Acho que a pergunta merece uma reflexão de vários de nós aqui, mas vou
colocar algumas ideias:

O canal pra atingir esse público de forma concentrada (divulgar uma oficina
pra "seniores" é plenamente possível, mas sempre aparece aquela história de
risco de aparecerem 3, 4, 5) sempre foi um desafio. Até me lembro de
comentar isso na entrevista, porque não dá pra pegar a base de dados do
INSS e sair divulgando "edite a wikipédia" ;-)

Recentemente, me ocorreu procurar associações profissionais que tenham
contato com sua base de profissionais recém aposentados, como por exemplo o
Conselho regional de medicina, inclusive aproveitando o gancho do polêmico
estudo divulgado de que 9 a cada 10 verbetes sobre medicina seriam
incorretos.

Outra possível abordagem é tentar aprender com o editathon das minas, que
foi principalmente organizado e divulgado pelos grupos de referência não da
Wikimedia, mas das mulheres. Identificar, então, grupos já organizados (e
creio que raros) de seniores atuando com projetos de internet ou que tenham
alguma familiaridade. Mas como neste caso partiu delas, só de partir de nós
procurá-los já tornaria esse um caminho diferente.

Acho que a própria Wikipédia já conta com vários editores em faixas mais
avançadas de idade e seria importante ouvir deles opiniões também. Uma das
coisas que me desanimaram um pouco ao longo do tempo foi imaginar alguns
conflitos/obstáculos grandes nesse tipo de iniciativa. Não sei também o
quanto é preconceito da minha parte, mas exponho aqui até pra que seja
rebatido. Na experiência que tive em diálogo com algumas pessoas isoladas
(poderia nomear, mas acho desnecessário), parece-me que duas
características são comuns: ou pouca familiaridade com internet (ou grande
desconfiança em relação a conteúdo construído colaborativamente) ou, entre
os mais familirizados, uma grande tendência a imaginar que seu conhecimento
acumulado ao longo de muitos anos não pode ser questionado por "moleques"
que passam o dia na internet (um imaginário de que todos os outros além
dele próprio são imaturos ou sem estudo). Quando coloco isso, não quero
dizer que isso impeça um trabalho desses. Acho até que saber que há pares
em situação semelhante ajuda a superar o estigma. Mas acho que podem ser
levados em consideração se e quando resolvermos nos dedicar a projetos
semelhantes.

Do ponto de vista de impacto e "eficiência", acho que projetos nessa linha
podem tanto adquirir um caráter mais social como realmente engajar pessoas
com muito conhecimento que passam a ter mais tempo disponível em suas vidas
e atividades como edição dos projetos Wikimedia podem representar uma
grande fonte de satisfação (mas paralelamente ao aumento da expectativa de
vida, também acompanhamos cada vez mais a necessidade de se continuar
trabalhando mesmo depois da aposentadoria. Então a premissa do tempo livre
torna-se bem relativa a meu ver).

Oona


2014-06-09 18:42 GMT-03:00 Everton Zanella Alvarenga <t...@okfn.org.br>:

> Essa ideia surgiu entre vários candidatos (acho que a Oona também deu essa
> ideia) para o catalisador.
>
> Como implementar?
>
>
> 2014-06-09 17:18 GMT-03:00 João <jolo...@gmail.com>:
>
>>
>> http://rising.globalvoicesonline.org/blog/2014/06/09/senior-citizens-write-wikipedia/
>>
>> Estão convocando os veteranos
>>
>> João
>>
>> _______________________________________________
>> WikimediaBR-l mailing list
>> WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
>> https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l
>>
>>
>
>
> --
> Everton Zanella Alvarenga (also Tom)
> Open Knowledge Brasil - Rede pelo Conhecimento Livre
> http://br.okfn.org
>
> _______________________________________________
> WikimediaBR-l mailing list
> WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
> https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l
>
>
_______________________________________________
WikimediaBR-l mailing list
WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l

Responder a