Guilherme H. S. Ostrock escreveu:
Olival este é um caso que vai além da simples análise da licença.

A foto foi tirada com a autorização dela, mas pelo fato de ser menor, isso não significa muita coisa, ainda há a questão dos direitos da personalidade e dos danos que o texto da propaganda possam trazer.
Ok, mas "uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa". Conforme a Fabi esclareceu antes desta msg, a situação é ainda mais bizarra pq sequer foi a guria q atribuiu a licença. E reclamar dos danos advindos do texto da propaganda não é a mesma coisa q colocar todo o problema sobre as licenças CC. Me lembra o caso do cara atropelado por um motorista q falava ao celular. Quem foi processado? A fabricante do celular, q alegadamente deveria ter criado meios mais seguros para o motorista falar enquanto dirigia . . . Será q é esse mesmo o problema? :-)
Tem muita gente utilizando a CC pq é moda mas não entende o que ela significa, isso é bom, pois agora, alguns passarão a ter mais cuidado e sinceramente espero que a Virgin seja condenada neste caso, isso seria ótimo ois demonstraria que a obra licenciada por CC tem direitos garantidos e não é de uso indiscriminado.
Concordo q tem muita gente usando CC sem se tocar do q isso significa, mas não creio q vai ser processando e condenando a Virgin q haverá alguma contribuição para esse debate. Pior ainda, não acho q será processando o Flickr q algo será acrescentado tbém. O serviço de fotos é um dos mais simples e amigáveis q eu já vi.

Figuras públicas vivem sendo expostas em fotos obtidas de formas bem pouco éticas. Se essas figuras tentam reagir (fisicamente ou legalmente) contra essa exposição, o público logo toma o lado dos paparazzo e acaba por criticar justamente aqueles q queriam preservar sua privacidade. Agora, em tempos de fotologs e similares, somos todos figuras públicas. Reclamar q a foto está exposta a estranhos em uma parada de ônibus sendo q a mesma foto estava a disposição de qqr tarado com acesso a Internet não faz o mínimo sentido. Quem deve ser educado é o lado q produziu o conteúdo, não o lado q se apropriou (legitimamente) dele.

Além disso, se o mote das licenças CC é justamente reservar "apenas alguns direitos", mas eu posso processar alguém q usufrua dos direitos q eu "liberei", então qual o sentido disso tudo? No final ficamos apenas sob o velho direito autoral tradicional? Indo mais longe: aqueles q diziam q a GPL não valia nada pq a lei de direito autoral (dos EUA) seria maior teriam razão tbém? Assim, não adianta tentar empurrar copyleft pq seria ilegal da mesma forma? Como leigo me parece q há similaridade entre as situações...

[ ]s,

olival.junior
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista: http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a