Sobre Brasília eu posso opinar um pouco.
Posso falar que sim, há uma demanda alta por profissionais e poucos para
atender.
Solução: Capacitação, divulgação.
Outro ponto que tenho (sei que muitos não vão concordar): O "ótimo" é
inimigo do bom. Antes de fazermos que muitos usem o PZP bem, devemos fazer
que muitos usem. Isto é, devemos capacitar e prover soluções para
instituições que permitam que muitos interajam com o PZP, mesmo que em
alguns casos fora das "Best Practices". Sei que corremos um risco com isso
(casos de insucesso), por outro lado ampliamos a atuação da ferramenta e
número de profissionais gerando demanda no mercado.

Obrigado.

Em 21/03/07, Wilton Alencar <[EMAIL PROTECTED]> escreveu:

Pessoal, se me permitem.
Acho que devemos parar de temer casos de insucesso em Plone, pois já são
vários e por vários motivos.
Eu, particularmente, conheço uma dezena de projetos fracassados em Java,
.Net, PHP, ASP, JSP, ColdFusion, Drupal, Moodle, Joomla, etc.
O Plone é mais uma ferramenta e como qualquer ferramenta está sujeita a
bom uso e mal uso, a projetos que dão certo e projetos que fracassam, de
temores e paixões.
Enfim são várias variáveis que levam um projeto por água abaixo tanto
técnicos, comerciais, políticos etc.
O que sabemos é que o Plone é um bom CMS e não é um projeto mal sucedido
que vai derrubá-lo como não é um problema na JVM que derruba o java, ou um
problema no windows que derruba a microsoft, ou um problema em site php que
derruba o Joomla.
Acho que devemos continuar divulgando, capacitando e trabalhando, sendo
transparentes quanto aos problemas e soluções que o Plone (e Zope) traz para
uma organização.
Assim, como o Luciano falou minimizaremos os efeitos contrários.
Porque se fosse por alguem falar mal de algo ou deixar de usar o Java,
.Net, Microsoft etc já teria sumido do mapa.
Obrigado.


Em 21/03/07, Fernando Correa Neto <[EMAIL PROTECTED]> escreveu:
>
>   Fala Luciano!!
>
> On 3/21/07, Luciano Ramalho <[EMAIL PROTECTED] <ramalho%40gmail.com>>
> wrote:
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > "As you may know, we at Ubuntu love Python and use it whenever
> > possible. However, we had a bad taste in our mouth from a haywire
> > Plone incident, and decided we just couldn't use plone again. There
> > are no other major oss python CMSs out there." [1]
> >
> > Traduzindo:
> >
> > "Como você deve saber, nós do Ubuntu amamos Python e usamos a
> > linguagem sempre que possível. Entretanto, ficamos com um gosto ruim
> > na boca em virtude de um incidente maluco com o Plone, e decidimos que
> > simplesmente não queremos mais usar Plone. Não existem outros CMS
> > Python open seource."
> >
> > No final do post, o Matt Nuzum diz que escolheram Drupal para o novo
> > site do Ubuntu, que já está no ar. [2]
> >
> > Peguei a notícia na lista plone-dev, onde o John Stahl (organizador da
> > PloneConf 2006), postou perguntando se alguém sabia o que se passou
> > [3]
> >
> > O Wiggy respondeu dizendo que na época em que ocorreram os problemas o
> > pessoal do Ubuntu disse para ele que simplesmente não tinham nenhum
> > expert em Plone na equipe, e por isso decidiram abandonar a
> > plataforma.
>
> Tá.
> Se fossemos olhar bem de perto o problema logo de cara eu pensaria.
> "Não tem nenhum expert na equipe?"
> O projeto ubuntu é enorme. Eles tem excelented programadores python E
> também criam excelentes pacotes python.
> Na minha visão, a primeira coisa que eu faria se minha empresa fosse
> grande o bastante, seria suportar a plataforma que escolhi para a base
> dos meus negócios.
> Não sei até onde o projeto Ubuntu suportou a Plone Foundation ou
> tomaram a iniciativa se aproximar um pouco mais da comunidade e dos
> profissionais e consultores que estão por trás do plone.
> Um outro ponto é: Zope3 é definitivamente mais difícil do que
> Zope2/CMF/Plone. No entanto, o projeto launchpad.net, foi escrito
> completamente em zope3 e foi desenvolvido pela Canonical...a mesma
> empresa que desenvolbe o Ubuntu juntamente com a comunidade.
> Fica meio confuso para eu entender que o motivo que levou os caras a
> abandonarem o plone foi realmente a falta de um expert uma vez que os
> mesmos detém conhecimento suficiente para fazer o que bem entenderem
> com o plone.
> Me corrijam se eu estiver errado sobre os fatos apresentados acima.
>
> Mas tenho que aceitar apenas e não especular o porque.
>
> >
> > Acho que vale a pena a gente discutir este tipo de notícia aqui, para
> > não sermos pegos de surpresa ao fazer evangelização do Plone no
> > mercado.
> >
> > Infelizmente, já vi este filme algumas vezes. Como evitar?
> >
> > O Plone é muito atraente, poderoso e produtivo, mas exige (a) um
> > grande investimento de tempo para se capacitar, ou então (b)
> > disposição e orçamento para ter o apoio permanente de especialistas
> > (seja trazendo-os para sua equipe, seja através de contratos de
> > suporte continuado).
> >
> > Se nem (a) e nem (b) estão presentes, o risco de que a implantação de
> > Plone seja mal-sucedida é extremamente alto (para não dizer que a
> > probabilidade = 1).
> >
> > Para quem vende projetos em Plone, a lição é clara: se você quer
> > clientes satisfeitos a longo prazo, deixe claro para eles desde o
> > início os desafios da plataforma. Se o cliente não está preparado para
> > enfrentá-los, é melhor para o cliente, o fornecedor e a comunidade que
> > outra solução seja indicada.
> >
> > Aprendi isso a duras penas, cometendo este erro algumas vezes no tempo
> > da Hiperlógica.
>
> Isso tudo é verdade.
> Mas é também é verdade com alguns outros frameworks. A grande
> diferença é que eles estão na carteira de todo e qualquer gerente de
> TI do mercado gerando assim mais e mais demanda para esses frameworks.
> Em Brasília por exemplo, o que não falta são profissionais de PZP. O
> que é muito bom pois a demanda ainda cresce por lá.
> O que já não é tão verdade quando eu encontro algumas pessoas da área
> de TI em SP.
>
> Eu tento entender em como chegar a um modelo de negócios sustentável
> onde empresas que contratem PZP, tenham o mesmo suporte ao qual já
> estão acostumados quando se fala em PHP, Java e .NET.
> Ou seja, assim que um projeto termina, quem vai dar suporte a esses
> caras da mesma maneira que eles tem o suporte nessas outras
> tecnologias?
>
> Qualquer gerente de TI que sair de um prédio na Av Paulista em SP e
> gritar: Preciso de um programador Java PJ início imediato!!! Vai
> dispor de uma quantidade absurda de recursos que se encaixam no
> perfil.
> Obviamente que não dessa maneira que eu expus, mas uma abortagem
> similar nos canais de contratação é válida.
>
> O que acontece normalmente é que esses caras que contratam PZP, ficam
> de mãos atadas e sempre com poucas opções para suporte
> profissional....que não é barato diga-se de passagem.
>
> Ainda não consegui enchergar como fazer isso :o((.
>
> []'s
> Fernando
> >
> > [ ]s
> > Luciano
> >
> > [1] http://www.bearfruit.org/blog/2007/03/14/the-new-ubuntu-website
> > [2] http://www.ubuntu.com/
> > [3] http://tinyurl.com/ysubge
> >
> >



--
Cordialmente,
Wilton Souza Alencar
www.tom.pro.br




--
Cordialmente,
Wilton Souza Alencar
www.tom.pro.br

Responder a