Aqui no Paraná rompemos mais de 450 milhões de reais com empresas privadas e uma OSCIP de informática que estavam "prestando serviços". Não fizeram falta! Conseguimos fazer muito mais sistemas, com muito menos que que os valores apresentados pelas empresas. Implementamos um política de software livre que nenhuma empresa privada que poderia tê-la feito. Tivemos que entrar na justiça para voltar a ter os dados do governo de alguns sistemas, por que alguns fornecedores privados entendiam que os  dados eram deles, e não do governo.
Não sou contra a iniciativa privada, e acho que ela pode prestar serviços para o estado. Mas isso precisa de forte regulamentação para evitar o que aconteceu no Paraná.
Isso é só para mostrar que não é a natureza da empresa, se público ou privada que determina a sua capacidade.





Em 24/02/2010 às 16:49 horas, psl-brasil@listas.softwarelivre.org escreveu:
Eu diria apenas que, no caso de estatais, não existe o mesmo incentivo para se parar de cometer os mesmos erros.

2010/2/24 Luciana Fujii Pontello <luci...@minaslivre.org>
Sim. Mas geralmente as empresas ruins privadas vão a falência e acabam.
As do governo continuam, porque não dependem de lucro pra existir.

E as pessoas que tem uma experiência ruim ao gerir uma empresa
geralmente não fazem outra ou aprendem e fazer melhor, o governo só
continua cometendo os mesmos erros.


--
Ricardo Bánffy
http://www.dieblinkenlights.com
http://twitter.com/rbanffy


_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
SAIR DA LISTA ou trocar a senha:
http://listas.softwarelivre.org/mailman/options/psl-brasil

Responder a