Tenho 36 anos e nunca vi nada tão ridículo em toda minha vida

Paulo Cesar Bitencourt
[EMAIL PROTECTED]
(61) 9988-0704


-----Mensagem Original-----
De: Nelson Inagaki <[EMAIL PROTECTED]>

Abaixo a Sukita!

Caro leitor com mais de vinte e cinco anos.
Peço desculpas por estar invadindo o seu e-mail, mas faz-se necessário.
É de conhecimento público a campanha de vilipêndio que a Brahma, indústria
de refrigerantes, está mantendo contra nós os "maduros" na sua ânsia de
ampliar o mercado consumidor e seduzir o público adolescente compelindo-os
ao consumo do seu vil refrigerante.
Choca-nos ver a maneira como as pessoas de maior experiência são
postas em situação ridícula na campanha publicitária de tal empresa, tendo
os
seus valores sócio culturais, físicos e sexuais menosprezados por uma
juventude sádica.
Somente para recordar: em uma delas, um senhor, já em idade adulta e, por
que não dizer, um cavalheiro, ao tentar, por educação, estabelecer um
diálogo com uma jovem em um elevador de um prédio de classe média, apenas é
respondido com algaravias até que a mesma, barbaramente, o alcunha de "tio"
e
o solicita, sem maiores delicadezas e em total desapego às regras da boa
educação, que aperte um determinado botão do elevador.
Em outro, a já citada "patricinha" mantém uma festa questionável em
seu apartamento, sem a presença dos seus pais e em total desdém as normas
condominiais, quando o ator, interpretando o homem experiente, tentativa de
amenizar problemas de vizinhança é novamente tratado com desdém
e taxado de "tio".
Mais recentemente o público maduro foi afrontado com uma dramatização
insana, na qual a jovem, eivada da mais absoluta má fé, dirige-se ao
maduro> senhor demosntrando interesse em assumir o lugar vago em sua mesa;
tudo> simulação. E o prestativo senhor, disposto a abdicar de seu momento de
meditação, oferece o lugar vago ao aconchego daquela que julga uma
adolescente de família. Nesse momento cai a máscara da pérfida
criatura, que surrupia a cadeira da mesa do senhor deixando-o em situação
embaraçosa.
Questiono o valor moral desta campanha e o efeito que pode provocar
nas jovens do nosso país que, para o nosso desespero, logo se sentirão
pouco a vontade em manter um relacionamento com homens mais velhos como nós.
Não atentaram os publicitários sádicos, para o fato de que o público
adolescente não consome Sukita, e sim cerveja, cuba-libre, bebidas
energéticas e outros; e que, quem consome mais refrigerante em todas
as parcelas da sociedade são os solteiros, já de idade superior a vinte e
cinco anos, e com padrão de vida estável, assim como o senhor da propaganda.
O que somos nós maduros? enfeites para árvores de natal? muro de arrimo?
ou aqueles desembaçadores de vidro traseiro que ninguém usa? porque fomos
retratados daquela forma patética? com agasalho no ombro, como há muito não
se
usa. Qual o percentual de adolescentes que pode usar uma calça de grife?
freqüentar um bar da moda sem se preocupar com a conta? ou usar um sapato
italiano? Levar uma gatinha em carro do ano para o seu apartamento e
proporcioná-la momentos inesquecíveis, sem medo de que chegue a mamãe ou um
colega que "divide o apê comigo"? O que é melhor: jantar num bom
restaurante ou "rachar uma pizza"?

Proponho a você e a todos os que puderem reproduzir esse alerta, por meios
manuais, reprográficos ou eletrônicos, que passem à frente essa mensagem:
NÃO BEBA SUKITA! Vamos valorizar nossa idade.
Bebamos Fanta, Crush, suco de laranja, ou até mesmo
Redoxon até que se mova uma campanha publicitária de desagravo à nossa moral
e
enaltecendo nossos valores, pois não suportamos mais sermos chamados de
"tio"
sempre que cantamos uma patricinha.

Maduros de todo o Brasil UNI-VOS.


---------------------------------------------------------------------
Você tem email?? Que tal mudar gratuitamente para [EMAIL PROTECTED]?
Visite http://www.email.com.br e faça seu pedido. Esse email é seu!
---------------------------------------------------------------------

Responder a