Caros Listeiros,


Eu li isso no site da FSF (http://www.gnu.org/philosophy/free-sw.html):

(...)
"Free software" does not mean "non-commercial." A free program must be available for commercial use, commercial development, and commercial distribution. Commercial development of free software is no longer unusual; such free commercial software is very important. You may have paid money to get copies of free software, or you may have obtained copies at no charge. But ***regardless of how you got your copies, you always have the freedom to copy and change the software, even to sell copies***.
(...) Asteriscos meus


E depois li o seguinte, na GPL v2 (http://www.gnu.org/licenses/gpl-2.0.txt)


(...) "1. You may copy and distribute verbatim copies of the Program's source code as you receive it, in any medium, provided that you conspicuously and appropriately publish on each copy an appropriate copyright notice and disclaimer of warranty; keep intact all the notices that refer to this License and to the absence of any warranty; and give any other recipients of the Program a copy of this License
along with the Program.
***You may charge a fee for the physical act of transferring a copy, and you may at your option offer warranty protection in exchange for a fee. ***"

2. ...
b) You must cause any work that you distribute or publish, that in whole or in part contains or is derived from the Program or any part thereof, to be licensed as a whole ***at no charge to all third parties*** under the terms of this License."
(...) Asteriscos meus

Para mim está muito claro que a GPLv2 especifica que você ***não pode vender os códigos-fontes***.

E, pelo que estou entendendo da explicação dada pela Free Software Foundation, você ***pode vender os códigos-fontes***, o que leva a uma contradição e a uma apropriação indébita da propriedade intelectual contida no software, já que qualquer um pode copiar livremente e vender por um preço. Ora, o que eu sempre entendi da GPLv2 é que a venda é do serviço - o que a licença chama de "warranty protection"- o que não conflita em nada com o que diz a licença.


O que entendo da GPLv2 é o seguinte: como liberdade não pode ser imposta, (1) eu aceito as condições da licença e repasso estas condições; e como existe direito de propriedade intelectual, (2) como eu recebi o código já aperfeiçoado de alguém, o que eu posso cobrar quando eu repassá-lo é o trabalho de copiar (o que é irrisório) somado ao trabalho que eu tive para realizar as minhas modificações (se eu quiser) somado ao meu trabalho de adaptar o software para o usuário (se eu quiser).

Ou seja, eu auxilio o trabalho dos outros membros da comunidade quando libero as minhas modificações a custo zero (se eu quiser liberar) e sempre obtenho retorno pelo meu trabalho quando uso o software para prestar serviços.


Em suma, eu não posso vender o trabalho do outro, que confiou em mim quando licenciou o software com a GPLv2. Eu só posso vender o meu trabalho. Se eu for vender o trabalho do outro, eu estou me apropriando do trabalho do outro. Isso eu chamo de apropriação indébita ou de pirataria. E eu creio que não é este o "espírito" deste contrato.


Alguém me esclarece se existe algum erro no que eu escrevi ?

Respeitosamente,

Marcus Vinicius.

_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a