Isabela,

Os representantes eleitos pelo povo dos EUA escolheram criar
mecanismos legais para forçar um embargo comercial a Cuba. Os motivos
históricos para isso não vêm ao caso aqui. O fato é que todos os
cidadãos daquele país são livres para deixá-lo quando bem entenderem,
desde que não seja para uma lista (bem curta) de países.

Se isso realmente incomodar os cidadãos americanos, eles escrevem a
seus representantes. Se um número suficientemente grande fizer isso,
os representantes acabam com o embargo. Fácil não é, porque há grande
maioria não se interessa pelo assunto, não sabe onde Cuba fica.

É uma pena porque o embargo claramente não atende o propósito de mudar
o sistema de governo da ilha para algo menos anacrônico - pelo
contrário: fornece o inimigo tão necessário a esse tipo de governo.

Mas, de volta às comparações, por qual métrica a proibição de ir tocar
especificamente em Cuba é tão ruim quanto a necessidade de pedir
autorização (e tê-la negada ocasionalmente) para fazer qualquer coisa,
nem que seja passar as férias, fora do país?

Pelo pouco que conversamos, ficou claro que você defende ideais - e
liberdades - importantes, essenciais até. A postura de igualar as duas
restrições me parece um desequilíbrio de critérios.

2009/10/15 isab...@northxsouth.com <isab...@northxsouth.com>:
> EUA proíbem Filarmônica de Nova York de tocar em Cuba
> http://midiaindependente.org/pt/blue/2009/10/456608.shtml
>
> E agora?
> Isabela
>


-- 
Ricardo Bánffy
http://www.dieblinkenlights.com
http://twitter.com/rbanffy
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
SAIR DA LISTA ou trocar a senha:
http://listas.softwarelivre.org/mailman/options/psl-brasil

Responder a