Salve Paulo !

"com um mercado que seja obrigado a contratá-lo e onde ele não vai perder a
vaga na empresa pra um cara que apenas leu livros e não gastou nada."

Sabemos que muita vezes isso não é verdade, uma "especialização no mercado",
vamos chamar assim os cursos de DBA Oracle, Certificações, etc. são tão
caros ou até mais caros que uma univerisade particular, e existem muitos
profissionais que investem seu dinheiro em cursos desses, ao contrário de
investir em uma faculdade, conheço muitos mesmo.

"é possível ver diversos exemplos de pessoas que não tem formação acadêmica,
mas que são ótimos profissionais. Mas eu me pergunto se isso é a regra ou se
é excessão. "

A questão aqui não são só os que não têm formação, acredito que esses estao
preocupados em se formar, e dão mais valor ao conhecimento do que os que
muitas vezes se formam, porque além disse para eles que trabalhar com
informática dá dinheiro, sabemos que existe uma leva de profissionais que
nem sabiam o que escolher na hora do vestibular e como dizem que informática
dá dinheiro, optaram por esse curso. Mas a maior questão estão nos
profissionais de outras áreas, que por conhecimento e opção escolheram
trabalhar com sistemas de informações, eu memso posso dizer que um dos
profissionais mais brilhante que eu conheço se formou em medicina, e a
úinica coisa que ele faz na vida é programar. Temos vários exemplos como
ele, e como você faria para regularizar essas situações.

"Porque tenho visto muitos profissionais  que graças a idéia do "next",
"next", "next", resolve abrir uma empresa de informática sem conhecimento
técnico necessário. Dai esse tipo de cara acaba atendendo mal os clientes e
estes por suas vez, acham que todo "cara de informática" é picareta. Isso
precisa ser pensando, como evitar os "maus profissionais" ".

Me desculpa, espero que não seja com esse profissional que os graduados
estejam querendo disputar mercado, estamos falando falando de oportunidade
que exigem alto nível de conhecimentos.

"Teoricamente o mercado tende a excluir os maus em favor dos bons"

Teoricamente não! é fato !

", mas a questão é que como todo mundo hj é da "área de informática", dá
difícil o mercado conseguir selecionar a tempo, e os maus estão se
proliferando :-)"

Todo mundo não! a grande questão é  que estamos falando de um universo e não
de uma simples área de informática, é preciso primeiro saber classificar o
tipo de trabalho e a qualificação para o mesmo, sem é claro desclassificar
ou inferiorizar.

Imagina, se os Engenheiros Mecânicos resolvessem dizer que para mexer com
motor, a pessoa deve ser graduada, e que todos os mecânicos de oficinas não
pudessem mais trabalhar, e olhe como tem picareta! Ou que os Engenheiros
Elétricos comecem a dizer que para trabalhar com eletricidade tem ter nível
superior, e por ai vai ...

O importante é saber, que na área da informática existem muitas atividades
que não obrigatoriamente necessitam ser desempenhads por profissionais com
formação superior, e são muito mais que em outras áreas. A questão é, quais
realmente são as áreas de especilizações de nível superior? Arquitetura de
Sistemas? Gestão de Projetos? Metodologias? Auditorias? Programação em PHP?

A questão é? o que faz uma especialização necessitar de formação superior?
escrever código ou projetar os sistema? instalar o sistemas operacional ou
desenhar os processos de produção?

É necessário saber dividir o que realmente é crítico, e o que necessita ser
executado por alguém que tenha formação superior (se encararmos que ter
formação superior é atribuir uma responsabilidade maior a esse profissional)
e o que não é. Um bom exemplo é o SOX que para se fazer parte da Bolsa do
EUA você precisar implementar.

Penso que quando estamos falando em um regularização não é dizer: Tá bem
agora sou formado e posso fazer o que quiser. Pelo contrário, regularizar é
atribuir mais responsabilidades ao profissional, e não só, não adianta ser
formado. Tem que ser capacitado, e quem vai fiscalizar isso? se é para
regularizar vamos falar de fiscalização, qual é a responsabilidade do
graduado quando ele fizer uma "merda"?? .. Outros profissionais perdem a
licença para exercer a profissão! e os da área de computação?? se um
profissional formado destruir uma base da dados inteira de uma empresa, o
que já vi acontecer, o que acontece com ele, além de ser mandado embora??
Quem vai fiscarlizar isso?? que empresa vai denunciar um profissional e ter
que assumir que perdeu sua base de dados, correndo o risco de sua ações
cairem?

Tudo isso é muito complexo, e acho que precisamos de muito tempo para
conseguir pensar em algo, essa área além de ser muito complexa é muito
recente, estamos querendo compara-lá e nos inspirar na regulamentação de
outras áreas, que já existem a muito e muito tempo. Podemos tirar como
exemplo: Engenharia, Medicina, Arquitetura, Direito etc. que já existem á
séculos e que devem ter levado séculos para regularizar. A informática nem
100 anos tem =)

Acho que precisamo estudar muito muito e muito antes te sairmos gritanto com
a bandeiras balançando!

E digo mais !! estamos vivendo uma nova era, que esta se inciando, uma era
onde todo o conhecimento vai ser livre e todos vão ter direito ao
conhecimento !! e toda essa história de regularização vai ficar ainda mais
complicada =)

Um grande abraço;

2008/10/13 Paulo Henrique Santana <[EMAIL PROTECTED]>

> 2008/10/13 Marco Lima <[EMAIL PROTECTED]>:
> >
> >> Salve Paulo!
> >>
> >> "a ENEC mudou a sua postura em relação a regulamentação, passando a
> >> defender uma abertura ainda maior do que ela já defendia, se colocando
> >> inclusive contra a criação de um conselho."
> >>
> >> Isso para mim é realmente importante, mas se deve tomar cuidado quando
> >> estamos falando de uma área que envolve muito mais do que estudantes de
> >> graduação e pós-graduação da área de computação. Por isso tenhamos
> cuidado
> >> nessas discuções e debates, para que não exista uma inferiorização dos
> >> profissionais não formados e dos formados em outras áreas, temos sempre
> que
> >> lembrar que todos somos profissionais da área e que somos colegas do
> >> dia-a-dia.
>
> Oi Marco,
>
> Normalmente quem participa de movimento estudantil tem uma visão mais
> ampla do que pode ser benéfico não apenas para o seu grupo, mas tb
> para a sociedade.
> Dessa forma, é comum ver opiniões favoráveis a liberdade do exercício
> da profissão no movimento estudantil, principalmente se houver alguma
> participação tb no movimento de soft. livre.
>
> Mas a verdade é que grande parte da "massa" de estudantes não está
> preocupado com isso, o cara quer é que haja restrição no mercado de
> trabalho justamente pra garantir que ele terá o seu emprego ao se
> formar.
> Isso é muito visível no pessoal de faculdade particulares, onde o cara
> investiu uma grana, e quer ter um retorno garantido, com um mercado
> que seja obrigado a contratá-lo e onde ele não vai perder a vaga na
> empresa pra um cara que apenas leu livros e não gastou nada.
> Dentro das universidades públicas o debate ainda é um pouco mais
> aberto, só que mesmo assim, a maioria é favorável a regulamentação com
> tudo que ela tem direito, do tipo, quanto mais restrita, melhor.
>
> Claro, há excessões. Existem tb os que defendem a regulamentação não
> como forma de garantir a restrição no mercado de trabalho, mas como
> uma tentativa de melhorar a qualidade da profissão e defender a
> sociedade contra os maus profissionais.
>
> Olha, eu tenho visto várias realidades, e aqui na comunidade de soft.
> livre é possível ver diversos exemplos de pessoas que não tem formação
> acadêmica, mas que são ótimos profissionais.
> Mas eu me pergunto se isso é a regra ou se é excessão. Porque tenho
> visto muitos profissionais  que graças a idéia do "next", "next",
> "next", resolve abrir uma empresa de informática sem conhecimento
> técnico necessário.
> Dai esse tipo de cara acaba atendendo mal os clientes e estes por suas
> vez, acham que todo "cara de informática" é picareta.
> Isso precisa ser pensando, como evitar os "maus profissionais"
>
> Teoricamente o mercado tende a excluir os maus em favor dos bons, mas
> a questão é que como todo mundo hj é da "área de informática", dá
> difícil o mercado conseguir selecionar a tempo, e os maus estão se
> proliferando :-)
>
>
> --
> Paulo Henrique de Lima Santana
> www.phls.com.br
> Tel. (41) 9638-1897
> icq: 86344835 msn: [EMAIL PROTECTED]
> Linux user 228719
> .
> _______________________________________________
> PSL-Brasil mailing list
> PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
> http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
> Regras da lista:
> http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
>



-- 
Marco Lima
[EMAIL PROTECTED]

"ter acesso ao conhecimento é um dever de todos; transmitir conhecimento é
um dever de quem tem."
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a