2009/2/27 Alexandre Oliva <lxol...@fsfla.org>:
> On Feb 27, 2009, Ricardo Bánffy <rban...@gmail.com> wrote:
>> Eu dificilmente acreditaria que a sua vida depende de ouvir músicas
>> sem remunerar quem as produziu...
>
> Se os únicos direitos e liberdades que você acha que vale alguma coisa é
> a vida, o que é que você tá fazendo defendendo o suposto direito do
> autor de publicar sua obra e depois buscar remuneração pelo trabalho de
> divulgação que outros fazem pra ele?

Qual é então a raiz da sua urgência em receber músicas que outros
compartilharam a despeito da oposição de seus autores?

>>> Você, por exemplo, faz Software Livre e adora a licença de Software
>>> Livre permissiva publicada pela Universidade da California em Berkeley,
>>> a BSD modificada.
>
>> Ela também limita a liberdade de quem recebe o código que não pode
>> omitir a informação de autoria original.
>
> E desde quando isso é uma liberdade?  Liberdade de mentir?  De se fazer
> passar por autor de algo que não é?

Omitir não é alterar. Se eu disponibilizar um binário baseado em fonte
BSD eu preciso ter no programa alguma funcionalidade que mencione que
partes do programa contém código de xyz e a nota de copyright original
ou um arquivo de documentação que vá junto mencionando isso.
Dependendo da forma de distribuição, isso pode ser um problema.

>>> Correto.  O criminoso comete o ato em vantagem própria.
>
>> A sua definição de crime é curiosa.
>
> De novo a gente não está se entendendo.  Não ofereci definição alguma.
> Apenas apontei um fato sobre a situação em discussão.  Não se perca
> tentando tomá-la como uma definição geral.

Quando voê diz que "O criminoso comete o ato em vantagem própria.  A
desobediência
civil que praticamos, visa a subverter todo o sistema, para benefício de
toda a sociedade." você dá a entender que, se for para benefício de
toda a sociedade, deixa de ser crime.

Ou eu entendi errado o que você disse?

> Vai lá estudar o código penal e as exclusões de ilicitude (art 23), sem
> falar nas modalidades de erro (logo antes) que anulam ou comutam a
> pena.  Agora compare as definições de estado de necessidade, legítima
> defesa e exercício regular de direito com:

Quando você pratica a pirataria de músicas, você alega estado de
necessidade ou legítima defesa?

> O falso dilema (de novo) é que direito autoral, do jeito abusivo que
> está implementado hoje, é a único meio de incentivo adequado.  Conforme
> ficou claro nessa discussão, o direito autoral, como existe hoje, não
> incentiva a produção cultural, incentiva apenas a concentração de poder
> na indústria editorial e a restrição à população ao acesso à cultura, em
> detrimento dos autores e da sociedade.

Se o meu é um falso dilema, o que é o seu? De onde você tirou a idéia
de que o estado atual das coisas não incentiva a produção cultural e
incentiva apenas a concentração de poder nas mãos da indústria
editorial? A primeira parte é claramente uma mentira (ou não haveria
produção cultural sendo compartilhada).

> Mesmo assim, autores continuam produzindo, apesar de toda a exploração
> que sofrem, e continuam buscando meios de escapar das garras da
> indústria editorial.  Poucos têm a sabedoria de rejeitar as amarras
> antes de ser tarde demais.  Quando abrem os olhos, já estão presos, e
> limitados nas possibilidades que têm para explorar outros meios de
> remuneração.

Se burrice fosse ilegal, eles poderiam ser presos. Infelizmente não é.

> Pra que preservar esse modelo de quase escravidão?

Esse é o seu falso dilema. Para você não se pode pregar o respeito aos
direitos do autor de impor condições para a difusão de sua obra sem
que com isso esteja se protegendo um modelo anacrônico que vai
desaparecer mesmo que não façamos nada.

E que fica cada vez mais forte à medida em que associa as forças que o
ameaçam ao crime. E o fazem com ajuda de inocentes úteis como você.

> Ah, você acha que não é?  Pois olhe os contratos que as gravadoras
> oferecem aos artistas.  Funciona mais ou menos assim:
>
> - a gente faz um empréstimo pra você, correspondente aos custos de
> preparação (prensagem/impressão) das cópias que a gente vai dizer pra
> você que fez, mas você não vai ver esse dinheiro, a gente vai retê-lo
> para arcar com esses custos

Alegoria interessante. Acho que os termos são um pouco menos
draconianos. E o custeio começa com a 1) produção, (a contratação de
músicos, engenheiros de som, produtores, estúdios), 2) preparação
(capistas, fotógrafos), 3) prensagem e distribuição e 4) promoção.
Como eu disse, o modelo digital reduz muito a importância 3, pode
facilitar o 4, mas não faz muito pelo 1, 2 ou 3. Quantos músicos você
conhece que conseguem arcar com esses do próprio bolso? Um bom
produtor custa caro e um bom estúdio, um monte de dinheiro por hora.

> - se sua vendagem superar muito as nossas espectativas mais otimistas,

(blá blá blá)

> e usar o dinheiro extra pra comprar legisladores e polícia pra
> encarcerar os fãs que de outra forma poderiam ir aos seus shows e trazer
> algum dinheiro pra você

Quantas pessoas foram presas mesmo? Nenhuma? Uau! Isso é dinheiro bem empregado!

> - não perca tempo reclamando ou tentando achar outras gravadoras ou
> editoras ou modelos de negócio.  Tudo que você faz pertence a nós, somos
> o único caminho para o sucesso e sua obrigação é de criar obras pra
> gente empacotar, divulgar e vender.

E os independentes? E os selos menores?

> A tese de que existe um direito natural a uma remuneração para quem põe
> o último tijolo numa obra é completamente furada,

E quem coloca os outros? E quem desenha a linha entre o tijolo que
merece ser remunerado do que não merece? Você?

> mas você se agarra a
> ela com tanta força que, apesar de todas as evidências contrárias e de
> todos os seus recuos por causa disso, continua baseando seus argumentos
> nessa premissa falsa.

A única premissa falsa aqui foi achar que seria possível fazer você
entender que as leis continuam válidas mesmo quando são inconvenientes
pra você.

-- 
Ricardo Bánffy
http://www.dieblinkenlights.com
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a