Dei uma olhada no livro na Amazon e no resumo do editor eles sequer falam no termo "open-source warfare" (só lá nos comentários do leitor alguém lembra q o autor usou este termo). Assim, não me parece exatamente um "ataque" ao conceito de FLOSS.

Na minha modesta opinião, o q isso demonstra é q o termo "open source" ficou "mainstream", mais ou menos como o visual dos "punks de boutique", o som do Metallica no disco negro e as camisetas de grife com o Che Guevara estampado na frente.


E, cá entre nós, qdo vi as primeiras descrições da estrutura distribuída da Al Qaeda e similares, e li os primeiros conceitos de produção no estilo Bazar, não pude deixar de perceber (naquela época) o mesmo paralelo q o autor fez.

Lendo o texto da IEEE a minha impressão foi similar à explicação ao episódio do HdF: no final, eles estão é criticando a estrutura "pesada" e o estilo Catedral das Forças Armadas norte-americanas. A mensagem q ficou foi algo como: as Forças Armadas norte-americanas deveriam deixar de fazer a Guerra como ela era feita na época da Guerra Fria ou antes, e passar a praticar a "open source warfare". E isso porque "open source" é superior e ponto.

[ ]s,

olival.junior


Em 06/05/2008, às 01:34, Pedro A.D.Rezende escreveu:

Glauber Machado Rodrigues (Ananda) escreveu:
2008/5/4 Olival Gomes Barboza Júnior <[EMAIL PROTECTED]>:
Ou seja, pra ele o vilão está em vantagem justamente por ser "open source", enquanto a natureza proprietária do Iron Man faz com q ele seja bem mais limitado. E então alguma mudança significativa terá de ocorrer para q o
Fiquei sem saber o que pensar quando li essa noticia no /.  . Depois
que me situei entendi que esse era o espírito mesmo. Nas revistinhas o
jogo do bem x mal é sempre assim: o mal parece adotar as melhores
técnicas primeiro, e o bem vem atrás se adaptando e evoluindo para
poder superar.

A mim a coisa não parece tão simples assim.
OK, acho que tb entendi o esclarecimento do Olival, bem colocado.
Parece que algum repórter teria forçado a barra ao "resumir".

Porém, logo depois acabei cruzando com isso aqui:
http://www.spectrum.ieee.org/nov07/5668
justo num site da IEEE.

Essas coincidências midiáticas provocam uma certa coceira no meu neurônio da paranóia, aquele que estimula a sobrevivência qdo o nível de atividade é salutar. Será que... estamos diante de um novo front?

No campo neurolinguístico, pela criminalização do open source "não comercial"? Pra quem viu os Sapos XII no FISL, a pergunta até que cabe. Fico curioso sobre esse John Robb, e quem bancou seu livro "Brave New War". Alguma pista?

--
-------------------------------------------
prof. Pedro Antonio Dourado de Rezende /\
Computacao - Universidade de Brasilia /__\
tcp: Libertatis quid superest digitis serva
http://www.cic.unb.br/docentes/pedro/sd.htm
-------------------------------------------
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a