> Os dois casos são amarrados na distribuição Debian. Mas, (apostamos, e até
> os mais ateus rezam todo dia, para que isso não aconteça) se um dia a
> comunidade Debian acabar, precisamos manter uma distro estatal para
> recomçar.
>
>
Acredito que o Debian acabar eh "impossivel", mas o Ubuntu, eu diria
"improvavel" :-)

Isamar


>
> Em 03/07/2009 às 16:23 horas, psl-brasil@listas.softwarelivre.org escreveu:
>
> Julian,
>
> no caso do Paraná foram feitas modificações extremas ou apenas incluiram
> alguns ( ou muitos ) programas e deram uma cara nova pro Debian?
>
> E uma outra dúvida, o que realmente caracteriza uma distro como uma nova
> distro? Mudar a aparencia e colocar (ou retirar) alguns softwares define a
> distro como nova distro?? Se eu incluir um novo jogo no Slack e criar uma
> iso e distribuir eu criei uma nova distro?
>
> Jefferson 'McGyver' Santos
>
>
> On 7/3/09, mvbsoares <mvbsoa...@uol.com.br> wrote:
>>
>> Olá Rafael,
>>
>> É importnate que você reflita sobre o seguinte: o particular pode fazer
>> tudo o que a lei não veda. O Estado só pode fazer o que a lei manda.
>>
>> Partindo desta afirmações, o Estado não pode tomar algo do privado, por
>> mais que este algo seja GPL, e criar algo em cima disso, pois existem
>> consequências jurídicas e econômicas a serem obervadas.
>>
>> E no caso do Estado, o fato de ele usar uma distro existente, por exemplo,
>> distro Debian na Prefeitura da Cidade tal ..., isso age nas pessoas como um
>> selo de qualidade, ou seja, além do reflexo jurídico - o Estado se
>> apropriando do trabalho privado - existe o reflexo econômico, que é a rede
>> econômica que é formada por causa do tal selo de qualidade, por mais que
>> esta qualidade não exista, seja apenas sentimento. Um exemplo disso é o
>> seguinte: durante a crise de 1929 muita gente se matou, mas o Estado
>> sobreviveu à crise, ok ?
>>
>> Resumidamente, é por isso é que o Estado tem que criar a sua distro.
>>
>> Fortes abraços.
>>
>> -- Marcus Vinicius --
>>
>> "Havendo suficientes colaboradores,
>>
>> Qualquer problema é passível de solução"
>>
>> Eric S. Raymond A Catedral e o Bazar "
>>
>>
>>
>> O passado é apenas um recurso para o presente"
>>
>> Clave de Clau
>>
>>
>>
>> "Ninguém é tão pobre que não possa dar um abraço;
>>
>> e Ninguém é tão rico que não necessite de um abraço. Anônimo
>>
>> Em 03/07/2009 14:04, Rafael Gomes < rafaelgo...@projetofedora.org >
>> escreveu:
>>
>> Julian,
>>
>> Sou a favor da customização, mas contra a criação de uma nova distro, como
>> muito acontece.
>>
>> Em relação ao que falou do Notes-IBM poderia ser facilmente resolvido com
>> a criação de um pacote deb e depositado em um repos próprio.
>>
>> Veja que não estou colocando em cheque a decisão de vcs, mas apenas
>> querendo entender como isso se dá.
>>
>> Obrigado,
>>
>> Rafael Gomes
>> Consultor em TI
>> Embaixador Fedora
>> LPIC-1
>> (71) 8146-5772
>> Fedora Talk : 5103520
>>
>>
>> 2009/7/3 Julian Carlo Fagotti <jul...@celepar.pr.gov.br>
>>>
>>> Aqui no Paraná fizemos uma distro baseada em Debain. O motivo da distro
>>> própria foram sistemas legados que não funcionariam com a distribuição
>>> original. Como o emulador de Notes-IBM. Ainda que tenhamos migrado as contas
>>> de e-mails para o Expresso, os 10 anos de IBM Notes criaram um legado, com
>>> muitas pequenas bases de dados que não valem a pena migrar, seja porque tem
>>> tempo de vida curto, seja porque serão incorporados a sistemas de verdade,
>>> com linguagem livre. O Distro própria possibilita estas pequenas mudanças,
>>> acelerando a migração.
>>> Não se trata exatamente de uma distro própria, mas de adaptação de um
>>> determinada distro para resolver problemas específicos.
>>> Além disso, no caso da Celepar que é uma companhia de informática, é bom
>>> ter conhecimento sobre sistemas operacionais, qualifica nossos fucionários
>>> para outros desafios.
>>>
>>> Em 03/07/2009 às 13:37 horas, psl-brasil@listas.softwarelivre.org
>>> escreveu:
>>>
>>> Sei que posso parecer chato, mas aproveito esse email para lançar uma
>>> dúvida que me acompanha desde que ví a primeira distro "criada" pelo
>>> governo.
>>>
>>> Por que criar uma nova distro e não utilizar e ajudar uma distro já
>>> existente?
>>>
>>> É realmente uma dúvida minha, que deve haver uma resposta coerente.
>>>
>>> Obrigado,
>>>
>>> Rafael Gomes
>>> Consultor em TI
>>> Embaixador Fedora
>>> LPIC-1
>>> (71) 8146-5772
>>> Fedora Talk : 5103520
>>>
>>>
>>>
>>> _______________________________________________
>>> PSL-Brasil mailing list
>>> PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
>>> http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
>>> Regras da lista:
>>> http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
>>
>>
>>
>> _______________________________________________
>> PSL-Brasil mailing list
>> PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
>> http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
>> Regras da lista:
>> http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
>
>
>
>
> _______________________________________________
> PSL-Brasil mailing list
> PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
> http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
> Regras da lista:
> http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
>



-- 
Isamar Maia
Brazil: 55-71-9146-8575
            55-71-4062-8688
日本: +81-(0)3-4550-1212
"In a world without walls. Who needs windows and gates?"
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: 
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a