Em 18/02/09, Alexandre Oliva<lxol...@fsfla.org> escreveu:
> On Feb 17, 2009, "Omar Kaminski" <o...@kaminski.com> wrote:
>
> > Não foi nem uma nem duas vezes que vieram reclamar pra mim que não tá
> > dando pra ficar fazendo coisas de graça. É o óbvio ululante.
>
> Então que façam que nem você e eu: façam-se as coisas quando alguém
> estiver pagando.  É a remuneração direta e direita.  Sem essa de "eu vou
> fazer isso aqui e, quando estiver pronto, vou cobrar uma grande de todo
> mundo que quiser usar, sem precisar mover uma palha mais", que é a
> lógica do direito autoral.  Que nem é a lógica predominante, em termos
> de faturamento, na indústria de software, vale lembrar.

Interessante citar dessa forma, porque, veja bem (com certeza já viu,
mas acaba de passar por cima): quando falamos em software, a lei 9609
(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9609.htm) cita o seguinte:

Art. 4º Salvo estipulação em contrário, pertencerão exclusivamente ao
empregador, contratante de serviços ou órgão público, os direitos
relativos ao programa de computador, desenvolvido e elaborado durante
a vigência de contrato ou de vínculo estatutário, expressamente
destinado à pesquisa e desenvolvimento, ou em que a atividade do
empregado, contratado de serviço ou servidor seja prevista, ou ainda,
que decorra da própria natureza dos encargos concernentes a esses
vínculos.

Basicamente, ser pago para desenvolver software, não te dá permissão
de distribuir o software. Ou seja, produzir só quando é pago, não gera
necessariamente Software Livre. O que basicamente dá uma boa travada
no discurso... A menos que você se restrinja a só´aceitar um contrato
se o software produzido for Software Livre no final, AÍ a coisa muda
de figura, mas seu mercado de trabalho continua um pouco restrito.

> > Você é um bom exemplo: largue do seu emprego e fique programando e
> > codificando software de graça....
>
> Ué?  Se alguém me paga pra codificar (está repassando a mim o que cobra
> de outros), e não vai cobrar por licença do resultado, pelo contrário,
> vai disponibilizar para todos e cobrar, por que eu não faria isso?
>
> Deixar de cobrar por licença não significa fazer voto de pobreza.  Muito
> pelo contrário.  A cobrança por licença é menos de 1% do faturamento
> mundial da indústria de TI.  Serviços, incluindo desenvolvimento,
> suporte, etc, respondem por mais de 40% do faturamento mundial da
> indústria de TI.  Por que tanta gente se agarra a esses míseros 1% eu
> não entendo.
>
> --
> Alexandre Oliva           http://www.lsd.ic.unicamp.br/~oliva/
> You must be the change you wish to see in the world. -- Gandhi
> Be Free! -- http://FSFLA.org/   FSF Latin America board member
> Free Software Evangelist      Red Hat Brazil Compiler Engineer
>
> _______________________________________________
> PSL-Brasil mailing list
> PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
> http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
> Regras da lista:
> http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
>


-- 
=================================
Pablo Santiago Sánchez
Análise e Desenvolvimento de Sistemas Web
Zend Certified Engineer #ZEND006757
phack...@gmail.com
(61) 9975-0883
http://www.corephp.com.br
"Quidquid latine dictum sit, altum viditur"
=================================
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a