Eu acho que exatamente esse tópico abordado pelo Ananda que é o mais absurdo
nesse julgamento.

Vamos partir da premissa que a troca p2p de material sob direito autoral
alheio sem permissão seja um crime sim.  O PirateBay não o cometeu! Ele dá
espaço para pessoas localizarem pedaços de arquivos, sejam eles quais
forem... se alguém comete crime, é o usuário que postou algo indevido..


*Imagine, você encontra num shopping uma loja vendendo CDs ilegais. A
polícia faz o que, multa a administração central do shopping?!?

*
Se você é atropelado e morto por alguém didigindo um Pálio, a Fiat é
processada?!?!   Parece que essa é a lógica que está sendo utilizada
aqui....

Pra mim o maior absurdo é esse....

[]s
Henrique



2009/2/17 Glauber Machado Rodrigues (Ananda) <glauber.rodrig...@gmail.com>

>
>
> 2009/2/17 Pablo Sánchez <phack...@gmail.com>
>
>> Nesse mundo nada mais certo que o fato de que só fica rico quem
>> explora o trabalho dos outros, e não quem trabalha.
>>
>
> [no exemple needed]
>
>
>>
>> > E fazem isso enquanto praticam lavagem cerebral
>> > para que o sistema continue achando que precisa desse tipo de trabalho,
>> > enquanto derruba outras alternativas que bypassam o seu trabalho e
>> mostram
>> > que ele não é necessário para o sistema.
>> >
>> > Muito do que temos hoje de benéfico no mundo não existiria (e não seria
>> tão
>> > comum) se os "criminosos" do underground ficassem seguindo
>> obedientemente as
>> > leis e beneficiando as pessoas para quem essas leis foram encomendadas.
>>
>> [example needed]
>
>
> É só pegar qualquer uma dessas revoluções. Nem sempre os revolucionários
> são hackers que conseguem encontrar uma brecha na lei para permitir a
> prática do que acreditam.
>
>
>
>> Ok, mas qual é a proposta então? Simplesmente ignorar a lei e os
>> direitos daqueles que criaram o conteúdo, tomando posse do conteúdo
>> deles, do trabalho deles? A mudança deve vir a partir das pessoas que
>> criam os materiais, como é com a comunidade de Software Livre, que
>> desenvolve e "doa" seu trabalho, permitindo sua cópia e proliferação.
>> Se as pessoas abrem mão de seu trabalho em prol de algo maior, aí sim,
>> a legislação se adequa para permitir que essas pessoas espalhem seu
>> material.
>>
>
> É por isso que eu falei que era diffícil defender. Em parte porque as
> pessoas fazem mal uso do serviço para apenas deixar de remunerar o trabalho
> de alguém.
>
> Mas em parte as redes p2p são um experimento de como os verdadeiros
> produtores de conteúdo podem bypassar um distribuidor intermediário que fica
> com a maior parte do dinheiro arrecadado. Acabar com as redes p2p porque
> elas podem veicular pirataria é o mesmo que destruir as ruas porque elas
> podem ser usadas por bandidos.
>
> Fora isso, um tracker de arquivos torrent não deveria ter qualquer
> obrigação de aplicar qualquer esforço em recursos para protejer o patrimônio
> de outros que não o fazem.
>
> Se eu sou fabricante de um pé-de-cabra e testemunho um arrombamento, eu
> devo ser preso se eu não denunciar? Eu devo ser obrigado a gastar rios de
> dinheiro desenvolvento um pé-de-cabra oniciente que se recusa a fazer parte
> de arrombamentos ilegais?
>
> --
> Glauber Machado Rodrigues
> PSL-MA
>
> jabber: glau...@jabber-br.org
>
> música livre é bem melhor:
> http://www.jamendo.com
>
>
> _______________________________________________
> PSL-Brasil mailing list
> PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
> http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
> Regras da lista:
> http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
>
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a