http://www.tecmundo.com.br/wikipedia/81822-conversamos-jimmy-wales-fundador-wikipedia.htm

Conversamos com Jimmy Wales, o fundador da Wikipédia
Por Nilton Kleina <http://www.tecmundo.com.br/autor/128-nilton-kleina>
20 jun 2015 - 09h 26

Entre os “deuses da internet”, a Wikipédia
<http://www.tecmundo.com.br/wikipedia/> é uma divindade tão venerada quanto
o Google pela facilidade com que você encontra conteúdos rápidos. Durante
alguns dias, o Brasil pode conhecer melhor a figura por trás desse projeto:
Jimmy Wales, o fundador do site. Ele veio ao Brasil para uma série de
palestras sobre a Wikipédia em si e contar o que a plataforma espera para o
futuro.

Uma das novidades é a Wikipédia Zero, que permite o acesso ao site mobile
sem custos adicionais em países pobres — mais ou menos o que acontece com
Facebook e WhatsApp em planos de operadoras por aqui. Atualmente, ele é
também executivo do The People's Operator (TPO)
<https://www.thepeoplesoperator.com/>, uma operadora de telefonia
diferente. Nos planos de dados, 10% do que você paga vão para uma
instituição de caridade a sua escolha e 25% do lucro de toda a empresa são
destinados a projetos humanitários e outras instituições do tipo.

Ele ainda nos revelou uma informação quente: uma das razões da visita ao
Brasil é para conversar com uma das operadoras nacionais e abrir discussões
sobre uma possível entrada do TPO por aqui. Ele não podia revelar qual era,
mas só essa já é uma grande informação. Abaixo, você confere o nosso papo.

*TecMundo: O que motivou você a começar a Wikipédia? Qual o objetivo do
projeto?*

*Jimmy Wales:* A principal motivação é que assisti ao crescimento do
software livre e de código aberto, pessoas colaborando para fazer com que
um programa fique incrível. E eu percebi que esse tipo de ação poderia ir
além de somente sites, mas de outras culturas. Esse foi o pensamento
original, uma enciclopédia com o mesmo modelo de licenciamento e filosofia
open-souce. O objetivo da Wikipédia sempre foi ter uma encilopédia gratuita
para cada pessoa no planeta em seu próprio idioma. Essa ainda é a nossa
meta e uma das razões pelas quais fomos bem sucedidos é que nos mantivemos
focados na mesma missão desde o primeiro dia.

*A Wikipédia não é aceita como fonte de trabalho escolar, artigo científico
ou textos jornalísticos. Como você enxerga a reputação do site hoje?*

Para nós, ser uma fonte citável em algum lugar não deve ser um objetivo.
Você não deve nem mesmo citar uma enciclopédia tradicional, não é esse o
papel dela em um processo de pesquisa. Porém, devemos ter a maior qualidade
possível. Ela é um bom ponto de princípio, não de conclusão. Você deve ir à
Wikipedia para se orientar. Alguns estudos acadêmicos comprovam que somos
uma fonte de qualidade comparável com a enciclopédia tradicional, mas ainda
estamos cheios de erros e, se você encontrar algum, nos ajude a corrigir.

*Muitas wikis surgiram sobre filmes, jogos e outros temas. O que você pensa
sobre o futuro desses sites colaborativos que apareceram depois da fundação
da Wikipédia?*

Acho que há ainda um longo caminho a ser trilhado. A Wikia, que é a
companhia que tem as páginas sobre jogos e tudo mais, ainda cresce muito
intensamente — são 50 milhões de leitores todo mês — e em vários idiomas.
Acho que ainda há muito a fazer na medida em que movemos mais e mais para
um ambiente visual de edição, pois isso faz com que ele seja mais fácil e
convidativo para participação.

O banner que virou meme.

*Você ficou ainda mais famoso quando surgiu em um banner na Wikipédia sobre
uma campanha de doações. Como a ação se saiu?*

Eu fico muito feliz que eles não usam mais a minha foto (risos). Foi uma
época irritante na minha vida. O levantamento de fundos foi muito bem
sucedido a longo prazo e fomos melhorando isso com o tempo. No começo,
mostrávamos o banner para todo mundo a todo momento. Depois, fizemos alguns
estudos e constatamos o óbvio: se você não doar da primeira vez que ver o
banner, não vai doar nunca mais, então não há motivos para ficar exibindo
ele para as pessoas. Estamos felizes porque é muito importante para nós que
a Wikipédia tenha milhões de pessoas doando. Isso permite que não tenhamos
que nos ater a doadores maiores, já que aí teríamos que nos preocupar com
questões de controle. Ajuda a manter a independência.

*Sim, e vocês não usam publicidade, não é?*

Ninguém quer ads, certo? Não sou uma pessoa anti propaganda, mas para a
Wikipédia a chave é organização. Se tivéssemos um modelo de negócios, essa
base que fundamos iria mudar. Iríamos nos preocupar mais com os países
ricos e que rendem mais. Aí diríamos “Nossa, um milhão de novos leitores na
África! Isso é empolgante!”, mas não seria tanto quanto um milhão de
leitores nos Estados Unidos, se nos direcionássemos pelos lucros gerados.

*A Wiki também tem os trolls, o vandalismo das páginas. Isso ainda é uma
moda?*

Ainda é e provavelmente sempre será, mas a comunidade sempre policia isso e
controla os sites. Aqueles erros que entram na Wikipédia e ficam por muito
tempo sempre nos incomodam e estamos sempre examinando como melhorar isso.
Aqueles que aparecem e são removidos em um minuto são mais tranquilos.
Sabe, se você quer escrever algo sobre alguém e quer ter certeza de que
ficará lá, crie um blog e não quebre a lei, daí você pode deixar para
sempre. Alguns verbetes são mais ou menos “semiprotegidos”, não há
esperanças de deixá-los de outra forma.

*Existe algum em especial que é sempre modificado?*

Sempre, ao menos na wiki em inglês, a do presidente dos Estados Unidos. Ela
vira um zoológico se você abrir para todos. Porém, tentamos deixar livre na
medida do possível.

*O serviço de enciclopédia e agora a operadora mobile são bem diferentes. O
que motivou você a fazer a mudança?*

Ouvi sobre o projeto deles [TPO] e fiquei interessado, dei alguns
conselhos. Eles me pediram para integrar o conselho e eu aceitei, gosto de
aconselhar companhias jovens. Porém, fiquei mais e mais empolgado e, desde
dezembro do ano passado, meu cargo foi transformado em executivo de tempo
integral na área digital. A ideia é também não gastar com publicidade, é
uma forma bem digital de fazer as coisas. Estou trabalhando na rede social
que permitirá às pessoas divulgarem isso e é bem divertido voltar a sentar
com desenvolvedores e ajudá-los a criar alguma coisa.

*Você acha que a proposta de caridade vai convencer as pessoas a mudarem da
operadora atual para a sua?*

Estamos crescendo bastante no Reino Unido, que é o único país em que
estamos funcionando. Vamos nos lançar nos Estados Unidos em poucas semanas
e planejamos ser tão globais quanto pudermos, mas precisamos fazer acordos
em todos esses lugares. Persuadir consumidores é algo bem direto: podemos
dizer a você que a sua operadora atual vai gastar 10% do seu dinheiro em
comerciais de TV, mas você pode mudar e gastar com algo que se importa.

*Quais as suas impressões sobre o Brasil e a tecnologia do nosso país?*

Vim ao Brasil várias vezes e tenho algumas impressões. Uma delas é que o
Brasil foi sempre um grande país para compartilhamento online e
licenciamento de obras com todos os direitos reservados. Sempre tivemos uma
grande comunidade na Wikipédia aqui e, desta vez, estou visitando novas
cidades que não conhecia antes.

A Wikipédia em português é uma grande wiki, mais de 800 mil verbetes e é
interessante que o número de leitores no Brasil é muito maior que em
Portugal. Claro, é um país maior, mas ainda assim é alguma coisa. Eu também
ouço histórias sobre o idioma que me lembra muito do inglês britânico e
americano, eles são um pouco diferentes e as pessoas adoram reclamar disso.
Anos atrás, tivemos uma discussão sobre se deveríamos ter uma wiki separada
para o português europeu e o brasileiro e eu não queria, porque achava meio
louco. Se ela é mutualmente legível, é importante para que as pessoas
permaneçam juntas.

Jimmy na palestra em Curitiba.

*Está se divertindo com as palestras?*

Foi divertido, nesta manhã eu falei com estudantes universitários e é
sempre divertido, eles amam a Wikipédia! Estou bem feliz porque é algo raro
para mim. Atualmente, eu só voo de algum lugar para o outro nas palestra e
faço viagens meio loucas de 30 horas. Como eu vou ficar em São Paulo para
uma quarta-feira e já tenho uma palestra também lá quarta-feira seguinte,
decidi ficar a semana inteira. Iria trazer minha família e infelizmente
eles não puderam vir, mas é bom ter um pouco de tempo só para si. Nós
definitivamente queremos vir para os Jogos Olímpicos.

*E você perdeu a Copa do Mundo em 2014?*

Bom, eu sou americano! (risos)

*Verdade, mas está crescendo por lá! Bom, nós publicamos uma história sobre
um artista que tinha a ideia de imprimir a Wikipédia
<http://www.tecmundo.com.br/wikipedia/81699-versao-impressa-wikipedia-tem-7-mil-volumes-custa-us-500-mil.htm>.
Você não fica meio assustado com a quantidade de informação?*

Eu acompanhei essa história, ele tem uma exposição em Nova York. Ela não
foi realmente impressa, ele só pegou os índices e subiu eles para
servidores de impressão, mas é só arte performática. Eu fiquei desapontado!
A Wikipédia fica cada vez maior e é muito cara, são muitos livros, mas eu
adoraria ter uma dessas em casa.

*Bom, você precisaria de uma casa enorme.*

Sim, muito maior do que a que eu vivo agora. Eu vivo em Londres, tudo é
pequeno aqui!

*Jimmy, muito obrigado! Por favor, deixe uma mensagem para os nossos
leitores.*

Olha, eu acho que eles devem ir checar a Wikipédia! Sempre estamos famintos
por novos participantes, especialmente em recrutar mais mulheres para nos
ajudar. Somos muito homens geek lá e queremos expandir essa comunidade.
_______________________________________________
WikimediaBR-l mailing list
WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l

Responder a