À Presidência da OAB.
 
A OAB vem se manifestando públicamente para discutir, perante a sociedade, sobre a Democracia e cidadania, também promovendo um Evento nacional em Florianópolis neste dia 25 próximo.
 
Devo alertar porém que a questão da Democracia vem sendo tratada de maneira IRRESPONSÁVEL pela sociedade e pelas autoridades, assim como também pela OAB. Ou por falta de conhecimento, ou por conivência, vem sendo ignorada a DENÚNCIA DE TÉCNICOS de que todo o processo eleitoral é FRAUDÁVEL.
 
Este alerta tem a intenção de acabar com a opção de falta de conhecimento. Mesmo que seja apenas para abrir a discussão como possibilidade, às falhas do Processo Eleitoral brasileiro, que sem a impressão dos votos em céudulas se torna TOTALMENTE FRAUDÁVEL pelos programadores das Urnas-E, uma fraude por dentro do sistema, feita pelos programadores, ou por quem tenha acesso aos disquetes, à criptografia etc.
 
Tudo vem sendo denunciado pelo MANIFESTO DOS PROFESSORES, com mais de 2000 assinaturas, e pode ser encontrado no Site: www.votoseguro.org
 
Mas a solução é tão simples, que pela simplicidade deveria ser feita, basta IMPRIMIR TODOS OS VOTOS em paralelo e em cédulas. Se é tão simples, porque o TSE teima em não querer imprimir os votos, e torná-los materiais, como documento?
Ou existe algum "outro" documento imaterial, além do Voto-Etéreo?
 
Talvez a questão técnica da total FALTA de materialidade do voto, seja uma questão também jurídica.
 
A discussão na Internet sobre o assunto data do ano de 1996 e já é bastante discutida entre técnicos e especialistas da área de Informática que, em uníssono, DENUNCIAM que o Processo Eleitoral Brasileiro é TOTALMENTE FRAUDÁVEL, como também tem várias falhas técnicas do ponto de vista da Informática. Assim como também tem faltas graves jurídicas.
 
A questão é tão grave que trata não só das falhas do Processo Eleitoral, como da implantação de uma DITADURA travestida de Voto Etéreo, como trata também da quebra da Soberania Nacional, pelo Processo ser manipulado por empresas dos EUA. Inclusive estas empresas que fabricam as Urnas-E e os softwares, algumas estão proibidas, pela Justiça nos EUA, de atuar em eleições nos EUA por fraudes praticadas por elas em eleições nos EUA. 
 
O caso é que, se as intituições democráticas públicas, ou a maior e mais importante instituição de classe profissional do Brasil, a OAB, não tomarem medidas urgentes para a REDEMOCRATIZAÇÃO do Brasil, à sociedade restará a desobediência civil e declarar a ILEGITIMIDADE dos cargos eletivos, como dos derivados por nomeações destes; e declarar, numa Revolução do Poder vigente, delatar os "omissos" como a OAB, a Mídia e outros, como partícipes, por omissão ou conivência com o crime maior contra a Nação, como sendo também CULPADOS.
 
Não é possível que num país que contrabandia computadores e pirateia softwares, tenha a tal "tecnologia de ponta" capaz de assegurar processos de Informática que tornem desnecessários a materialização por impressão em papel. Se exisitsse isso, este inventor se tornaria mais rico que Bill Gates. Os bancos do Mundo, a CIA, o FBI, o Pentágono, as maiores empresas do Mundo, inclusive a Microsoft não seriam mais atacadas por Hakcers. Por que só usam esta tecnologia de "segurança mágica" só para as nossas "eleições"?
 
Mas tudo isso é o mais primário golpe criminoso de traição à Pátria, que causa danos aos interesses nacionais, de segurança nacional e contra nossa soberania. Porque nem nos EUA, nem na Europa, nem no Japão e em nenhum outro país decente, é usado de tamanha imbecilidade de achar que a Informática possa ter segurança material, sem a impressão em papel? Só no Brasil há essa imbecilidade crônica, que só não é maior que a corrupção endêmica brasileira?
 
Se a questão é tão simplória e os técnicos especialistas, professores das maiores universidades do Brasil, da Europa e dos EUA, da área da Informática, denunciam e não aceitam o voto sem impressão paralela, e são estes mesmos que aceitam a tecnologia eletrônica como ideal para ser usada desde que com todos os votos impressos, como podem as autoridades simplesmente ignorá-los?
 
Que autoridade técnica tem os ministros do TSE para "garantirem" a lisura de um processo se este tem vários programas e softwares com parte deles sob suposto segredo de patente, tornando todo o Processo "obscuro", o que também rasga nossa Constituição?
Por acaso são "deuses intocáveis", onipresentes e oniscientes os tais ministros do TSE?
 
Se não há cédula, não há materialidade; se não há materialidade, não há voto; se não há voto, não há eleição. É TUDO UMA FRAUDE, só nos resta a Revolução!
 
Então, por que devemos respeitar os impostores?
 
Espero que a OAB não seja mais uma "vergonha nacional" como vêm sendo outras instituições no Brasil, a nos envergonhar. Espero que a OAB defenda a Democracia, o Direito, a Constituição Federal.
Espero que as denúncias dos professores da área de Informática, das maiores universidades do Brasil, inclusive da UNICAMP, (que fez o Relatório, propagandeado pelo TSE, como avalista do sistema, que denunciava 8 graves falhas, quando analisou só parte do Processo usado naquela eleição anterior ao Relatório). Espero que sejam considerados dignos de serem pelo menos levados em consideração.
 
Espero que visitem o Site, www.votoseguro.org  entrem em contato com os membros no Fórum e se manifestem a favor da participação de algum deles nos seus eventos, para ELUCIDAR A VERDADE.
 
Ou não há direito de ouvir o contraditório etc e tal?
A Justiça seria também uma FRAUDE?
 
Espero que a OAB não seja. ALiás, tenho a certeza que nos ouvirá e levará em consideração, pelo menos de ouvir o contraditório.
Com uma lista de assinaturas de cerca de 2.000 contraditórios.
 
Respeitosamente,
 
Jefferson Abreu
e-mail: [EMAIL PROTECTED]
 
em 13 de setembro de 2005.

Responder a