2008/5/9 Olival Gomes Barboza Júnior <[EMAIL PROTECTED]>:

> Particularmente acho q a discussão ficou um pouco off-topic, tanto q por
> isso achei melhor não participar dela (embora seja um colecionador de HQs há
> quase 30 anos). Mas, de fato, não creio q alguém tenha realmente se
> importado com isso.
>

Poisé. Eu adiei o máximo ter que falar do personagem em si, mas ao longo da
discussão se tornou importante definir que personagem era esse.

Como eu já comentei nas mensagens anteriores, provavelmente *todos* aqui
> sabem disso. A questão é q o termo q realmente virou "mainstream" nos EUA é
> "open source", não "free software". Até porque, como eu também já escrevi,
> softwares bastante conhecidos como o Apache Http Server, o kernel Linux, o
> Mozilla Firefox, o OpenOffice.org, o MySQL, entre outros, foram todos
> desenvolvidos dentro da "filosofia/motivação" **open source**. É só olhar as
> páginas ou ler as declarações dos respectivos autores/líderes de projeto.
>

Eu entendi o que você quis dizer, você entendeu o que eu quiz dizer, então
para mim já tá bom.

Como disse o "arbusteiro" no filme monty python e o cálice sagrado: "Mas que
coisa! Nada mais é sagrado neste mundo!" Open Source é um termo popular e
será usado mais e mais vezes fora do contexto do movimento, sendo referido
apenas como "a maneira mágica de produzir sem esconder o jogo". Tudo que
antes era fechado e agora é aberto será chamado de Open Source, sejam coisas
boas ou coisas ruins.

No mundo do entretenimento já botaram Jesus Cristo vestido de mamba negra
cortando inimigos com uma katana. Um terrorista Open Source é mais uma
dessas, nada é sagrado nesse mundo.


>
> Assim, é natural q um roteirista de HQs mais antenado como parece ser o
> Matt Fraction conheça o termo "open source". Inclusive, depois do achado
> apontado pelo prof. Pedro eu não duvido nada q ele tenha lido o livro sobre
> "open source warfare".
>

Se não leu, deve ter imaginado.

2) O HdF não é um herói que costuma estar do lado certo das lutas, e os fãs
sabem disso. Acredito que isso ameniza ou anula o poder de convencimento que
ele tem. A parte "omelete" da discussão foi apenas para apontar isso. Tipo,
os fâs sabem que não devem aceitar todos os argumentos do HdF.


Aqui eu acho q vc está apenas querendo passar sua opinião pessoal como
> verdade final. Eu *discordo* dela. Já q vc considera q a parte "omelete" da
> discussão é "on topic", vou avançar um pouco mais sobre ela aqui. Mas, vamos
> falar tbém sobre a *indústria de HQs*.
>

Só para deixar claro: tudo que eu escrevo é apenas a minha opinião. Sempre.
É a forma como vejo as coisas. Para falar sobre a verdade final eu teria que
conhecer a verdade final. E isso eu não conheço.


>
> Em primeiro lugar, vc fala de um personagem de gibis como se fosse uma
> pessoa real. Só q ele é apenas isso: um personagem de gibis. Sua
> "personalidade" muda conforme o *editor responsável*, o *roteirista* e o
> *editor-in-chief* (ou algo assim), sendo q o primeiro é q dá os limites da
> liberdade criativa do segundo, conforme as diretrizes do terceiro. Além
> disso, nos EUA, onde HQs são uma indústria de entretenimento de verdade (com
> vendas na casa das centenas de milhares - ou talvez até milhões - de
> unidades), conta muito a opinião dos fãs (naquele esquema "focus groups" q
> eles usam para testar novos conceitos).
>

Eu não esperava ser acusado de que "eu falo do HdF como se fosse real". Já
sou crescido, sei dessas coisas. Sei que é o roteirista que controla as
ações do personagem, e é meio estranho precisar falar isso.

Só achei que estava bem claro que se tratava de um personagem fictício, e
não tinha necessidade de falar "o personagem, o personagem, o personagem..."
o tempo todo.

Então, colocando as coisas da sua forma: O roteirista fez o HdF fazer coisas
sabidamente erradas. Moral não é algo levado muito a sério quando ele
ideliza as ações do seu personagem. Então pode ser que o autor não se oponha
ao SL, apenas ache interessante que seu personagem enfrente alguém com os
poderes de um hacker SL. Acredito também que possa haver espaço dentro do
contexto para que a estória possa se desenvolver sem que as pessoas que a
acompanham desenvolvam uma posicionamento anti-FOSS.

A evolução do personagem controlador e manipulador e cheio de armas caras,
como é o HdF, estava pedindo para ser enfrentada por um inimigo que tenha
acesso ao mesmo poder de fogo sem estar sujeito ao jogo de manipulação do
personagem. Então o autor idealizou o Open Source Terrorist, para dar uma
surra no HdF e ensiná-lo uma lição. Tudo da cabeça do autor para as páginas
da revista. Ok?

Então (de volta ao mundo real) um adolescente aleatório pega a revista, lê,
e vê que um hacker está usando técnicas que não estão sujeitas ao jogo de
controle do personagem HdF, e vê que o personagem que estava acostumado a
controlar todos e abusar do poder apanha para um garoto. Lê a revista até
echer o saco, depois pega todos os CDs do ubuntu que ele havia pedido e toca
fogo porque é coisa de terrorista? A _minha_opinião_ é que não.


>
> Os personagens mais longevos têm altos e baixos em sua popularidade, e
> normalmente são escritos para refletir algum tema dominante à sua época. O
> Homem-de-Ferro foi criado em 1963, ou seja, QUARENTA E CINCO ANOS atrás. Ele
> ter mantido um título próprio em boa parte deste tempo serve como indicador
> da popularidade do personagem. O filme do Homem-de-Ferro foi feito pq ele já
> era um personagem clássico, tanto q o seu elenco é recheado de *atores de
> verdade* (Robert "Chaplin" Downey Jr, Jeff "Big Lebwoski" Bridges, Gwylnet
> "OSCAR de Melhor Atriz" Paltrow) , não de meros "heróis de filmes de ação"
> (vide Blade) ou ilustres desconhecidos (vide a última tentativa de fazer um
> filme do Justiceiro/Punisher).
>
> Sobre a confiabilidade do personagem, os leitores das antigas devem saber q
> ele já foi até mesmo considerado um "sleeper agent" de Kang, o Conquistador.
> E nesse papel, após ser manipulado durantes anos, ele acabou assassinando
> alguns colegas dos Vingadores e sendo destruído. Claro q depois houve aquela
> fase do Young-Tony Stark e o Heroes Heborn, depois do OnSlaught, onde o
> personagem renasceu e tudo o mais. Ou seja, mesmo qdo ele cometeu
> barbaridades, ele o fez sob coação ou manipulação.
>
> Por outro lado, ele também passou por diversos episódios em q seu
> alcoolismo e outros problemas faziam com q ele perdesse a sua riqueza e
> empresa. E, como um bom empreendedor moderno do Vale do Sílicio, ele sempre
> acaba superando a falência e dando a volta por cima. Vc sabia, por exemplo,
> q o Jim Clark, fundador da Netscape e da Sillicon Graphics, já passou por
> isso inúmeras vezes? E q por lá isso enriquece o currículo do cara ao invés
> de denegrir sua imagem? Para o público norte-americano, onde os quadrinhos
> realmente vendem pracas, alguém como o Tony Stark seria o perfeito self-made
> man, pois nasceu em berço de ouro, mas já perdeu e reconquistou sua riqueza
> inúmeras vezes.
>
> Em suma, antes da fase Civil War ele era um herói pra valer, ainda q
> arrogante. Mas, mesmo nesta fase, ele tbém foi o cara q colocou creches para
> os filhos de agentes da SHIELD, permitindo q os pais vissem as crianças mais
> vezes do q jamais tinham conseguido em sua carreira militar. E, no final do
> dia, ele sempre é escrito como um personagem q chora no enterro do Cap.
> América, não consegue aceitar a perda de homens sob seu comando, sempre põe
> a segurança dos outros antes da sua, etc e tal. Ou seja, um clássico herói
> de HQs.
>
> E está em andamento nos EUA a Secret Invasion. Se a coisa realmente apertar
> e os fãs começarem a chiar muito com o Homem-de-Ferro, é só dizer q ele é um
> Skrull disfarçado e pronto. O verdadeiro e coitado Tony Stark original
> estaria enfiado em algum tubo, em animação suspensa, em uma nave alienígena.
> E, para pegar um exemplo da vizinha DC Comics, lembre-se q o Lanterna Verde
> Hall Jordan voltou dos mortos como herói, mesmo depois de ter virtualmente
> destruído *toda* a Tropa dos Lanternas Verdes na época em q os editores
> decidiram q ele ia virar vilão. E se ele voltou, foi pq os fãs pediram...
> :-)
>
> Voltando ao tema em questão, lembro q os arquiinimigos do herói servem bem
> para ilustrar o "zeitgast". o "espírito da época". Por exemplo, na década de
> 60 um dos seus principais inimigos era o soviético Homem-de-Titânio. Hoje,
> com a derrocada da União Soviética e a decadência da Rússia, temos o mesmo
> personagem servindo de mercenário para o próprio Tony Stark, nos moldes dos
> veteranos do exército russo, q foram parar na máfia ou em mílicias
> paramilitares pelo mundo afora.
>
> Seguindo essa linha de raciocínio, o fato dele agora ser retratado contra
> um inimigo q opera através de células terroristas serve apenas como alegoria
> da Al Qaeda, com sua estrutura descentralizada, q parece ter tornado a
> poderosa máquina de guerra norte-americana um elefante lento e incompetente.
> Como o personagem é um gênio tecnológico em uma época em q isso faz parte do
> nosso dia-a-dia, nada como traçar um paralelo entre a obsolescência do
> Homem-de-Ferro e a obsolescência da indústria de software proprietário. MAS,
> já escrevi sobre isso em outra msg e se vc leu além do título deve ter lido
> os argumentos a respeito.
>
> Em momento algum da primeira edição o argumento foi colocado sob a forma
> Software Proprietário X Open Source. Aliás, os termos SEQUER são utilizados.
> O q foi escrito foi a obsolescência de uma tecnologia dominante ao encontrar
> uma tecnologia disruptiva.
>


Perfeito. Por isso achei que contar a respeito de como o personagem "pensa"
e "age" serviria para dar uma idéia do poder de influenciar os leitores
contra o SL, seguindo os argumentos do personagem.

Acho que não dá para deixar de falar de vários assuntos quando se trata de
SL. Seria reducionismo demais, já que tudo está interligado. Acho que o
parêmetro para decidir o Off-Topic é se o que está sendo discutido é
importante ou não para desenvolver o assunto tratado no tópico.

Neste caso, era se um personagem que enfrenta um inimigo que usa SL pode
acabar com a festa do SL em questões de popularidade. Então discutir o quão
os argumentos de um certo personagem influencia a opinião dos leitores a
respeito do que é certo ou errado parece um caminho natural. Uma vez que o
argumento tenha sido colocado, poderemos passar para outro argumento. Ficar
no mesmo só enchendo linguça porque gosta-se de falar do assunto, mas
fazê-lo não acrescenta nada a discussão, aí sim é off-topic.


>
> 3) O termo "Open Source" foi escolhido para descrever o terrorista em
> preferência a "Free Software" por algum motivo. Acredito que o principal
> seja pela escolha do Open Source em focar empresas e em resultados práticos.
> Por isso ao invés de um "Free Software" terrorist, que focaria em liberade,
> temos um "Open Source" terrorist, que foca nos benefícios dos métodos de
> compartilhamento de informações e descentralização.
>
>
> Pra mim o motivo é bem simples: o roteirista escreve gibis, não revistas de
> TI. É bastante provável q ele nem saiba q existe o "Free Software" como
> entendemos. Repetindo: "open source" é "mainstream". "Free (as in freedom)
> Software" só aparece nos círculos especializados, onde as pessoas sabem do q
> estão falando, ou qdo alguém resolve falar das "excentricidades" do Stallman
> ("guru do SL diz q ninguém deve jogar videogames", "guru do SL diz q FreeBSD
> é ninho de software proprietário", "guru do SL diz q o kernel Linux
> realmente infrige patentes da Microsoft", etc e tal).
>

Estava assumindo que ele conhecia os dois termos e teve que escolher. Se ele
só conhecia um dos termos, então estou com você.


Mas Olival, eu ainda não percebi qual é a sua opinião. Essa estória do HdF
enfrentar um terrorista open source pode ou não acabar com a nossa festa?


-- 
Opções desconhecidas do gcc:
gcc --bend-finger=padre_quevedo
O que faz:
dobra o dedo do Padre Quevedo durante a execução do código compilado.

Não uso termos em latim, mas poderia:
http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Latin_phrases_(full)

A ignorância é um mecanismo que capacita um tomate a saber de tudo.


"Que os fontes estejam com você..."

Glauber Machado Rodrigues
PSL-MA

jabber: [EMAIL PROTECTED]
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a