenador da área de Software Livre do Campus Party Brasil, Mario Teza, os inscritos nessa seção terão acesso a um conhecimento aprofundado sobre Ginga ainda pouco divulgado no país: “As emissoras de TV estão em fase de capacitação das suas equipes e nós vamos compartilhar o mesmo conhecimento com os participantes do evento, contribuindo para a sua disseminação”. Também será abordada a produção de conteúdo por meio do “composer”, uma ferramenta que possibilita até quem não entende nada de programação a fazer edição de imagens para TV Digital. As oficinas serão ministradas pelo professor Luís Fernando Gomes Soares, da PUC-RJ, um dos pais do Ginga.

Outro destaque será a palestra de John ‘Maddog’ Hall, um dos fundadores do movimento Open Source internacional e atual presidente da Linux International. ‘Maddog’ Hall vai trazer para a Campus as útimas novidades sobre Software Livre no mundo.

Para os aficionados, há as sessões de Coding Dojo, em que pessoas se reúnem para resolver um problema simples de programação, usando apenas um computador ligado a um projetor. O piloto e o co-piloto começam a resolver o desafio enquanto os outros assistem e participam tirando suas dúvidas. Periodicamente, o piloto cede lugar a outra pessoa.

No evento deste ano na Espanha, o movimento pelo Software Livre ganhou destaque como caminho essencial para a evolução democrática e pluralista da sociedade da informação.

Como participar da Campus Party

O público pode participar do evento como inscrito ou visitante – são esperados cerca de 3 mil inscritos e 30 mil visitantes em São Paulo, limite de público na Bienal (na Espanha, o público pulou de 250 pessoas na primeira edição para mais de 8 mil, em julho deste ano). Os inscritos são aqueles que mudam-se com seus computadores e malas para dentro das instalações do evento. Lá, além do espaço para acomodação em barracas, os campuseiros encontram uma completa infra-estrutura de serviços, lazer – quadras para prática de esportes, jogos de salão, cinema, videoclube, música, shows com DJs e VJs, paintball, livraria e lojas –, higiene, segurança, alimentação e, principalmente, tecnologia. Todos têm à disposição uma poderosa conexão de 5Gb, a mais potente já oferecida para usuários individuais em todo o mundo.

O público do Campus Party é composto por líderes de comunidades on-line com intensa atuação na rede. São internautas com enorme poder de formar opinião e criar tendências. Um público de vanguarda, trendsetter, que antecipa o futuro da nova economia e os caminhos da tecnologia da informação. Mas não é preciso ser hacker ou geek para participar do Campus Party. Os visitantes e convidados “leigos” podem usufruir da Área de Lazer e da Área 2 do evento, onde estarão o setor Expo, com novidades tecnológicas apresentadas pelos patrocinadores, e do setor de Ações Especiais - Inclusão Digital, Campus Verde (Sustentabilidade) e Campus Móvel (Tecnologias e Conteúdos para Mobile Media).

Inscrições

Os interessados em participar já podem efetuar sua reserva de vaga pelo site oficial do evento www.campusparty.com.br e aguardar instruções da equipe para concluir a inscrição.

O ingresso custa R$ 100 e dá direito a um lugar na arena dos computadores, a um ponto na conexão de 5Gb, a uma barraca e livre acesso às atividades oficiais do evento, bem como às áreas de exposições, lazer e serviços (refeitório, banheiros, sanitários, chuveiros, enfermaria). O “campuseiro” (de campusero, em Espanhol) deverá registrar seu computador de mesa ou portátil no momento do credenciamento – a partir das 8h do dia 11/02/2008, no próprio local do evento.

Quem preferir fazer suas refeições por lá, pode contratar um pacote à parte e ter café da manhã, almoço e jantar durante os sete dias por mais R$ 100. A idade mínima para participar da Campus Party Brasil é 12 anos completos (menores de 18 anos deverão apresentar autorização dos pais e estar acompanhados por um maior responsável, durante todo o evento).

Informações para a imprensa:


Fone: (11) 3082-5553

Priscila Cotta  (11) 7814-4224  [EMAIL PROTECTED]
Martim Pelisson    (11) 9619-7744 [EMAIL PROTECTED]

-------------------------------------------------------------
Associacao Software Livre.Org - http://www.softwarelivre.org/

_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a