Tendemos a ser muito mais tolerantes com os nossos próprios erros do que com os 
erros dos outros. É muito fácil criticarmos os atos (ou não-atos) alheios e nos 
absolvermos de nossa própria culpa. Precisamos rever esse comportamento de modo 
a criarmos um ambiente realmente colaborativo, no qual reconhecer uma falha não 
seja tão agressivo ao nosso orgulho. É preciso aprendermos a pensar e a agir em 
grupo e deixarmos nossos interesses e picuinhas pessoais de lado.

Acredito que qualquer insatisfação com o comportamento de outro deve ser 
discutida de maneira respeitosa e proponha que busquemos, primeiro, resolver 
isso em particular para depois trazer nossa opinião para o grupo. Isso seria 
muito benéfico. Afinal, relevar tudo é difícil, desestimulante e contribui para 
a criação de um ambiente de desconfiança, de relações acabrunhadas, que, 
definitivamente, é incompatível com o projeto a que nos propomos. Além disso, 
devemos estar preparados para receber críticas (não trabalhamos sozinhos nem em 
benefício próprio e exclusivo) e para absorver a opinião do outro (sem prejuízo 
da própria vaidade) ou para justificar as nossas ações com cuidado e respeito. 
Esse é um projeto que, para mim, foi, sobretudo, de crescimento pessoal e não 
fosse pelas críticas, alertas e conversas sinceras que tive com diversos 
parceiros ao longo de todo o tempo que me dediquei à Wikipédia, não poderia ter 
sido tão produtivo em minha vida. 

Precisamos mudar a nossa maneira de interagir aqui para não trazermos ou 
perpetuarmos nesse projeto o estado de beligerância que se instalou na 
pt.wikipedia e que afastou tantos voluntários de lá. É certo que não queremos 
para nós o destino que a pt.wikipedia construiu para si e que hoje pode ser 
claramente percebido: fuga de bons usuários, ambiente refratário a novos 
voluntários, falta de estímulo para participar e uma série de outros fatores 
decorrentes da dificuldade dos usuários em conviver bem e em aceitar-se uns aos 
outros.

Não precisamos concordar em tudo, basta que saibamos respeitar as divergências 
e que debatamos com lucidez e clareza as nossas ideias com relação a 
determinado pensamento, prática, opinião etc. Não vamos nos render ao discurso 
fácil de culpar um ou outro pelos fracassos obtidos, já que somos incapazes, 
muitas vezes, de reconhecer o sucesso de alguém. Somos um grupo e o fracasso de 
um é o fracasso do grupo inteiro que não agiu a tempo de evitá-lo.

Por fim, sou da opinião de que excessos como os cometidos nos últimos e-mails 
não são justificáveis e não devem reincidir. Essas assertivas pessoais com 
conteúdo ofensivo e agressivo em nada contribuem. Só fizeram intensificar as 
minhas preocupações quanto ao rumo de nossas relações internas. Lembro que sem 
um grupo forte e unido não conseguiremos nada efetivo.

Desculpas pelo desabafo, mas acredito muito nesse projeto e não gostaria de ver 
todo o nosso esforço (muito ínfimo da minha parte, mas sei que muitos já 
trabalharam bastante aqui) reduzido a nada por conta do "destempero" 
(apropriando-me da palavra utilizada pelo Nevio) de alguns (no plural porque 
não vem de uma única parte).

Vinicius

From: nevinhoalar...@gmail.com
Date: Tue, 22 Nov 2011 20:22:34 -0200
To: wikimediabr-l@lists.wikimedia.org
Subject: Re: [Wikimedia Brasil] Resposta ao pedido de revisão postura, minha 
saída e censura interna.

Me desculpe, João, mas devo dizer que entendo a revolta do Argenton. Dá pra 
entender o destempero dele diante da aparente aprovação das atitudes nada 
louváveis da sua contraparte lusitana. Névio

Enviado do meu iPad
No dia 22/11/2011, às 19:35, João <jolo...@gmail.com> escreveu:

Sabe Rodrigo, é dificil entender  você.

O que eu disse naquela mensagem que tanto lhe desagradou é que esta na hora de 
você repensar suas atitudes aqui neste grupo, pois você está prejudicando todo 
mundo com esse tipo de atitude.


Não foi nenhuma agressão verbal, não sei o que você entendeu.
Se foi oito minutos e meio depois da sua, foi por que foi ai que vi a mensagem, 
não por um complô ou por vingança de algo no passado, sem teorias da 
conspiração, please.


Esse chororó de '' eu trabalho e me sacrifico, os outros são vagabundos'' não 
tem vez com voluntários, para com isso, 

Eu que sei o tempo livre que tenho e o quanto disponibilizo para a wiki, o 
quanto eu trabalho para ganhar a vida, como vai minha saúde, etc. 
Pode me xingar, mas não é você que vai me avaliar não.
Mude, por favor. 



Jo Lorib
pt.wikipédia.org































Em 22 de novembro de 2011 13:06, Rodrigo Tetsuo Argenton 
<rodrigo.argen...@gmail.com> escreveu:


q.e.d. tem gente idiota nesse lugar, que gosta de ofender, mas esqueci

que há pessoas mais idiotas, 
http://noticias.r7.com/blogs/andre-forastieri/?comments_popup=5903#comment-22126.





Foda-se, vou destratar todo mundo que eu não gosto, e mandar o Tom

tomar no cu, então Tom vai tomar no cu, tenho muito o que fazer para

ficar me preocupando se você gosta de mim ou não.



Jo o mesmo pra você.



Não sou de fazer política e estou engolindo todas as merdas que vocês

falam. Acabou.



Tem gente que consegue ser mais idiota que vocês e eu tenho um

compromisso para que esses não estreguem o movimento.



E Béria, se segure.



_______________________________________________

WikimediaBR-l mailing list

WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org

https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l



_______________________________________________
WikimediaBR-l mailing list
WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l

_______________________________________________
WikimediaBR-l mailing list
WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l                      
                  
_______________________________________________
WikimediaBR-l mailing list
WikimediaBR-l@lists.wikimedia.org
https://lists.wikimedia.org/mailman/listinfo/wikimediabr-l

Responder a