Começando pelo final, onde está o mais importante.

Em 04/04/2009, às 03:32, Alexandre Oliva escreveu:

Distribuir os binários correspondentes, até poderia, não entendo por que não faz. Pra mim, esse negócio de oferecer só os fontes nunca fez muito sentido, mas não sou eu que decido, eu só questiono. Não porque haja algo errado aí, mas sim porque não faz sentido pra mim. De todo modo,
já é bem mais do que seria necessário para o Software ser Livre.

A discussão aqui nunca foi se os produtos da Red Hat são livres ou não. Inclusive, vc é o primeiro a levantar o assunto. O fato é que existe, sim, um bom motivo pra Red Hat *não* distribuir (ou dificultar o acesso) aos seus binários. E tenho certeza de que com mais Michael Porter do que Harry Potter qualquer um descobre esse motivo. ;-) Indo mais longe, existe um excelente motivo pra Red Hat fazer questão de abrir uma palestra ano passado ou retrasado em Brasília explicando a diferença entre Open Source e Software Livre e se posicionando como uma empresa de software "Open Source".
Detalhe: quem fez a palestra foi o Michael Tiemann.

Que eu saiba, pelo menos a Red Hat oferece acesso gratuito aos patches, e há distribuições comunitárias e comerciais por aí que são, para todos
os efeitos, funcionalmente idênticas, justamente por isso.

Sim. Há distribuições de "recompilação de Red Hat" por aí. Inclusive, a Red Hat proibiu pelo menos uma delas de sequer citar seu nome (vide CentOS). Mas, o fato é que não dá pra comparar uma distribuição recompilada com um produto completo. Nem de longe. E o negócio dos governos certamente não é ficar recompilando patches da Red Hat.

On Apr 3, 2009, Olival Gomes Barboza Júnior <olival.jun...@gmail.com> wrote:

A licença de uso da MS permite ao menos o acesso aos patches do
sistema operacional, pacote de escritório e demais programas
"educacionais" indicados.

Qual parte do *contrato* de licença para usuário final estabelece essa
*obrigação* para a Microsoft?

Não sei. De fato, eu construi mal minha frase. Até porque os patches dos produtos MS estão disponíveis até para as cópias não autorizadas de seus produtos. E o fato é esse: o cliente do produto proprietário tem uma forma simples e conveniente de instalar patches no software da MS. Eu sei que existem formas tão ou mais eficientes nas distribuições GNU/Linux, mas o fato é que nenhuma das "majors" do mundo GNU/Linux está oferecendo isso aos governos que estão fechando acordos com a MS.


Ou seja, tá tudo na mão de quem quiser. A diferença é, do nosso lado,
que ninguém está fazendo muito esforço pra tornar os clientes
dependentes oferecendo só a primeira dose grátis.


Mas tem gente que parece que quer não só que alguém ofereça a dose, quer
que o fornecedor vá lá e injete nela.  Oh, dó... :-/

Estamos falando de empresas competindo legitimamente. E se empresas q competem usando software livre como base de seu modelo de negócios estão usando táticas anti-éticas, então talvez seja o caso de considerar que são todas "farinhas do mesmo saco".

OJr
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a