2009/4/13 Roberto Parente <betim.pare...@gmail.com>

> Olá pessoas,
>
> Eu num entendo é pq o pessoal fica nessa de "Os supra-sumos do mercado SL
> ficam parados"... Existem dois pontos que gostaria de colocar sobre essa
> forma de pensar...
>
>      1- A MS sempre foi mais esperta do que esse pessoal do mercado de S.L.
> Ela "ataca" em muitas frentes. Por exemplo em universidades, governos,
> eventos acadêmicos, eventos corporativos, eventos de SL (esse é o mais
> legal) e etc... Lógico que não dá para comparar os bilhões da MS com o
> milhões das CIA de "FOSS" (entre aspas com  referência ao email do Olival
> JR). Então temos um fato nesse ponto: A MS é mais esperta (ou experiente?)
> do que as empresas de FOSS e os vários acordos não são nada mais que
> constatação desse fato. Fico me perguntando: Se os lobbys viessem a tona,
> quais empresas foram atrás de governos para acordos desse tipo? Tenho minhas
> dúvidas se teriam outras fora a MS.
>

Acredito que o dinamismo da MS vem justamente do interesse em levar vantágem
em cima do cliente. Dá o primeiro passo quem tira mais vantagem.

Os acordos da MS sempre à favorecem bem mais que o razoáve,  já os acordos
de SL são bem balanceados, beneficiando as duas partes. Logo, as duas partes
devem se procurar mutuamente.


>
>      2- Será que a proposta da comunidade SL é realmente esperar outra
> empresa dar uma contra-proposta para o governo e, talvez, ser aceita? Assim
> ficamos todos felizes da vida? Eu realmente acho um disperdicio um governo
> contratar empresas para isso. Então porque a comunidade não cria uma postura
> dos governos serem mais pró-ativos na área de TI? Quase todo governo
> estadual tem sua empresa de TI (se não tem pq não brigar por isso?) e pq não
> investir o dinheiro que iria para a MS, Red Hat, Novell e etc internamente e
> estruturação real? Universidades, pessoas (eu sei que sonhar com concurso
> público é demais, mas enfim) e etc. Apesar de ter minhas diversas críticas
> ao governo do Ceará, uma coisa que eles estão indo de forma interessante
> (não ideal, mas enfim né) é investindo junto com universidades e
> estruturando a TI com S.L. Eles têm sim uns contratos aqui e aculá com Red
> Hat's da vida, mas eles estão fazendo tudo internamente, usando boa parte da
> mão de obra já existente no Governo... Então fica a minha dúvida: Será que a
> comunidade deve esperar alguma corporação/empresa chegar com um guarda-chuva
> e dizer "Eis a minha solução para seus problemas" (na minha visão isso é
> quase a mesma coisa de um acordo com MS, não tenho fetiche pelo nome
> "software livre" ao ponto de achar que isso seria o máximo isso).
>

Acho que é por aí. O governo deveria deixar a mentalidade de consumidor e
passar a ter uma relação mais participativa com a tecnologia da informação.


>
>      Por fim, fica a dúvida: Como a comunidade se movimenta? Fala isso pq
> se fosse um ataque a outros movimentos sociais (estou colocando no mesmo
> bolo como sendo movimentos pró algo "melhor") com certeza os militantes
> (esse termo assusta algumas pessoas?) estariam fazendo minimamente
> panfletagem em algum local da cidade, isso atinge muito mais diretamente do
> que discutir em listas de email com pessoas que pensam minimamente parecido
> com você...
>
>      Então a pergunta: E ai, o que vamos fazer? Cartilha seria uma boa?
> Subversão? Procurar audiências pública? Panfletagem? E ai, qual será a
> nossa?
>

Acho que é processo cultural que demora um pouco para ganhar maioria entre
os profissionais da área, tão acostumados com o modelo fechado.

Quem tem poucos recursos tem que investí-los em medidas duráveis, que vão
permanecer frutificando durante um longo período. Ficar competindo com as
iniciativas da MS batalha por batalha consome muito tempo da comunidade, e
deixa todo mundo muito cansado.

Acho que investir o próprio tempo fortalecendo a infra-estrutura do modelo
SL para que os profissionais de SL possam produzir cada vez mais, na minha
opinião, é uma maneira mais eficiente de usar nossos recursos humanos do que
ficar boicotando a todo custo a MS. Quando tem uma forma fácil de boicote,
Ok, quando não tem, é só replanejar e se concentrar no que é mais
importante: fortalecer o nosso modelo com ferramentas primeiro e sempre, com
usuários quando possível.

Se alguém puder ir lá e conversar com as pessoas chaves, explicar a situação
e mostrar que onde está o golpe, mensionar que a equipe interna pode
oferecer o mesmo através de produtos com a mesma funcionalidade, gratuitos,
adaptáveis, etc, etc, beleza. Se não der, ok, não dá para ganhar todas na
base do sacrifício pessoal.



-- 
Glauber Machado Rodrigues
PSL-MA

jabber: glau...@jabber-br.org

música livre é bem melhor:
http://www.jamendo.com
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a