Cara isso dá uma viagem....!

Sabe qual o barato destes itens e outros! Se eu guardar uma musica na
cabeça, estarei fud[ ;-( ]. Irão descepar a minha cabeça! Já pensou,
vou para o saco por ficar impregnado por uma musiquinha nojenta e
mediócre[tipo, cada um no seu quadrado, etc] que se fazem por aí.
Estas leis, a do Azeredão são uma brincadeira... [ de muito mau
gosto....! ]

Desculpem-me!

Dennis


2009/6/3 Olival Gomes Barboza Júnior <olival.jun...@gmail.com>:
> 2009/6/3 Alexandre Oliva <lxol...@fsfla.org>:
>> On Jun  2, 2009, "Omar Kaminski" <o...@kaminski.com> wrote:
>> Onde, na lei, diz que NÃO pode fazer cópia de reserva?  Sei que a lei 9610
>> autoriza, sem sombra de dúvida, a cópia de pequenas porções em alguns
>> casos, mas cadê a proibição da cópia integral?
>
> Leia abaixo o texto da lei. Se os itens I, IX e X não dizem isso,
> então devo estar lendo muito mal. A menos que a sua "cópia reserva"
> não envolva "reprodução", "armazenamento em computador" ou "qualquer
> outra modalidade de utilização". Ou que vc ache q o autor sempre lhe
> dê autorização.
>
> Não é que eu acredite que a forma defendida pela indústria de
> entretenimento seja justa, apenas acho que é preciso reconhecer um
> problema para trabalhar sobre ele. E o problema é que a legislação
> atual não é adequada. Se for como vc defende, não seria preciso rever
> nada da lei vigente. Aliás, da forma como é defendida, para que leis?
> ;-)
>
> LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
>
> ( . . . )
>
> Art. 29. Depende de autorização prévia e expressa do autor a
> utilização da obra, por quaisquer modalidades, tais como:
>
>        I - a reprodução parcial ou integral;
>
>        II - a edição;
>
>        III - a adaptação, o arranjo musical e quaisquer outras transformações;
>
>        IV - a tradução para qualquer idioma;
>
>        V - a inclusão em fonograma ou produção audiovisual;
>
>        VI - a distribuição, quando não intrínseca ao contrato firmado
> pelo autor com terceiros para uso ou exploração da obra;
>
>        VII - a distribuição para oferta de obras ou produções
> mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema
> que permita ao usuário realizar a seleção da obra ou produção para
> percebê-la em um tempo e lugar previamente determinados por quem
> formula a demanda, e nos casos em que o acesso às obras ou produções
> se faça por qualquer sistema que importe em pagamento pelo usuário;
>
>        VIII - a utilização, direta ou indireta, da obra literária,
> artística ou científica, mediante:
>
>        a) representação, recitação ou declamação;
>
>        b) execução musical;
>
>        c) emprego de alto-falante ou de sistemas análogos;
>
>        d) radiodifusão sonora ou televisiva;
>
>        e) captação de transmissão de radiodifusão em locais de
> freqüência coletiva;
>
>        f) sonorização ambiental;
>
>        g) a exibição audiovisual, cinematográfica ou por processo assemelhado;
>
>        h) emprego de satélites artificiais;
>
>        i) emprego de sistemas óticos, fios telefônicos ou não, cabos
> de qualquer tipo e meios de comunicação similares que venham a ser
> adotados;
>
>        j) exposição de obras de artes plásticas e figurativas;
>
>        IX - a inclusão em base de dados, o armazenamento em
> computador, a microfilmagem e as demais formas de arquivamento do
> gênero;
>
>        X - quaisquer outras modalidades de utilização existentes ou
> que venham a ser inventadas.
>
>> Conceder aos amigos acesso às obras que se tenha, mediante empréstimo de
>> CDs ou DVDs, é violação de algum preceito ético?  Ou seria a proibição
>> disso que seria?
>
>   Eu acredito que não. Mas, acho que é forçar a barra (e a ética)
> dizer que TODO MUNDO que acessa um arquivo compartilhado na Internet é
> meu "amigo". E dizer que isso é a mesma coisa que manter supostas
> "cópias de segurança" é insultar a inteligência de quem faz a doutrina
> do assunto.
>
>   Ainda acho muito mais inteligente a abordagem do executivo da
> Disney que virou e falou que a "pirataria" (no sentido vulgarmente
> adotado pela imprensa e indústria de entretenimento, antes que vc
> venha com aquela conversa do Jack Sparrow) é simplesmente um "modelo
> de negócio melhor" do q o q eles têm a oferecer. Simples assim. Quem
> copia filmagens toscas de cinema na internet quer simplesmente acesso
> mais rápido a determinada obra. Ou então poder assisti-la sem se
> submeter a uma horda de adolescentes mal educados. Por que não atender
> a esse público (que quer uma forma mais cômoda de apreciar a obra)?
>
>  [ ]s,
>
>   OJr.
> _______________________________________________
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a