2009/1/22 rafael <rafaelcro...@gmail.com>

> Glauber Machado Rodrigues (Ananda) escreveu:
> Então, o dono do bar não é nem mais dono da geladeira e dos bancos...
>

Mas se ele quiser comprar os dele ele compra. Só não compra porque tem de
graça, inclusive a manutenção.


> Como o cliente pode vender mais barato que a distribuidora? Não entendi?
> Ele toma prejuízo? Não entendi...
>

Quando a fábrica está muito interessada em um cliente, ele dá a bebida de
graça em troca de cobertura.

[Cobertura é quando você tem o seu produto em todo lugar, para que o
consumidor não desacostume a consumir porque não achou o produto. É uma
espécie de investimento na marca.]

Como a distribuidora compra a bebida e o cliente simplesmente ganha em troca
de cobertura, às vezes o cliente baixa tanto o preço que fica mais barato os
outros clientes da distribuidora passarem a comprar com esse cliente
estratégico.


> É uma concorrência intermonopolista. Mas um fabricante artesanal de
> cerveja não entra na jogada. A concorrência entre os monopolios existe e
> é pesada, mas não é de forma alguma livre-concorrência ...
>

Nada disso, se a cerveja é boa ela vende onde quer que seja. Refrigerante é
a mesma coisa. Às vezes nem precisa ser bom, só precisa ser barato. O fato
de não haver intermediários para o pequeno fabricante cria uma agilidade que
é muito difícil de combater regionalmente. Também não dá para comprar porque
eles metem a mão na hora de avaliar o preço no negócio. Então eles ficam por
lá, e gente como eu ganha emprego desenvolvendo ferramentas para agilizar o
negócio, senão os pequenininhos dão mais do que trabalho. Não posso falar os
nomes, mas nas reuniões das distribuidoras cada um está tendo trabalho com a
concorrência, seja na posição de líder ou não.

Você nunca foi na periferia e encontrou nenhuma marca de bebida bizarra? Com
a lei seca o consumo de bebidas se deslocou para as periferias onde a
fiscalização quase não existe. Por isso os pequenos acabam levando boa parte
do dinheiro. Isso é bom, porque se fosse tão fácil assim eu tinha um cliente
a menos pq ninguém iria precisar de mim =)

Os outros negócios que eu já vi também são assim. Você tem que gastar muito
dinheiro e contar com muita gente boa se quiser continuar no jogo, cortar
gastos (grande parte das vezes cortar gastos significa contratar mais
pessoas que saibam dizer onde os gastos devem ser controlados, desenvolver
ferramentas gerenciais, etc), etc. Isso gera muita oportunidade para muita
gente, inclusive para quem mexe com SL.


-- 
Glauber Machado Rodrigues
PSL-MA

jabber: glau...@jabber-br.org

música livre é bem melhor:
http://www.jamendo.com
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a