É um assunto interessante para deixar a gente pensar: argumentar contra
internet.org e um acesso ao internet regulado pelo facebook é fácil (e o
Sérgio Amadeus faz isso muito bem). Ninguém gosta de Facebook e os danos a
privacidade são óbivos.  Mas é mais legal, intelectualmente, testar seus
princípios de NR e internet aberto quando entra em conflito com os
interesses de uma organização como Wikipedia, que todos nós gostam e cujas
intenções indiscutivelmente são boas.

Pois bem, acredito que o WP-zero só é justificável se você achar que não
pode ou deve haver "outro" ou "próximo" wikipedia. O argumento contra
WP-zero faz sentido se conseguir imaginar um projeto melhor que Wikipédia,
mas que seria inviabilizado por causo do zero-rating do WP. Por isso sou
contra WP-zero: certamente há outras formas de criar e disponibilizar
conteúdo livre, alguns melhores ou diferentes que WP. Mas como um projeto
novo vai competir com WP disponível gratuitamente?

É como os abusos de direitos autorais: nada faz sentido se você aceitar o
frame das corporações de conteúdo que direito autoral seria um equilíbrio
entre os interesses do público e os criadores. Abusos como as extensões do
prazo (50, 70 100 após a morte do autor) e os privilégios na Lei para a
industria de conteúdo somente fazem sentido se você reconhecer que há um
terceiro ator em jogo: os intermediários entre público e criadores, as
corporações e conglomerados de mídia que defendem seus interesses e a
própria existência.

De forma análoga, nada no debate de zero-rating faz sentido se você aceitar
o frame que estamos falando de somente 2 atores: pessoas e informação e que
a rede é um mero duto entre os dois. Neste frame (adotado pelo Demi
Getschko [1], na minha opinião), faz sentido não se preocupar muito sobre
"modelos de negócio" e ter uma abordagem de NR somente "técnica". Mas na
verdade há um terceiro tipo de ator, os novos intermediários entre as
pessoas e a informação: Google, Facebook e, sim, Wikipedia.

São estes novos intermediários entre a gente e a informação que estão a
favor do zero-rating, defendendo os seus interesses e a própria existência.

Ewout


[1]
http://www.omci.org.br/jurisprudencia/34/telefonia-celular-e-neutralidade-de-rede/

2015-05-07 15:36 GMT-03:00 Oona Castro <oonacas...@gmail.com>:

> Daniel,
> Ano passado fiz uma sondagem sobre isso com organização da sociedade Civil
> bem ativas na disputa em torno do Marco Civil.
> Meu entendimento pessoal era de que tecnicamente o WP0 violava a
> neutralidade, mas por N razões ele era um bom projeto. Sem fins lucrativos,
> sem obtenção de dados pessoais, sem necessidade de cadastro, sem violação
> de privacidade, sem vender o usuário pra um anunciante, sem exclusividade
> de contrato com alguma operadora etc..
> Na sondagem que fiz, todos que se manifestaram em relação ao assunto
> afirmaram que WP0 violava NR.
> E listaram alguns tipos de questões não técnicas. Entre as questões
> políticas estariam esse tipo de projeto legitimar outros que incorrem em
> problemas de concorrência / concentração econômica;  Outra questão
> levantada foi o fato de a Wikipédia ser uma entre tantas fontes de
> informação. Outra seria a não resolução do problema do alto preço cobrado
> do consumidor pela conexão e a oferta de um serviço que, se o usuário
> clicar num só link pra fora do site ele já paga e muito. Tem outros, mas
> estou escrevendo do metrô e não me lembro de todos agora.
> Os que mais me pegam são o argumento técnico (se a definição é técnica,
> então o são os critérios) e o de se criar uma internet "paralela", murada,
> de alguns sites, pra uma parte da população que sofre privação econômica,
> desigualdade de renda e classe.
> É melhor com Wikipédia do que sem nada? Certamente. Mas não sei se essa
> pergunta é correta.
> Outra questão delicada é: a wmf não requer dados, mas ao figurar no
> internet.org, permite q o FB requeira?
> A wmf defende que não há violação porque não cria fast lanes. Tem um texto
> do Erik Moeller sobre isso. Só buscar net neutrality erik wmf Wikipédia
> zero.
> Ele publicou qdo Chile e Brasil discutiram isso (lá já discutindo projeto
> em si e aqui, Marco Civil).
> Também foi debatido na wikimedia-l, lista do movimento global da
> wikimedia. Vale dar uma olhada.
> Abs!
> Em 07/05/2015 13:51, "Daniel Neis" <danieln...@gmail.com> escreveu:
>
>> ah!
>>
>> se vale um apêndice
>>
>> eu gostei bastante de uma parte do texto da mozilla
>> que defende que embora essa prática de oferecer partes
>> da internet não seja a melhor prática,
>> ir no caminho de proibir não é interessante, por diversos motivos
>> equiparáveis a várias coisas proibidas que vemos por aí,
>> e que o mercado acaba dando jeito de burlar.
>> regularmentar e discutir é sempre melhor do que virar as costas e proibit
>> =)
>>
>> abraço!
>>
>> 2015-05-07 13:48 GMT-03:00 Daniel Neis <danieln...@gmail.com>:
>>
>>> Olá, Ewout
>>>
>>> comecei a assistir a palestra mas não fui até o final,
>>> vou te dizer que tenho uma preferência pela leitura, hehe
>>>
>>> semana passada surgiu uma discussão interessante sobre o assunto
>>> na lista netpol...@mozilla.org
>>> e também no https://discourse.mozilla-advocacy.org/
>>> iniciada por um pessoal da india
>>>
>>> pessoal da mozilla se posicionou também através dos blogs
>>> depois da discussão.
>>> a mitchell baker já tinha se posicionado na lista, mas essas
>>> são posições "mais oficiais" digamos assim
>>>
>>> https://blog.mozilla.org/netpolicy/2015/05/05/mozilla-view-on-zero-rating/
>>>
>>> https://blog.lizardwrangler.com/2015/05/06/zero-rating-and-the-open-internet/
>>>
>>> nesses links tem também o link para a carta que a mozilla mandou para o
>>> governo indiano
>>>
>>> depois de tudo isso e refletindo um pouco
>>>
>>> não acredito que o wikipedia zero seja mal, e também não é mau,
>>> pois no fim a instenções da fundação são até boas, eu acredito,
>>> mas certamente não é o melhor caminho para promover
>>> a inclusão, visto que é também fornecer um pedaço da internet,
>>> quando talvez o melhor seria fornecer a internet inteira, como faz
>>> a mozilla em bangladesh e outros lugares citados nessas discussões
>>>
>>> enfim, tudo isso muito produtivo, interessante e importante
>>>
>>> amanhã vai ter uma discussão sobre isso com sérgio amadeu,
>>> flávia lefevre e  galera do coletivo digital
>>> segue em anexo a divulgação
>>> vai ter streaming ao vivo =)
>>>
>>>
>>>
>>>
>>> 2015-01-18 23:03 GMT-02:00 Ewout ter Haar <ewoutterh...@gmail.com>:
>>>
>>> Oi Daniel,
>>>>
>>>> Se gostaria ser questionado nas suas suposições, recomendo assistir
>>>> esta apresentação (feito 3 semanas atrás no 31c13):
>>>>
>>>> https://www.youtube.com/watch?v=piP_OW8da0Y&list=PLOcrXzpA0W83uyr5LX-U47F3V5IfAZ-UP&index=56
>>>> especialmente a partir do aprox. minuto 39.
>>>>
>>>> Quando fiquei sabendo do WP0 li um pouco e cheguei na conclusão que já
>>>> que é WP, sem fins lucrativos e não tem dinheiro mudando de mãos, tudo bem.
>>>>
>>>> Mas esta palestra me fez mudar de ideia e agora penso que WP0 é mal.
>>>>
>>>> Ewout
>>>>
>>>> 2015-01-18 22:11 GMT-02:00 Daniel Neis <danieln...@gmail.com>:
>>>>
>>>>> Olá, Pessoal
>>>>>
>>>>> tudo bem?
>>>>> Eu sou novo na lista, porém um antigo usuário (e sempre que posso,
>>>>> contribuidor) da wikipedia e outros projetos da wikimedia =)
>>>>>
>>>>> Ano passado "descobri" o Wikipedia Zero:
>>>>>
>>>>> "Volunteer Wikipedians around the world work hard to compile the sum
>>>>> of all human knowledge, to make it freely available to every single person
>>>>> on the planet. For many readers in the Global South, the primary (and 
>>>>> often
>>>>> only) access to the internet is via mobile. However, mobile data costs are
>>>>> a significant barrier to internet usage. We created Wikipedia Zero so that
>>>>> everyone can access all the free knowledge on Wikipedia, even if they 
>>>>> can't
>>>>> afford the mobile data charges. "
>>>>> https://wikimediafoundation.org/wiki/Wikipedia_Zero
>>>>>
>>>>> Eu achei esse projeto realmente fantátisco e é um ponto importante
>>>>> atualmente quando está se falando sobre neutralidade na rede, questões do 
>>>>> a
>>>>> serem discutidas agora que o brasil tem o "marco civil da internet".
>>>>>
>>>>> Ultimamente vemos só a dominação de facebook/whatsapp (mesma empresa)
>>>>> com as telecoms oferecendo "pacotes de dados gratuitos para estas
>>>>> ferramentas" e logo pensamos em proibir este tipo de comportamento.
>>>>>
>>>>> Mas a proibição, assim como boa parte das coisas, muitas vezes acaba
>>>>> trazendo prejuízos, como nesse caso proibir este tipo de "gratuidade" para
>>>>> as redes sociais poderia "minar" ou até "penalizar" projetos como este da
>>>>> Wikipedia Zero.
>>>>>
>>>>> Diante do exposto, gostaria de "ouvir" (ou ler) de vocês como podemos
>>>>> colaborar para que tenhamos uma regulamentação que permita esse tipo de
>>>>> projeto e também que façamos propaganda e demandemos a implantação do
>>>>> Wikipedia Zero no Brasil.
>>>>>
>>>>> Grande abraço!
>>>>>
>>>>> _______________________________________________
>>>>> WikimediaBR-l mailing list
>>>>> WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
>>>>> https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l
>>>>>
>>>>>
>>>>
>>>> _______________________________________________
>>>> WikimediaBR-l mailing list
>>>> WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
>>>> https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l
>>>>
>>>>
>>>
>>
>> _______________________________________________
>> WikimediaBR-l mailing list
>> WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
>> https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l
>>
>>
> _______________________________________________
> WikimediaBR-l mailing list
> WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
> https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l
>
>
_______________________________________________
WikimediaBR-l mailing list
WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l

Responder a