O Martes 22 Decembro 2009 21:41:21 Adrián Chaves Fernández escribiu:
> > Dóuseme por ler: http://pt.wikipedia.org/wiki/Português_brasileiro e non
> >  podo
> >
> > evitar compartir unha cita do texto:
> > > Há várias idéias acerca de quando começaram a divergir o Português do
> > > Brasil e o de Portugal. O professor titular da USP Ataliba Teixeira de
> > > Castilho disse numa entrevista ao jornal da UNICAMP:[3]
> > >
> > >     "Há várias posições sobre isso. Uns dizem que a partir do Século
> > > XIX começou a ser construída uma gramática do português brasileiro,
> > > quer dizer, uma nova língua, distinta do português europeu. Mas se
> > > analisar o português medieval, como fez a minha mulher Célia Maria
> > > Moraes de Castilho em sua tese de doutorado, descobre-se que aquilo que
> > > se explicava como um abrasileiramento do português, na verdade, já se
> > > encontrava lá, sobretudo nos documentos do Século XV. Ou seja, esse
> > > português veio para o Brasil e foi preservado. Nós estamos fazendo
> > > mudanças gramaticais a partir dessa base. Já Portugal, a partir do
> > > Século XVIII, imprimiu um novo rumo à língua, por isso é que muito do
> > > que aqui sobreviveu, não existe mais lá. Eles é que estão diferentes,
> > > não nós."
> 
> Ha ser por iso que o portugués do Brasil se asemella máis ao galego que o
>  de Portugal.

Non son filólogo , pero a miña opinión é que si, en certo modo, si. Ó fío do 
que di a cita, o brasileiro poderiase entender coma unha "extensión" da 
"variante" do galego-portugués do norte de Portugal. Mais ollo, que o 
brasileiro recibiu unha boa cantidade de léxico procedente especialmente das 
linguas amerindias e dos escravos africanos pero tamén de linguas 
indoeuropeas: francés e castelá!. E isto é algo que tamén se soe obviar, non 
só houbo un impacto do castelá no galego senón tamén portugués europeo e 
brasileiro. Obviamente, o impacto non é simétrico. 

Xa que saquei o tema, isto serve como exercicio de reflexión para aquel 
algoritmo de decisión da guía de localización de mancomún.  

Responderlle a