Raylton, legal ter compartilhado sua reflexão. (escrevendo com meu e-mail
pessoal aqui)

Sem tempo de entrar em detalhes, mas ultimamente tenho sentido que há
falhas fundamentais por parte da WMF na forma de escolher alguns seus
projetos, principalmente por acreditar no grande potencial da comunidade
Wikimedia e por estar envolvido em recentes decisões (catalisador, programa
de educação etc..). Mas não acho que a resposta para como fazer isso da
melhor forma seja trivial, nem sei se houve uma boa discussão aberta sobre
como fazer isso (pelo tópico iniciado pelo Chan, já dá para ver que rolou
coisa interna, o que não faz sentido para mim).

Do que vi do FDC, o processo me parece tentar ser bastante abrangente, mas
ainda centralizador. Como resolver isso? Não faço ideia. Achei legal esse
seu relato sobre o google summer of code, mas ainda não entendi bem. Você
tem algum link explicando melhor como funciona?

Estou lendo um livro sobre
criatividade<http://www.amazon.com/Creativity-Flow-Psychology-Discovery-Invention/dp/0060928204>(ainda
no começo) e o autor menciona alguns casos interessantes sobre como
empresas tentam manter seus funcionários criativos e gerar esse mar de
ideias para ser filtrado de alguma forma, como também cita casos mais
conservadores, como a própria academia. E acho que o movimento Wikimedia,
assim como a WMF, tendem a ser conservadores. Essa é minha impressão, tendo
em vista o pouco que temos visto de inovação no movimento, projetos da
Wikimedia e, principalmente, na parte técnica, para onde vai a maior parte
dos recursos, é bom lembrar.

E uma coisa que já ia te perguntar e vou fazer agora que mencionou
explicitamente. Você trabalha voluntariamente para a WMF ou em projetos que
você acredita? Por ter tido um contrato com a organização recentemente,
posso dizer que fiz muito trabalho voluntário para ela, mas antes eu NUNCA
me vi trabalhando voluntariamente para a organização, mas sim para projetos
que acredito e acho importantes, haja WMF ou não. E isso é muito importante
para a motivação de um voluntário, pois pode levar a frustrações talvez
infundadas se esperarmos algum reconhecimento por parte da organização, que
não passa da segunda universidade (ver e-mail "Igreja da razão"), uma
pequena ONG aprendendo a crescer e tentando ser global. :)

Abraços,

Tom

Em 29 de abril de 2013 13:10, Raylton P. Sousa
<raylton.so...@gmail.com>escreveu:

> Pegando o impulso do ultimo email do Tom e lembrando que o Rodrigo
> sempre manda eu compartilhar experiencias e eu sempre tenho preguiça.
>  La vai uma história  sobre a organização da mesma malfadada
> Wikimedia. Sei que não vou parar de falar mais, então tentarei ser
> breve, mas sei que não vai adiantar.
>
> Enfim, falarei de algo na mesma  linha do e-mail do Tom.
>
> Minha pequena experiencia pelo segundo ano julgando/tutorando
> estudantes para o Google Summer of Code pela Wikimedia.
> Acho que posso avaliar as diferenças entre as duas abordagens(IEG  e GSoC)
>
> Minha opinião  é que o IEG está adotando uma abordagem errada, porque
> ela está criando competição interna entre voluntários. Pense como um
> voluntário que foi rejeitado:"Eu trabalho de graça por anos para a
> fundação/movimento e na hora de patrocinar um projeto meu, eu não sou
> bom o suficiente?"
>
> Muito razoável esse pensamento. Se a pessoa já trabalha para a
> fundação, como podemos julgar tão friamente o trabalho dela? Eles não
> são profissionais em escrever propostas maravilhosas, o que elas
> conhecem são as necessidades da comunidade e é isso que deve ser
> explorado, e quanto antes percebermos isso, melhor.
>
> Mas vamos ao que interessa: Como podemos financiar boas ideias sem
> colocar o valor dos voluntários a prova?
>
> Bem aí que entra o GSoC. O Google paga para estudantes "semi
> profissionais" aplicarem as ideais de uma determinada  comunidade.
>
> Ou seja, as ideias são dadas por "voluntários" da comunidade  e
> aplicadas por "profissionais". Geralmente as ideias são coisas simples
> e o processo de seleção das ideias é muito abrangente, basicamente
> qualquer coisa que claramente a comunidade precise será aceita.
>
> Então, se a ideia for útil e houver um profissional disposto a
> trabalhar nisso, a ideia entra na disputa. Geralmente o voluntário que
> deu a ideia ou que se identificou com a mesma vai tutorar o
> profissional ensinando como funciona a interface de programação
> mediawiki e/ou a comunidade.
> E caso não haja um profissional de qualidade no período em questão, a
> ideia pode ficar de molho para o próximo período
> Normalmente os voluntários não propõem a ideia pra ganhar dinheiro,
> eles simplesmente querem vê-la aplicada.
>
> Mas no IEG quando você mistura "utilidade da ideia", "qualidade do
> plano de aplicação" e "aptidão profissional" do voluntário.
> Está claramente maculando o espírito colaborativo e hierarquizando
> voluntários.
>
> Já quando os voluntários são responsáveis apenas pela ideia ou,
> ocasionalmente, tutoria. E os profissionais são responsáveis pelo
> plano de aplicação e pela aptidão profissional,  o mesmo fenômeno não
> acontece porque fica muito claro que o que está sendo julgado não é o
> valor do voluntário ou a utilidade da sua ideia, mas sim um
> profissional.
>
> Quem tem o julgamento mais pesado é o profissional e geralmente  eles
> são de fora da comunidade e se forem rejeitados provavelmente não vão
> achar que a fundação não os valoriza, eles vão  entender.
>
> E o mais interessante é que ranqueando  pessoas de fora da comunidade
> não perdemos muito se forem rejeitadas, e ganhamos muito quando são
> aceitas. Mas quando fazemos isso com pessoas de dentro da comunidade
> temos muito a perder e nem tanto a ganhar.
>
> ---
>
> Uma outra coisa interessante é que o processo de escolha dos
> juízes/tutores do GSoC é muito mais aberto que o dos outros segmentos,
> incluindo do FDC, e os próprios Adms da Wikipédia.
>
> Você não precisa ser especialista nem ser votado, basicamente se você
> fez contribuições de código com boa fé, você pode ajudar.
>
> Eu me lembro que fui no IRC pedir pra alguém tutorar um estudante que
> ia trabalhar numa ideia que eu gostava e me disseram que eu mesmo
> poderia tutorar e participar do comitê. Isso resulta em um grupo maior
> de pessoas interagindo, tornando as decisões um  pouco menos
> arbitrarias.
> Percebem? Eu vou decidir pra quais pessoas o Google vai pagar 10 mil
> reais, e eu nem precisei ganhar 500 votos  ou enviar meu DNA por
> correio. Parece estranho mas tem funcionado por anos.
>
> Quando comecei a editar(esporadicamente) o mediawiki foi a mesma
> coisa,  basicamente me deram a ferramenta e quando eu errava me
> notificavam.
>
> O mais estranho é que não é uma coisa nova. É só o "assumir boa fé"
> sendo aplicado.
>
> Xi escrevi demais, por favor, comentem.
> Foi um sacrifício largar meu acarajé e minha rede e escrever isso.
>
> Mas se vier falar que não é o lugar certo pra dizer isso, dispenso  ;)
>
> Abraço!
>
> _______________________________________________
> WikimediaBR-l mailing list
> WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
> https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l
>
_______________________________________________
WikimediaBR-l mailing list
WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l

Responder a