Valeu pela notícia muito importante, João!

Por volta de 1999 eu era o editor de uma revista de informática
chamada Magnet, e tive a oportunidade de (tentar) entrevistar o
Stallman durante um jantar numa churrascaria em Curitiba. As outras
duas pessoas que nos acompanhavam à mesa eram um casal ligado à
Conectiva que o estavam hospedando e já tinham desistido há dias de
tentar se relacionar socialmente com ele. Embora seja um palestrante
carismático e um visionário que eu admiro, no relacionamento pessoal o
Stallman parece partir do princípio que todo mundo é um idiota
completo. Se não fosse a toda aquela carne de graça, certamente o cara
não estaria aturando três idiotas como nós

Uma das muitas respostas mal-educadas que ele me deu foi quando
perguntei sobre o impacto das aplicações Web no futuro da GPL, pois à
medida que a inteligência das aplicações se deslocasse para o
servidor, a GPL se tornaria menos relevante a menos que o conceito de
"distribution" fosse redefindo e as clausulas pertinentes reescritas.
Ele me disse que isso era uma besteira porque ninguém iria querer usar
uma aplicação remota através da forma como eu descrevi, de modo que
isso não era uma tendência.

Eu achei a resposta dele incrívelmente obtusa na época, mas no dia
seguinte caiu a ficha: eu tinha visto o Stallman acessando a Web (acho
que era o site da FSF) via Emacs em seu notebook rodando modo texto.
Se aquele era o modo que ele navegava, então realmente ele não podia
imaginar que um dia teríamos coisas como o Gmail e Google Docs...

O passar do tempo provou que ele estava sendo obtuso mesmo. A GPL v3
inclui conceitos novos como "propagate" e "convey" para justamente dar
mais precisão ao conceito de distribuição. E agora eles lançam esta
AGPL cujo foco central é  tratar a questão que eu descrevi na minha
pergunta.

Moral da estória: a arrogância impede a gente de pensar direito acerca
daquilo que nos dizem.

[ ]s
Luciano

PS. A entrevista com o Stallman não foi publicada porque a revista
Magnet morreu em seguida, não teve outro número, e as fitas nunca
foram transcritas. Não faço idéia de onde este material esteja hoje.
Felizmente faz anos que eu venho contando esta história para meus
amigos, se não alguém poderia achar que estou inventando tudo isso
agora (o máximo que podem dizer é que eu inventei tudo isso há alguns
anos...)

Responder a